Revisão QFD
10 pág.

Revisão QFD


Disciplina<strong>artigo</strong>9 materiais2 seguidores
Pré-visualização10 páginas
OF FOOD TECHNOLOGY
200
AUTORES
AUTHORS
RESUMO
PAL AVRAS-CHAVE
KEY WORDS
Revisão: Desdobramento da Função
Qualidade-QFD - Conceitos e Aplicações
na Indústria de Alimentos
Review: Quality Function
Deployment - QFD: Concepts
and Applications in the Food Industry
1*
Dina María Medem CORTÉS
2
Carlos Arthur Barbosa DA SILVA
1*Doutoranda em Ciência e Tecnologia de Alimentos,
Departamento de Tecnologia de Alimentos,
Universidade Federal de Viçosa, 36570-000, Viçosa, MG
e-mail: medemd@buynet.com.br
Fone: (31) 3899-2226, Fax: (31) 3899-2208
2*Professor Titular, Departamento de Tecnologia de Alimentos,
Universidade Federal de Viçosa, 36570-000, Viçosa, MG
e-mail: carthur@ufv.br
Fone: (31) 3899-2226, Fax: (31) 3899-2208
Este ar tigo apresenta uma revisão de literatura sobre a metodologia de
desdobramento da função qualidade (QFD) abrangendo aspectos históricos e conceituais,
enfocando aplicações na indústria de alimentos. O objetivo básico do QFD é traduzir os desejos
dos consumidores (compradores potenciais dos produtos) em desenho do produto ou
características de engenharia, e conseqüentemente em características das par tes,
planejamento de processos, e requerimentos de produção associados com sua manufatura.
Tem como objetivo principal tornar a empresa apta a desenvolver produtos que satisfaçam as
exigências crescentes e diversificadas de seus clientes, em cur to espaço de tempo, e caracteriza-
se pela eficácia no armazenamento e transmissão de infor mações durante a atividade
multifuncional de desenvolvimento de produto.
Espera-se que a literatura apresentada sir va como orientação na aplicação desta
ferramenta na indústria alimentícia brasileira e possa ser usada como um referencial para
aqueles novos praticantes e usuários desta metodologia.
This ar ticle presents a literature review of the Quality Function Deployment (QFD)
methodology, comprising historical and conceptual aspects of food industr y applications. The
basic objective of QFD is to translate customer needs and desires into product design or
engineering characteristics and consequently into par t characteristics, process planning and
production requirements associated to product manufacture. Its main objective is to make the
company capable to develop products to meet the growing demands of their clients in a shor t
term, characterized by efficient data storage and transmission throughout the multifunctional
development of the product. This literature review is expected to ser ve as a guideline for the
application of this tool in the Brazilian food industr y so that it can be used as a reference for its
new users.
ABSTRACT
QFD; Qualidade; metodologia; indústria de
alimentos; produtos manufaturados
QFD; Quality; methodology; food
industr y; product manufacture
Braz. J. Food Technol., v.8, n.3, p. 200-209, jul./set. 2005
OF FOOD TECHNOLOGY
201
1. INTRODUCÃO
O cenário político e econômico resultante da
globalização se caracteriza principalmente pela
competitividade industrial (MIZUTA, 1999) e a competitividade
é o principal atributo que deve ser perseguido pelas empresas
de todos os setores (TUMULERO et al., 2000).
A função qualidade assumiu uma perspectiva
estratégica, sendo então considerada uma arma competitiva,
com a qual as empresas que melhor equacionam as
necessidades dos clientes, bem como os pontos for tes e fracos
dos concorrentes e delas próprias, têm maiores chances de
sucesso (TUMULERO et al.,2000).
De acordo com CARNEVALLI et al. (2001), com a
aber tura dos mercados, o aumento da competição numa
escala mundial e a globalização, as empresas começaram a
buscar novas metodologias para desenvolver produtos e
ser viços com qualidade, que satisfaçam as e xigências dos seus
clientes, garantindo assim a sua sobrevivência no mercado.
Para a indústria de alimentos, o curto ciclo de vida dos
produtos e o incremento da demanda dos consumidores por
maior variedade e qualidade têm levado a urgentes
necessidades de ferramentas que possam ajudar no
planejamento, estruturação e sistematização no
melhoramento da qualidade dos alimentos e desenvolvimento
de novos produtos (COSTA et al., 2001).
O Desdobramento da Função Qualidade - QFD é um
dos métodos sugeridos para operacionalizar o planejamento
da qualidade (PAIVA , 1999) e é uma metodologia que identifica
os desejos e exigências dos clientes para criar produtos e
ser viços que tenham características que atendam a essas
exigências e desejos. (Ohfuji et al.,1997, citados por
CARNEVALLI et al., 2001).
