Sociedade Simples
1 pág.

Sociedade Simples


DisciplinaDireito Administrativo I63.700 materiais1.123.350 seguidores
Pré-visualização1 página

Sociedade simples


Introdução



HTML image 0
Formação de uma sociedade simples

Inicialmente, iremos abordar o que seria uma sociedade simples, assim como elas se caracterizam, quais são suas principais responsabilidades, além de analisarmos questões relacionadas diretamente com contratos, dentre muitos outros aspectos.


O que seria uma sociedade simples?

Podemos caracterizar uma sociedade simples a partir do conceito de que elas são organizações que possuem como finalidade a prestação de serviços que são decorrentes de atividade intelectual e de cooperativa, não tendo, portanto, uma caracterização empresarial.

Dessa forma, considera-se que elas não precisam possuir um registro dentro da Junta Comercial, sendo apenas necessário para a obtenção do registro, a inscrição do contrato social no Registro Civil de Pessoas Jurídicas. Logo, como exemplo, podemos citar os consultórios médicos, escritórios de advocacia e similares.


Como o Código Civil caracteriza as sociedades simples?



HTML image 1
Código Civil regula as relações jurídicas das sociedades simples

Ao observarmos o Código Civil, a sociedade simples é considerada um tipo societário e não empresário, a qual pode ser constituído a partir de um nome coletivo, podendo ser em comandita simples ou como sociedade limitada.

Por conseguinte, se não for possível optar por esses tipos societários, será direcionada a partir das regras específicas da sociedade simples, a qual é regulada pelos artigos 997 ao 1038 presente no Código Civil de 2002.

Dessa maneira, destaca-se que todas as regras que são aplicadas à sociedade simples visam regular não somente todas as sociedades não empresárias, mas também as próprias sociedades empresárias, sempre que houver algum tipo de brecha na legislação.


Responsabilidade dos sócios nas sociedades consideradas simples

Temos que a responsabilidade dos sócios poderá ser limitada ou até mesmo ilimitada de acordo com o contrato social e os atos que forem constitutivos.

Dessa forma, é necessário que observemos que existe uma característica que é bastante particular das sociedades consideradas simples em relação a todos os outros tipos de societários que está relacionada de acordo com o seu objeto social.

Por conseguinte, ao observarmos o parágrafo único, presente no artigo 996, temos que seu objeto não possui caráter empresarial e econômico, mas possui outra natureza, seja ela de forma científica, literária, artística ou até mesmo intelectual.

Contudo, iremos inferir que os sócios estão ligados através de um vínculo contratual da mesma forma que outras estruturas societárias, como seria o caso de que na sociedade simples pura os respectivos sócios irão responder de forma ilimitada pelas dívidas contraídas pela empresa. Porém, quando tratamos de sociedade simples limitada, todos os sócios irão responder de forma limitada ao valor das quotas integralizadas.


O que deve constar em um contrato social?

Dentro do contrato social é necessário que se indique, dentre outras cláusulas, o capital social, além distribuição das quotas, as atividades que serão desenvolvidas, além dos responsáveis pela administração.

Dessa forma, é necessário que contenha alguns requisitos dentro do contrato social, além de algumas cláusulas facultativas, são elas:

  1. Temos as denominação, assim como o objeto, a sede e prazo de validade;
  2. Por conseguinte, temos o capital da sociedade, expresso em moeda corrente ou qualquer espécie de bem, suscetível de avaliação pecuniária;
  3. Além disso, temos o nome, nacionalidade, estado civil, profissão e residência dos sócios;
  4. Por fim, a quota de cada sócio no capital social, e o modo como será integralizada, assim como as obrigações dos sócios, dentre muitos outros.


De que forma ocorre o funcionamento da abertura de uma Sociedade Simples?

Nessa temática, podemos inferir que os sócios possui um prazo de 30 (trinta) dias para que seja possível registrar o contrato social no Registro Civil de Pessoas jurídicas, então, quando ocorre o registro, é gerado, consequentemente, o Documento Básico de Entrada - DBE.

Tal documento precisará ser assinado pelo representante legal da sociedade, para que seja possível seu envio direto à Receita Federal, justificado pelo fato de que, posteriormente, constará no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ.

Por fim, o ciclo de etapas se finda com a providência dos alvarás de funcionamento na prefeitura, podendo ser necessário, também, em alguns casos, o alvará do Corpo de Bombeiros, por conseguinte, é necessário a obtenção de licenças municipais para que haja as emissões de notas fiscais.