A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
100 pág.
Administrativo

Pré-visualização | Página 50 de 50

do seu 
quadro de pessoal. 
V. O ato administrativo decorrente do poder de polícia 
não fica sujeito a invalidação pelo Poder Judiciário, 
sujeitando-se apenas a revisão pela própria 
administração, em razão da sua autonomia, ainda que 
praticado com desvio de poder. 
Está correto o que se afirma APENAS em: 
a) I e II. 
b) I, III e IV. 
c) II e III. 
d) II, IV e V. 
e) III, IV e V. 
 
3. (ESAF/Anal. De Finanças e controle/CGU/2004) 
Uma determinada autoridade administrativa, de um 
certo setor de fiscalização do Estado, ao verificar que 
o seu subordinado havia sido tolerante com o 
administrado incurso em infração regulamentar, da 
sua área de atuação funcional, resolveu avocar o caso 
e agravar a penalidade aplicada, no uso da sua 
competência legal, tem este seu procedimento 
enquadrado no regular exercício dos seus poderes: 
a) Disciplinar e vinculado 
b) discricionário e regulamentar 
c) hierárquico e de polícia 
d) regulamentar e discricionário 
e) vinculado e discricionário 
 
4. (FCC/Anal. Jud./TRT-20/2006) Dentre outras, é 
peculiaridade marcante do poder disciplinar sua 
a) diferenciação com o poder punitivo do Estado, 
realizado através da Justiça Penal. 
b) correlação com o poder hierárquico, e assim 
confundir- se com este poder administrativo. 
c) vinculação pela prévia definição da lei sobre a 
infração funcional e respectiva sanção e, portanto, não 
ter discricionariedade. 
d) qualidade de ordenar, coordenar, controlar e corrigir 
as atividades administrativas no âmbito da 
Administração 
e) capacidade de condicionar e restringir o uso e gozo 
de bens, atividades e direitos individuais, em benefício 
do Estado. 
 
5. (FCC/Anal. Jud./TRF-3/2007) Em tema de Poderes 
Administrativos, considere: 
I. O poder discricionário é sempre relativo e parcial, 
porque, quanto à competência, à forma e à finalidade 
do auto, a autoridade está subordinada ao que a lei 
dispõe, como para qualquer ato vinculado. 
II. A punição decorrente do poder disciplinar da 
administração e a criminal têm fundamentos idênticos, 
com também idênticas a natureza das penas, pois a 
diferença não é de substância, mas de grau. 
III. O poder regulamentar é a faculdade de que dispõe 
os chefes de executivo de explicar a lei para sua 
correta execução, ou de expedir decretos autônomos 
sobre matéria de sua competência ainda não 
disciplinada por lei. 
IV. Poder hierárquico é o que dispõe o Executivo para 
distribuir e escalonar funções de seus órgãos, ordenar 
e rever a atuação de seus agentes, estabelecendo a 
relação de subordinação entre os servidores do seu 
quadro de pessoal. 
V. O ato administrativo decorrente do poder de polícia 
não fica sujeito a invalidação pelo Poder Judiciário, 
sujeitando-se apenas a revisão pela própria 
administração, em razão da sua autonomia, ainda que 
praticado com desvio de poder. 
Está correto o que se afirma APENAS em: 
a) I e II. 
b) I, III e IV. 
c) II e III. 
d) II, IV e V. 
e) III, IV e V. 
 
6. (ESAF/Anal. De Finanças e controle/CGU/2004) O 
mérito administrativo, na atuação do administrador 
público, cujo controle jurisdicional sofre restrições, 
condiz em particular com o exercício regular do seu 
poder 
a) disciplinar 
b) hierárquico 
c) de polícia 
d) discricionário 
e) Vinculado 
 
7. (Técnico da Receita Federal 2003) - O ato de 
autoridade administrativa que aplica uma penalidade 
de advertência a servidor seu subordinado, pela 
inobservância de um determinado dever funcional, 
estará contido no contexto, particularmente, do 
exercício regular de seu poder 
a) discricionário e de polícia. 
b) discricionário e de império. 
c) disciplinar e hierárquico. 
d) regulamentar e de polícia. 
e) vinculado e de gestão. 
 
8. (Técnico da Receita Federal 2000) - A avocação é 
um fenômeno, inerente ao poder hierárquico, aplicável 
ao processo administrativo, pelo qual a autoridade 
pode em certos casos, como assim previsto na Lei nº 
9.784/99, 
a) delegar competência a órgão inferior. 
b) rever decisão em instância recursal. 
c) exercer delegação de órgão superior. 
d) exercer competência atribuída a órgão inferior. 
e) rever suas próprias decisões. 
 