Tendo em vista a importância do QFD como
ferramenta gerencial no processo de desenvolvimento de
novos produtos, pretende-se, neste trabalho, apresentar uma
revisão bibliográfica sobre seus principais conceitos e
aplicações com ênfase na indústria de alimentos.
2. ASPECTOS HISTÓRICOS
De acordo com AKAO (1996), o Desdobramento da
Função Qualidade (QFD) foi concebido no Japão em finais da
década de 60, durante uma época em que as indústrias
japonesas mudaram a forma de produção pós-guer ra no
desenvolvimento de produtos, através da imitação e da cópia, e
avançaram para o desenvolvimento de produtos baseados na
originalidade. O QFD nasceu nesse ambiente como um
método ou conceito para desenvolvimento de novos produtos
sob a ótica do controle de qualidade total (TQC).
Depois da Segunda Guerra Mundial, o controle de
qualidade estatístico (SQC) ou controle estatístico de processo
(CEP) foi introduzido no Japão e veio a ser a central atividade de
qualidade, principalmente na área de manufatura. Mais tarde,
pelos ensinamentos de Joseph M. Juran e Kaor u Ishikawa, que,
respectivamente, enfatizaram a impor tância de fazer controle
de qualidade como par te da gestão de negócios e
encabeçaram o movimento do controle de qualidade ampliado
em toda a empresa na companhia toda (CQWC), houve uma
evolução e, como resultado, o SQC foi transformado em TQC
no Japão durante o período de 1960 a 1965. Foi durante esse
período que AKAO (1996) apresentou o conceito e método do
QFD.
Segundo BARNARD (1992), uma das primeiras
aplicações foi em 1972, nos estaleiros que fazem par te da
Mitsubishi Heavy Industr y. Em 1978, Mizuno e Akao
publicaram o trabalho “Deployment of the Quality Function”,
que levou a um rápido incremento na aplicação do QFD no
Japão. Em 1983, Akao introduziu o QFD nos Estados Unidos
através da publicação de um pequeno ar tigo e já em 1986
extensivos treinamentos foram feitos naquele país, com o
lançamento dos primeiros projetos por par te de algumas
companhias pioneiras, tais como a Ford Motor Company Em
1988, foram feitos os primeiros cursos de treinamento na
Europa. Em 1989 foi celebrado o primeiro simpósio em Detroit,
US A , chegando a ser um evento regular anual. Em 1992, foi
celebrado o primeiro simpósio europeu (BARNARD, 1992).
Como enfatizaram CHAN e WU (2002), o QFD
evoluiu de um número de diferentes iniciativas entre 1965 e
1972, mas as duas principais diretrizes que levaram a sua
criação no Japão foram: melhorar o desenho da qualidade, da
manufatura e visão dos funcionários, com o planejamento de
um mapa de controle de qualidade, mostrando os pontos a
serem controlados dentro do processo de produção, antes da
produção inicial.
.
3. O QUE É O QFD?
Quality Function Deployment (QFD) é uma tradução
literal das palavras japonesas hin shitsu (qualidade,
características, atributos), ki no (função, mecanização) e tem kai
(desdobramento, difusão, desenvolvimento e evolução)
(BARNARD, 1992).
O conceito básico do QFD é traduzir os desejos dos
consumidores (compradores potenciais dos produtos) em
desenho do produto ou características de engenharia, e
conseqüentemente em características das par tes,
planejamento de processos e requerimentos de produção
associados com sua manufatura (MOSKOWITZ e KIM, 1997).
Revisão: Desdobramento da Função
Qualidade-QFD - Conceitos e Aplicações
na Indústria de Alimentos
CORTÉS, D. M. M. & DA SILVA, C. A. B.
Braz. J. Food Technol., v.8, n.3, p. 200-209, jul./set. 2005
OF FOOD TECHNOLOGY
202
Como informado por DRUMOND et al. (1999), o QFD
é um método para a garantia da qualidade durante todo o
processo de desenvolvimento de produto, desde a
identificação das necessidades dos clientes, planejamento de
projeto do produto até a sua fabricação. Tem como objetivo
principal tornar a empresa capaz de desenvolver, em cur to
espaço de tempo, produtos que satisfaçam as exigências
crescentes e diversificadas de seus clientes, caracterizando-se
pela eficácia no armazenamento e transmissão de infor mações
durante a atividade multifuncional de desenvolvimento de
produto.
