A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Questionário 1

Pré-visualização | Página 1 de 2

Questão 1
(IFBA) Monstrengo enviado para punir o povo de Tebas por ter afrontado os deuses, a Esfinge tinha cabeça e seios de mulher, corpo e patas de leoa, e asas de águia. Instalada às portas da cidade, ela exigia que seus melhores jovens a enfrentassem. Todos eram impiedosamente trucidados porque não conseguiam responder ao enigma que ela lhes propunha. Desgraça que só terminou quando apareceu um esperto rapaz, vindo de Corinto e chamado Édipo. Ele matou a charada, provocando o suicídio da fera. O resto da lenda é bem conhecido. Pois bem, o “desenvolvimento sustentável” também é um enigma à espera do seu Édipo [....] . VEIGA, José Eli da. Desenvolvimento Sustentável: o desafio do século XXI. 3a edição. Rio de Janeiro: Garamond, 2008, p.3. O desenvolvimento sustentável se define de forma enigmática por constituir-se enquanto o desafio do Século XXI. Nesta perspectiva, pode-se afirmar:
Escolha uma:
a. Os conflitos socioambientais evidenciam as contradições da relação estabelecida entre a sociedade e a natureza no modelo de desenvolvimento capitalista.
b. A conservação natural dos ecossistemas terrestres para a reprodução social da vida torna evidente o desenvolvimento sustentável no capitalismo.
c. A privatização da água proposta pelo Banco Mundial é uma medida de uso e apropriação racional da natureza com vistas à sustentabilidade socioeconômica e ambiental.
d. A regulação da biodiversidade pela Organização das Nações Unidas (ONU), enquanto patrimônio da humanidade, vem garantindo o cumprimento legal da política ambiental brasileira.
e. O Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), proposto pelo governo federal, tem como projeto estruturante a criação de reservas e parques nacionais para a promoção do desenvolvimento sustentável na Amazônia.
Questão 2
Nesta questão, você deverá analisar a frase a seguir. O processo de urbanização gera uma grande quantidade de impactos ambientais. Uma avenida, por exemplo, causará impacto tanto na fase de construção como de operação, tais como: (1) impermeabilização do solo, (2) produção de ruído, (3) poluição atmosférica por gases automotivos, (4) instalação de estabelecimentos comerciais às suas margens e (5) criação de empregos. Dentre esses cinco impactos citados,
Escolha uma:
a. O impacto de n°1 ocorrerá nas fases de construção e operação.
b. Os impactos de n°s 1 e 2 são negativos e indiretos.
c. O item 5 não pode ser considerado impacto.
d. Os itens de n°s 4 e 5 não podem ser considerados impactos.
e. Os impactos de n°s 2 e 3 ocorrerão apenas na fase de operação.
Questão 3
Não há como falar em sustentabilidade ambiental sem pensar em educação ambiental. Mas qual o propósito principal da educação ambiental?
Escolha uma:
a. A educação ambiental apoia o desenvolvimento econômico existente no sistema capitalista, em que os valores éticos, de justiça social e solidariedade não são considerados, nem a cooperação é estimulada, apenas prevalecendo o lucro a qualquer preço, a competição, o egoísmo e os privilégios de poucos em detrimento da maioria da população.
b. A educação ambiental busca relacionar de maneira sustentável o homem e a natureza, sem exigir alterações de comportamento.
c. A educação ambiental propõe a reconstrução da sociedade para uma nova relação com o meio ambiente, assumindo um papel de transformadora, na qual a corresponsabilização dos indivíduos não interfere na promoção do desenvolvimento sustentável.
d. Educação ambiental é um processo permanente no qual os indivíduos e as comunidades tomam consciência de seu meio ambiente e adquirem conhecimentos, valores, habilidades, experiências e determinação que o tornem aptos a agir e resolver problemas ambientais, presentes e futuros.
e. A educação ambiental é o estudo dos ambientes juntamente com a ecologia e a paisagem.
Questão 4
Numa concepção democrática do espaço urbano e após a emergência da questão ambiental, a propriedade deve se submeter além da sua função social, à sua função ambiental. Desta afirmação pode-se concluir que: é fundamental que seja dado o melhor tratamento possível à propriedade...