 DIREITO ADMINISTRATIVO – PROF. GIORGIO FORGIARINI 
9. (OAB/PR – 2004) Assinale a alternativa 
INCORRETA. 
a) Poder vinculado é aquele atribuído ao agente 
público para a prática de ato de sua competência, 
delimitado pela lei em todos os seus condicionantes. 
b) Poder regulamentar é aquele de que dispõe o chefe 
do poder executivo para, no exercício da função 
pública, expedir regulamentos voltados à fiel execução 
das leis. 
c) Poder hierárquico é aquele outorgado ao agente 
público exclusivamente para a verificação de ilícitos 
no âmbito interno da administração e, em sendo o 
caso, imposição das respectivas sanções. 
d) Poder discricionário é aquele conferido por lei ao 
administrador público para que, nos limites nela 
previstos e com certa parcela de liberdade, adote, no 
caso concreto, a solução mais adequada ao 
atingimento do interesse público. 
 
10 (ESAF/PFN/98) - Não é atribuição da 
Administração Pública decorrente do poder 
hierárquico: 
a) editar atos regulamentares 
b) aplicar sanções disciplinares 
c) avocar e/ou delegar atribuições 
d) controlar as atividades dos órgãos subordinados 
e) anular atos ilegais praticados por órgãos inferiores 
 
 
Gabarito: 
1D 2B 3C 4A 5B 6D 7C 
8D 9C 10C 
 
 
ATOS ADMINISTRATIVOS 
 
1. (FCC/TécnicoJudiciário-TRE-PB/2007) O ato 
administrativo que foi praticado por representante do 
poder público a quem a lei confere atribuições para a 
sua edição, atendeu ao requisito da 
(A) competência. 
(B) legalidade. 
(C) impessoalidade. 
(D) forma. 
(E) finalidade. 
 
2. (FCC/TécnicoJudiciário-TRE/SE/2007) São 
requisitos ou condições de validade do ato 
administrativo: 
(A) forma, imperatividade, motivo, finalidade e objeto. 
(B) competência, auto-executoriedade, imperatividade, 
objeto e finalidade. 
(C) competência, motivo, objeto, auto-executoriedade 
e forma. 
(D) forma, motivo, finalidade, objeto e competência. 
(E) finalidade, motivo, imperatividade, auto-
executoriedade e forma. 
 
3. (FCC/TécnicoJudiciário-TRE-PB/2007) A idéia 
segundo a qual a Administração Pública pode atuar 
sozinha, conforme o caso, mediante coação, sem a 
necessidade do consentimento do Poder Judiciário, 
refere-se ao atributo do ato administrativo conhecido 
como 
(A) presunção de legitimidade. 
(B) presunção de veracidade. 
(C) legalidade. 
(D) imperatividade. 
(E) auto-executoriedade. 
 
4. (FCC/TécnicoJudiciário-TRE-AM/2006) Dentre 
outros, são considerados requisitos e atributos, 
respectivamente, dos atos administrativos praticados 
pela Administração Pública, no uso de seus poderes 
estatais, a 
(A)) competência e a presunção de legitimidade. 
(B) auto-executoriedade e a forma. 
(C) imperatividade e o motivo. 
(D) exigibilidade e o objeto. 
(E) tipicidade e a finalidade. 
 
5. (FCC/AnalistaJudiciário-TRE-PB/2007) A respeito 
dos atributos do ato administrativo, é INCORRETO 
afirmar que 
(A) a presunção de legitimidade é relativa ou júris 
tantum. 
(B) a imperatividade ocorre naqueles atos em que 
impõem obrigações a terceiros, independentemente 
de sua concordância. 
(C) o ato administrativo pode ser praticado pela 
própria Administração Pública, independentemente da 
intervenção do Poder Judiciário, em face da 
autoexecutoriedade. 
(D) a presunção de legitimidade tem o conceito de que 
os fatos alegados pela Administração supõem-se 
como verdadeiros. 
(E) decorrem dos interesses que a Administração 
Pública representa quando atua, isto é, os interesses 
da coletividade. 
 
6. (FCC/AnalistaJudiciário-TRE-MG/2005) O ato 
administrativo, mesmo que eivado de vícios ou 
defeitos, é tido como verdadeiro e conforme o direito 
até prova

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.