Exercicio Passivo 2 mobilização
16 pág.

Exercicio Passivo 2 mobilização


Disciplina<strong>avaliação Funcional</strong>19 materiais24 seguidores
Pré-visualização1 página
MOBILIZAÇÃO E 
MANIPULAÇÃO ARTICULAR
Profa. Me. Itana Spinato
MOBILIZAÇÃO E MANIPULAÇÃO ARTICULAR
\u27a4 Mobilização articular e manipulação 
articular são técnicas da terapia 
manual usadas para modular a dor e 
tratar as disfunções articulares que 
limitam a ADM, abordando 
especificamente alterações na 
mecânica articular. 
\u27a4 A mecânica articular pode ser 
alterada em razão de dor, 
mecanismos de defesa muscular, 
derrame articular, contraturas ou 
aderências nas cápsulas articulares 
ou ligamento de suporte, ou 
desalinhamento das superfícies 
ósseas.
\u27a4 Técnicas	
  passivas	
  de	
  baixa	
  velocidade	
  usadas	
  para	
  tratar	
  
disfunções	
  articulares	
  como	
  a	
  rigidez,	
  hipomobilidade	
  e	
  dor.	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Movimentos	
  Fisiológicos	
  
\u27a4 Tipos	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Mov.	
  Integrantes	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Movimentos	
  acessórios	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Mov.	
  Intra-­\u2010articul.	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
MOBILIZAÇÃO ARTICULAR
\u27a4 Tração - é um procedimento passivo 
translatório com o qual através de um 
estiramento se produz a separação dos ossos. 
A direção deste movimento é perpendicular 
ao plano de tratamento. 
\u27a4 Compressão - é o procedimento oposto ao 
anterior. Se realiza de maneira perpendicular 
ao plano de tratamento e através dele se 
comprime as superfícies articulares. A 
presença de dor ao realizar este 
procedimento indica a lesão articular 
\u27a4 Deslizamento - é um movimento passivo 
translatório retilíneo de um osso e em 
consequência se produz um deslizamento 
retilíneo entre as faces articulares. A direção 
do movimento é paralela ao plano de 
tratamento (e não à superfície articular). 
Esta prova se realiza para um teste de 
mobilidade passiva da articulação e também 
como técnica de mobilização.
MANIPULAÇÃO
\u27a4Técnica	
  passiva	
  usando	
  
movimentos	
  \ufb01siológicos	
  
ou	
  acessórios	
  aplicados	
  
bruscamente	
  com	
  alta	
  
velocidade.	
  
\u27a4A	
  alta	
  velocidade	
  de	
  
aplicação	
  de	
  técnicas	
  de	
  
manipulação	
  não	
  permite	
  
que	
  o	
  paciente	
  tenha	
  
controle	
  da	
  execução	
  das	
  
mesmas.	
  
\u27a4Osteopatia	
  ,	
  thrust
TÉCNICAS	
  OSCILATÓRIAS	
  GRADUADAS
\u27a4G1-­\u2010	
  pequena	
  amplitude	
  no	
  início	
  da	
  amplitude	
  do	
  
movimento.	
  
\u27a4G2-­\u2010	
  grande	
  amplitude	
  no	
  meio	
  da	
  amplitude	
  do	
  
movimento	
  ,	
  não	
  atingindo	
  o	
  limite.	
  
\u27a4G3-­\u2010	
  grande	
  amplitude	
  até	
  o	
  limite	
  da	
  mobilidade	
  
existente.	
  
\u27a4G4-­\u2010	
  pequena	
  amplitude	
  no	
  limite	
  da	
  mobilidade	
  
existente	
  	
  e	
  forçadas	
  na	
  resistência.	
  
\u27a4G5-­\u2010	
  thrust	
  em	
  alta	
  velocidade	
  
MOBILIDADE	
  INTRA-­\u2010ARTICULAR	
  
EXISTENTE
ALONG
RE
SIS
TÊ
NC
IA
LIM
ITE
	
  
AN
AT
ÔM
ICO
1
2
3
4
APLICAÇÕES
\u27a4GRAU I E II : ANALGESIA	
  
(fase	
  aguda)	
  	
  
\u27a4GRAU III E IV : AUMENTAR	
  A	
  
ADM	
  (fase	
  subaguda	
  e	
  crônica)	
  
\u27a4GRAU	
  I	
  E	
  IV	
  :	
  Oscilações	
  
Rápidas	
  3	
  À	
  4	
  Segundos	
  .	
  
