02 RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA-1

02 RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA-1


DisciplinaRadiologia Odontologica I28 materiais453 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Radiologia Odontológica 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aparelhos de Raios X e 
Filmes Radiográficos 
 
 
Introdução 
 
 
 
\u2022 A radiologia odontológica e imaginologia é a especialidade que, provavelmente, mais 
se relaciona com as demais disciplinas dentro da odontologia, sendo uma ferramenta 
essencial para diagnóstico, planejamento e acompanhamento no tratamento das 
doenças bucais. 
 
\u2022 Torna-se imperioso que exista profissionais que executem tomadas radiográficas, 
cuidados técnicos na tomada das radiografias, no armazenamento dos filmes 
radiográficos e no processamento destes exames, pois a falha ocorrida na execução de 
uma destas fases pode dificultar a interpretação, levando a conclusões errôneas, 
provocando exposições desnecessárias aos pacientes e aumentando a necessidade de 
repetições (no caso das imagens não possuir condições de diagnósticos). 
2 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Obedece os mesmos princípios e composição dos aparelhos utilizados em 
radiologia médica. 
 
\u2022 De maneira geral, são aparelhos pequenos de pouca potência, que podem ser 
móveis ou fixo na parede. 
 
 
\uf0fcPainel de Controle; 
 
 
\uf0fcTubo de Raios X. 
22 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 A geração atual de máquinas de raios X odontológico consiste de duas partes 
básicas: 
 
\uf0fcPainel de Controle 
\uf0fcCabeçote \uf0fcTransformador de alta-tensão 
\uf0fcTransformador de baixa-tensão 
\uf0fcFiltro adicional de Alumínio 
\uf0fcDiafragma de chumbo (colimadores metálicos) 
\uf0fcLocalizadores (cilindros abertos). 
O aparelho de raios X é eletricamente isolado, tornando pouco provável, a 
passagem de alta tensão para o paciente ou o profissional. 
23 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
\uf0fcAspectos Externos 
 
o Base móvel: pode estar presa à parede ou ao próprio equipamento odontológico. 
 
o Corpo: Partes elétricas gerais; Autotransformador (lâmpada piloto); Estabilizador de 
corrente; Regulador de voltagem; Regulador de corrente; Marcador de tempo ou 
temporizador; Voltímetro (Seletor de kilovoltagem); Amperímetro (Seletor de 
miliamperagem). 
 
o Braço articular: permite movimentos do cabeçote nos planos vertical e horizontal. 
24 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o Neste aparelho têm-se 
interruptores bipolares, 
que fazem a conexão do 
aparelho a rede elétrica, 
sendo isto indicado por 
meio de uma lâmpada 
piloto. 
25 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o A tensão da rede é 
monitorada por um 
voltímetro e alimenta 
um autotransformador, 
que permite compensar 
a tensão da rede. 
26 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o Na operação deste 
equipamento o operador 
tem controle sobre o 
aquecimento do 
filamento, o que será 
feito por um resistor 
variável ou reostato no 
circuito do primário. 
27 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o Variando-se este reostato, 
altera se a entrada de 
corrente no transformador 
de baixa tensão, 
controlando-se a corrente 
desejada no tubo. 
28 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o No secundário do 
transformador de alta- 
tensão há uma derivação 
de sua parte média com 
a terra, para proteção 
contra choques elétricos 
(fio terra). 
29 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o O circuito dos aparelhos 
incorpora também um 
marcador de tempo 
utilizado para ligar o 
primário do 
transformador de alta 
voltagem (ponto 6). 
30 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o Por este dispositivo, o 
operador determinará o 
tempo total durante o qual 
a alta voltagem será 
aplicada no tubo e, 
portanto, o tempo que 
este produzirá os raios X. 
31 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Além do cabeçote, é interessante conhecer aspectos externos da máquina bem 
como seus dois circuitos elétricos básicos. 
 
 
\uf0fcCircuitos elétricos básicos 
 
o Estes aparelhos são equipados 
com marcadores de tempo 
eletrônico capazes de, com 
precisão, atender o tempo de 
exposição extremamente curto, 
de alguns milisegundos, exigidos 
pelos filmes ultra-rápidos atuais. 
32 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
https://www.youtube.com/watch?v=QCiuwj2ubRo 
\u2022 Na Odontologia, os dois tipos de equipamentos mais utilizados são: 
 
 
 
 
A radiografia panorâmica, de uso 
amplo, possibilita determinar, na 
face do paciente, a situação do 
osso, bem como a arcada 
dentária em uma só tomada 
radiográfica, já que o filme é 
colocado fora da boca do 
paciente. 
33 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Novo método de diagnóstico em ortodontia: 
Cone Beam CT 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tomografia 
computadorizada 
de feixe cônico 
A TC apresenta grandes vantagens diagnósticas, 
porém ela somente não é mais utilizada na rotina 
odontológica por dois principais motivos: dose de 
radiação e alto custo. 
A dose de radiação recebida pelo paciente durante o 
exame, indiscutivelmente, apresenta-se mais alta 
quando comparada às tomadas radiográficas 
convencionais. 
No entanto, é difícil estabelecer quantas vezes mais 
radiação esse exame libera em relação às 
radiografias intrabucais e extrabucais de rotina, 
porque a dose de radiação da TC varia de acordo com 
a área escaneada, com a espessura do corte, com os 
ajustes do aparelho (quilovoltagem e miliamperagem) 
assim como com o tipo de aparelho de TC.. 
34 
Aparelhos de Raios X Odontológicos 
 
 
 
\u2022 Novo método de diagnóstico em ortodontia: 
Cone Beam CT 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tomografia 
computadorizada 
de feixe cônico 
Por esta razão, indica-se o exame de tomografia 
computadorizada tradicional na Odontologia apenas 
quando a relação custo-benefício compensar, ou seja, 
quando o exame puder prover informações para o 
diagnóstico impossíveis ou difíceis de serem adquiridas 
por meio das radiografias convencionais e que, ao 
mesmo tempo, poderiam alterar significantemente o 
plano de tratamento escolhido. 
 
 
As principais indicações para a TC tradicional na 
Odontologia restringem-se aos casos de fraturas 
complexas da face, nas anomalias craniofaciais, no 
diagnóstico e acompanhamento