Escolha uma:
a. ...em relação à manutenção da qualidade de vida e do bem estar de todos.
b. ...em relação ao meio ambiente, desde que subordinando-o aos interesses do proprietário.
c. ...de modo que sempre as árvores nela existente sejam preservadas.
d. ...de modo a remodelar o espaço construído para que tenha maior sustentabilidade ambiental.
e. ...de modo que seu uso predominante seja habitacional.
Questão 5
 (UNIRIO-RJ) A ideia de desenvolvimento sustentável tem sido cada vez mais discutida junto às questões que se referem ao crescimento econômico. De acordo com este conceito considera-se que:
Escolha uma:
a. Ocorre uma oposição entre desenvolvimento e proteção ao meio ambiente e, portanto, é inevitável que os riscos ambientais sustentem o crescimento econômico dos povos.
b. O meio ambiente é fundamental para a vida humana e, portanto, deve ser intocável.
c. São as riquezas acumuladas nos países ricos, em prejuízo das antigas colônias durante a expansão colonial, que devem, hoje, sustentar o crescimento econômico dos povos.
d. Os países subdesenvolvidos são os únicos que praticam esta ideia, pois, por sua baixa industrialização, preservam melhor o seu meio ambiente do que os países ricos.
e. Deve-se buscar uma forma de progresso socioeconômico que não comprometa o meio ambiente sem que, com isso, deixemos de utilizar os recursos nele disponíveis.
Questão 6
O arquiteto paisagista Fernando Chacel vem colocando em prática e popularizando o conceito de ecogênese. Segundo Chacel, ecogênese “deve ser entendida como uma ação antrópica e parte integrante de uma paisagem cultural que utiliza, para recuperação dos seus componentes bióticos, associações e indivíduos próprios que compunham os ecossistemas originais”. Ainda de acordo com o paisagista, “recriar um ecossistema é impossível, uma vez que [...] as atuais situações morfoclimáticas conduziram a situações clímaces distintas daquelas em que, há cerca de 4.000 anos, [...] os ecossistemas se estabilizaram”. Com base nesses conceitos, cabe ao arquiteto paisagista contemporâneo:
Escolha uma:
a. Trabalhar com as espécies vegetais disponíveis, hoje, no mercado, procurando conseguir o melhor resultado estético possível porque, após a destruição de determinado ecossistema, não há como recuperá-lo.
b. Entender que a reprodução parcial ou completa de ecossistemas pré-existentes é perda de tempo, pois as condições climáticas atuais são completamente diferentes das reinantes há 4.000 anos.
c. Tentar a máxima aproximação com o universo vegetal anteriormente existente, do ponto de vista biótico, ciente de que o resultado exibirá características de uma paisagem criada ou reconstruída pela mão do homem, segundo seus conceitos culturais e estéticos.
d. Inventariar as espécies vegetais anteriormente existentes na área de trabalho e reproduzir fielmente as características do ecossistema original, de forma que sua intervenção passe despercebida.
e. Trabalhar com completa liberdade na escolha das coberturas vegetais, não só porque a globalização chegou ao mercado produtor de mudas mas, também, devido à fácil aclimatação de espécies no nosso clima, onde “se plantando tudo dá”.
Questão 7
Sobre ecologia, paisagem e meio ambiente, podemos afirmar que:
Escolha uma:
a. Meio ambiente é um conjunto de unidades ecológicas que funcionam como um sistema natural e incluem toda a vegetação, animais, microorganismos, solo, rochas, atmosfera e fenômenos naturais que podem ocorrer em seus limites. Portanto, não tem ligação direta com a paisagem.
b. A paisagem não interfere na ecologia, portanto, independe do meio ambiente.
c. Há relação entre ecologia e meio ambiente, porém, como a paisagem pode ser variável, não interfere diretamente nos demais.
d. A interação entre eles é perceptível em qualquer paisagem, seja natural ou cultural, pois não há como pensarmos em ecologia ou meio ambiente sem imaginarmos um cenário para que estas possam coexistir.
e. A ecologia independe da paisagem

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.