\u27a4GRAU	
  II	
  E	
  III	
  :	
  	
  Oscilações	
  
Regulares	
  1	
  À	
  2	
  Minutos.
AVALIAÇÃO
\u27a4Exame físico 	
  
\u27a4Estágio da recuperação	
  
\u27a4Tratamento 	
  
\u27a4Seleção 	
  
\u27a4Tempo 	
  
\u27a4Técnicas 
OBSERVAÇÕES
\u27a4Posição do paciente.	
  
\u27a4Posição da articulação.	
  
\u27a4Estabilização.	
  
\u27a4Força do tratamento.	
  
\u27a4Direção do movimento.	
  
\u27a4Reavaliação 	
  
\u27a4Programa total de reabilitação.
VANTAGENS	
  DA	
  MOBILIZAÇÃO
\u27a4Dosagem da força	
  
\u27a4Força aplicada perto da 
articulação	
  
\u27a4Força seletiva , aplicada no 
tecido desejado.	
  
\u27a4A direção da mobilização 
acompanha a mecânica 
articular.
EFEITOS
\u27a4Nutrição da cartilagem	
  
\u27a4Mantém a extensibilidade nos 
tecidos articulares	
  
\u27a4Analgesia e diminuição do 
espasmo muscular.	
  
\u27a4Estímulo proprioceptivo.	
  
\u27a4Aumento ou manutenção da 
ADM	
  
\u27a4Aumenta a velocidade de 
execução do movimento	
  
\u27a4Recupera ou melhora a função 
estabilizadora. 
INDICAÇÕES
\u27a4 Hipomobilidade	
  articular	
  
reversível.	
  
\u27a4 Disfunções	
  
musculoesqueléticas	
  e	
  
articulares	
  	
  
\u27a4 Doenças	
  do	
  sistema	
  nervoso	
  	
  
\u27a4 Traumas	
  
\u27a4 Limitação	
  progressiva	
  
\u27a4 Imobilidade	
  funcional
CONTRA-­\u2010INDICAÇÕES
\u27a4Espondilolistese, hipermobilidade, lesões vertebrais com compressão de 
raízes nervosas, compressão da cauda eqüina ou da medula (mielopatia) 
e estenoses.	
  
\u27a4Fraturas não consolidadas, fratura por stress, luxação e lesões 
ligamentares agudas.	
  
\u27a4Tumores e Infecções	
  
\u27a4Efusão articular	
  
\u27a4Osteoporose	
  
\u27a4Doenças inflamatórias (espondilite anquilosante, artrite reumatóide)	
  
\u27a4Problemas psicológicos, espasmo intenso.	
  
\u27a4Má formação congênita
PRECAÇÕES	
  
\u27a4Dor excessiva	
  
\u27a4Artroplastias totais.	
  
\u27a4Tecido conectivo recém-formado, após lesões ou cirurgias.	
  
\u27a4Idosos e crianças.	
  
\u27a4Pacientes hemofílicos
HIPOMOBILIDADE E HIPERMOBILIDADE REACIONAL 
\u27a4Uma	
  hipomobilidade	
  corresponde	
  	
  a	
  uma	
  restrição	
  de	
  
movimento	
  em	
  algum	
  dos	
  eixos	
  de	
  movimento.	
  	
  
\u27a4Uma	
  hipomobilidade	
  pode	
  provocar	
  uma	
  
hipermobilidade	
  reacional	
  e	
  compensatória,	
  levando	
  a	
  
sintomas	
  à	
  distância.	
  	
  
\u27a4As	
  hipomobilidades	
  devem	
  ser	
  tratadas	
  e	
  não	
  as	
  
hipermobilidades,	
  mesmo	
  sendo	
  muitas	
  vezes	
  estes	
  o	
  
local	
  de	
  dor.