A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Resenha: Livro, Leitura e Produção de Texto

Pré-visualização | Página 1 de 1

FACULDADE SÃO BRAZ
RESENHA:
Livro Leitura e Produção de Texto
Curitiba/2018
FACULDADE SÃO BRAZ
Anthony Góes Pinheiro
RESENHA:
Livro Leitura e Produção de Texto
Curitiba/2018
1. INTRODUÇÃO
O presente trabalho tem o intuito de construir uma resenha crítica sobre o livro Leitura e Produção de Texto, da autora Suzan de Mattos Leão Ferreira. Publicado pela Editora São Braz de Curitiba, em 2018. Esse livro foi criado com o objetivo de ser utilizado como material de apoio para a disciplina de Leitura e Produção de Texto, do curso de Licenciatura em Educação Física. 
Em síntese, o livro é composto por trinta e uma páginas, dividido em página, sumário, informações técnicas e três capítulos, denominados: aula 1 - Leitura e produção de texto; aula 2 - Recursos linguísticos de leitura e produção de texto: coesão e coerência; e por fim, aula 3 - Procedimentos de leitura e interpretação de texto: relação entre recurso linguísticos e efeitos de sentidos no texto.
É um livro dirigido ao público acadêmico, que esteja ingressando no ensino superior. Esse início da vida acadêmica é permeado por incertezas e cobranças em relação a maneira certa de se expressar e redigir texto acadêmicos nas normas cultas, dentro do que é imposto pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. 
Nesse sentido, percebendo essa importância, o livro de Leitura e Produção de Texto buscou ter em seu escopo, a base de elucidar e ensinar a importância de, ainda na academia, desenvolver a consciência e o domínio da linguagem, discorrendo sobre produções textuais, recursos linguísticos e procedimentos de leitura e interpretação de textos. Dessa forma, tornando o aluno mais apto no domínio da língua culta e da produção textual que são pré-requisitos para todo profissional que deseja ascender.
2. EXPLANANDO OS CAPÍTULOS 
Primeiramente, é necessário entender que a leitura e a produção de texto são atividades intrínsecas ao processo de ensino e aprendizagem. Assim, a autora considera que todas as estratégias, abordagens e métodos requerem a leitura e a escrita como forma de apropriação e síntese do conteúdo e que, portanto, compõem-se em habilidades importantes para todo profissional.
O domínio da leitura e escrita padrão ajuda de maneira gigantesca a vida em sociedade e principalmente na aprendizagem de outros saberes e na busca pelo conhecimento de qualquer área. 
Dessa forma, o livro inicia sua apresentação considerando o gênero textual que circula socialmente, ao lado com as maneiras no processo do escrever, como a coesão e a coerência. 
A autora aponta que o estudo de gênero textual é uma forma de classificação dos textos. Para determinar um tipo de produção de texto há muitas situações comunicativas e partindo disso, pode-se ver que os gêneros textuais dependem das diferentes formas de linguagens utilizadas nos textos ou situações comunicativas.
É necessário perceber que cada gênero textual demonstra um estilo único e se configura por conta de determinadas características. Visto que os gêneros textuais são inúmeros e que cada um deles tem uma especificidade, é correto afirmar que o estudo do gênero textual está sempre no auge. Há vinte e cinco século atrás esse tema teve início e atualmente existe uma nova compreensão deste. Mas porque isso acontece? A resposta pode ser simples e complexa, eis que a verdade é que o processo da língua muda constantemente e justamente por isso é necessário a atualização dos gêneros.
Isso explicado, a autora continua explanando sobre a comunicação linguística, ou a produção discursiva de modo geral, sendo apontado que esta não acontece de maneira isolada. Os textos são resultado de uma ação linguística em que as fronteiras são via de regra esquematizadas por seus veículos com o mundo dentro do sistema que se acompanha. 
Nesse sentido, Ferreira (2018) considera o texto como um tecido estruturado, tanto de comunicação como de artefato sócio histórico, assim, o texto é entendido como uma reconstrução do mundo e não somente um reflexo. A coesão também possui aspectos relevantes com relação a textualidade, pois demonstra padrões formais com objetivo de realizar a transmissão de conhecimentos e sentidos. Ou seja, a coesão faz menção aos caminhos pelos quais os componentes da superfície do texto e das palavras inseridas realizam contato, e acabam por unir-se entre si. Justamente por isso, a coesão está relacionada à conexão das ideias dentro do corpo de um texto e às colocações que se faz.
A coerência diz respeito aos caminhos pelos quais os elementos do campo textual e a configuração dos conceitos e relações subentendidos no texto fazem sentido. A coerência apresenta uma relação de sentido que vai aparecer entre os emitidos, teoricamente de forma global e não localizada. A coerência faz com que exista continuidade de sentido no texto e a ligação dos próprios tópicos discursivos.
Por fim, ao mencionar os processos de produção de texto, no âmbito acadêmico, a autora discorre que deve-se sair do universo viciado da redação escolar. O objetivo é que o aluno perceba que ler e escrever envolve muito mais coisas do que dominar uma técnica, mas em realidade, é ação com habilidade e competências diante do mundo, para assim construir conhecimento para apresentar construções e objetivos claros diante de situações específicas e concretas.
.
 
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Por fim, em suma, o livro traz a importância de desenvolver a consciência de como a linguagem se faz e como traçar gêneros textuais. Discorrendo para os alunos que os textos correm o mundo e proporcionam funções específicas para transmitir uma informação dentro de um caráter único, que está introduzido dentro de um dado gênero.
4. REFERÊNCIAS
FERREIRA, Suzan de Mattos Leão. Leitura e Produção de Texto. Curitiba: Editora São Braz, 2018.