AKAO (1996) define QFD como “um método para o
desenvolvimento do desenho da qualidade objetivando a
satisfação dos consumidores. Então ele traduz a demanda dos
consumidores para dentro do desenho alvo e os pontos
principais da garantia da qualidade, para serem usados através
da fase de produção”. GOVERS (2001) afirmou que o “QFD não
é apenas uma ferramenta, mas vem a ser um caminho para a
gerência”. CHENG et al. (1995) definem literalmente QFD
como “uma forma de comunicar sistematicamente informação
relacionada com a qualidade e de explicitar ordenadamente
trabalho relacionado com a obtenção da qualidade, tendo
como objetivo alcançar o enfoque da garantia da qualidade,
durante o desenvolvimento de produto e é subdividida em
Desdobramento da Qualidade (QD) e Desdobramento da
função qualidade no sentido restrito (QFDr)”. A Figura 1 mostra
a relação entre QFD, QD e QFDr. Com base nessa definição
pode-se dizer que o QFD possui duas par tes constituintes, isto
é: QFD amplo= QD + QFD restrito.
Segundo ALVES (2000), o QD tem por finalidade
“conver ter as exigências dos usuários em características
substitutivas (características de qualidade), definir a qualidade
do projeto do produto acabado, desdobrar esta qualidade em
qualidades de outros itens tais como: qualidade de cada uma
das peças funcionais, qualidade de cada par te e até os
elementos de processo, apresentando sistematicamente a
relação entre os mesmos. O QFDr é definido como o
desdobramento em detalhes das funções profissionais ou dos
trabalhos que formam a qualidade, seguindo a lógica de
objetivos e meios”.
CHENG et al. (1995) afirmaram que o QD busca
desdobrar a qualidade, utilizando a lógica da causa e efeito, de
forma sistematizada. O desdobramento par te da voz do
cliente, passando por características de qualidade do produto
até chegar a um determinado valor de um parâmetro de
controle do Padrão Técnico de Processo PTP.
No caso do QFDr, o mesmo autor frisou que é o
desdobramento da função do trabalho ou desdobramento de
um conjunto de procedimentos gerenciais e técnicos e estes em
conjunto formam o padrão gerencial do desenvolvimento de
produtos (PGDP) e o plano de atividades do desenvolvimento
do produto (PADP), sendo definidos objetivamente pelas áreas
funcionais da empresa.
Uma das empresas do setor de alimentos que
emprega o QFD é a S ADIA . No processo de transferência de
tecnologia guiado pelo QFD, seus pesquisadores concluíram
que o por tfolio de projetos deve ser bem definido e a gestão de
desenvolvimento de produtos deve possuir um método muito
bem estabelecido. Em outras palavras, o QFD no sentido
restrito (desdobramento do trabalho com um padrão de
sistemas para desenvolvimento de produtos, que garanta a
qualidade do trabalho a ser realizado) e o QD devem ser bem
executados para a satisfação plena das e xigências dos
consumidores, sendo este o recipiente adequado para que a
tecnologia adquirida não se perca (S ARANTOPOULOS et al.,
1999).
PAIVA e CHENG (2001) ressaltaram que, na
implementação do sistema de desenvolvimento de novos
produtos em uma pequena empresa de massas alimentícias
utilizando o QFD, inicialmente se deu maior ênfase às
atividades relacionadas ao QD, ou seja, à etapa do QFD que
lida com o desdobramento das informações. Embora o QFDr
(desdobramento do trabalho) tenha sido formalizado após a
experiência de elaboração do produto, o planejamento final do
QFDr permitiu que a empresa avaliasse melhor as etapas do
processo de desenvolvimento, que foram mal conduzidas ou
omitidas durante a execução do projeto.
Segundo PAIVA (1999), a metodologia do QFD se
fundamenta em três princípios básicos. O primeiro é a
Subdivisão e a Unificação, onde as informações e os dados
sobre o produto e o processo e as atividades de
desenvolvimento são todos subdivididos de forma detalhada,
para que depois sejam classificados e agrupados de acordo
com algum princípio comum que os assemelha, para que
estejam expressos de maneira clara e objetiva. O segundo
princípio é o da Pluralização e Visibilidade. O desenvolvimento
do QFD acontece através do trabalho inter funcional, onde
cada indivíduo contribui com o seu conhecimento e habilidade
técnica, ou seja, conforme CHENG et al. (1995), a par ticipação
dos vários setores com suas perspectivas distintas traz consigo
o aspecto plural ao processo.
Segundo PUGH (1991), a visibilidade é um fator
crucial no que se refere à integração e per mite definir o que as
pessoas fazem e o porquê. Ela é proporcionada pelo
Revisão: Desdobramento da Função
Qualidade-QFD - Conceitos e Aplicações
na Indústria de Alimentos
CORTÉS, D. M. M. & DA SILVA, C. A. B.
Braz. J. Food Technol., v.8, n.3, p. 200-209, jul./set. 2005