prova final de educação em direitos humanos
5 pág.

prova final de educação em direitos humanos

Pré-visualização2 páginas
Conteúdo do teste
1. 
Parte superior do formulário
Pergunta 1
0.6 pontos
\u201c[...] universalidade e o reconhecimento de um núcleo comum dos direitos humanos não significam o desconhecimento da realidade e da riqueza da diversidade cultural.\u201d (Livro-texto, p. 66). Com relação a esse aspecto, assinale a única alternativa INCORRETA.
1. 
Não constituem expressões de negação, pelo contrário, contribuições essenciais para que os direitos humanos possam ser verdadeiramente universais e, ainda mais importante, para que sejam sentidos, compreendidos e respeitados.
2. 
Esse movimento universal e social reforça a universalidade dos direitos humanos, conciliando-os com a riqueza das diversidades culturais.
3. 
As particularidades religiosas, históricas, regionais e nacionais são reais e inegáveis, uma vez que elas enriquecem o conceito universal dos direitos humanos.
4. 
Aspiração universal nascida daquilo que todos os homens têm em comum: sua dignidade e consciência de pertencimento, de maneira fraterna e solidária, à espécie humana.
5. 
É uma imposição de uma ideia ligada a uma civilização particular, em determinado momento histórico.
Parte inferior do formulário
2. 
Parte superior do formulário
Pergunta 2
0.6 pontos
O texto da Declaração Universal dos Direitos Humanos, já em seu preâmbulo, considera que: 
\u201c[...] o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamentoda liberdade, da justiça e da paz no mundo[...]\u201d. 
Ao lado da Carta da ONU, a Declaração expressa que propósito? 
1. 
 Apropriar-se da Declaração é o suficiente para enfrentar os conflitos internacionais.  
2. 
Manter as gerações futuras na devastação de conflitos internacionais. 
 
3. 
Aceitar a Declaração nos respectivos países envolvidos é suficiente. 
 
4. 
Salvar as gerações futuras da devastação de conflitos internacionais, firmando as bases para uma sociedade democrática. 
5. 
Firmar as bases para uma sociedade democrática, contudo, não apoiada por ideias libertárias. 
Parte inferior do formulário
3. 
Parte superior do formulário
Pergunta 3
0.6 pontos
A Educação em Direitos Humanos tem por principal escopo:
1. 
A formação ética, crítica e política.
2. 
A formação que leva ao autoconhecimento psicológico.
3. 
A formação para o exercício da função de cargos públicos.
4. 
A formação do corpo em suas várias dimensões.
5. 
A formação sociológica e mercadológica.
Parte inferior do formulário
4. 
Parte superior do formulário
Pergunta 4
0.6 pontos
Norberto Bobbio considera que a fundamentação teórica acerca dos direitos humanos não se trata de um problema inexistente, mas de uma questão resolvida de alguma maneira a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Essa declaração caracteriza-se como:
1. 
Documento aprovado por 48 países membros da Assembleia Geral das Nações Unidas, no dia 10 de dezembro de 1948, \u201crepresenta a manifestação da única prova através da qual um sistema de valores pode ser considerado humanamente fundado e, portanto, reconhecido: e essa prova é o consenso geral acerca de sua validade\u201d.
2. 
Uma ação dos intelectuais do século XVII que estavam preocupados em buscar respostas no âmbito da razão como justificativa do poder do Estado. Daí a preocupação com os direitos humanos, inclusive da burguesia.
3. 
Declaração Universal, que nega os Direitos Humanos (DUDH) é um documento marco na história dos direitos humanos, ou a sua tentativa de instauração.
4. 
Declínio das relações feudais de produção, desenvolvimento econômico da burguesia, a Reforma Protestante, as revoltas camponesas e as guerras ocorridas durante o processo de formação do capitalismo propiciaram uma nova situação social.
5. 
concepção jusnaturalista foi resultado de transformações econômicas e sociais que impuseram mudanças na concepção de poder do Estado.
Parte inferior do formulário
5. 
Parte superior do formulário
Pergunta 5
0.6 pontos
O Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos corrobora para, exceto:
1. 
Fortalecer a cidadania e os direitos humanos.
2. 
É preciso dar espaço às vozes sociais, para que possam ser uma corrente multidimensional e plural de informações e ações.
3. 
Acesso às tecnologias para a sua produção, criando instrumentos para serem apropriados pelos setores populares e servir de base a ações educativas capazes de penetrar nas regiões mais longínquas dos estados e do país.
4. 
O compromisso com a divulgação de quaisquer conteúdos que promovam a diversidade cultural. Sabemos que qualquer expressão de multiculturalismo é salutar.
5. 
Especial ênfase deve ser dada ao desenvolvimento de mídias comunitárias.
Parte inferior do formulário
6. 
Parte superior do formulário
Pergunta 6
0.6 pontos
Sobre a Educação em direitos humanos na Constituição, há vários campos, tomemos, por exemplo, os direitos indígenas, pois, [...] o parágrafo 2º do artigo 210 da CF, estabelece que o ensino fundamental regular será ministrado em língua portuguesa, assegurada às comunidades indígenas também a utilização de suas línguas maternas e processos próprios de aprendizagem.
Sobre garantir direitos aos indígenas:
1. correta
É dos impactos mais evidentes nesse processo de articulação entre as garantias jurídicas internacionais e as conquistas nacionais, ainda mais quando pensamos que, em mais de 500 anos de história, aqueles que aqui se encontravam apenas agora começam a ver horizonte de realização de seus direitos.
2. 
É a prova de que teorias políticas que acompanharam de perto a evolução histórica dos direitos humanos no Brasil estão sendo configuradas de fato, desde o século XIX.  
3. 
É um retrocesso, tendo em vista que os índios na sua maioria foram civilizados, e tais leis não passam de um romantismo do passado se fazendo presente na Constituição de 1988.
4. 
Não pode ser considerado como um dos impactos mais evidentes nesse processo de articulação entre as garantias jurídicas internacionais e as conquistas nacionais.
5. 
É fruto da consciência política dos legisladores, que tal fato é evidenciado ao longo da história do Brasil.
Parte inferior do formulário
7. 
Parte superior do formulário
Pergunta 7
0.6 pontos
No que se refere aos princípios da Educação em Direitos Humanos, podemos dizer que o princípio da LAICIDADE DO ESTADO:
1. 
Refere-se ao enfrentamento dos preconceitos e das discriminações.
2. 
Está relacionado a uma concepção de existência humana fundada em direitos.
3. 
Diz respeito à necessária condição de igualdade na orientação das relações entre os seres humanos.
4. 
Constitui-se em pré-condição para a liberdade de crença garantida pela Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948 e pela Constituição Federal Brasileira de 1988.
5. 
Deve estimular o respeito ao espaço público como bem coletivo e de utilização democrática de todos (as).
Parte inferior do formulário
8. 
Parte superior do formulário
Pergunta 8
0.6 pontos
\u201c[...] as lutas pela anistia, pela convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte e pelo retorno das eleições diretas para a presidência da República acabaram por insuflar e se misturar com as lutas sociais implementadas pelos trabalhadores urbanos e rurais, as quais levariam ao surgimento de novos movimentos sociais e organizações sindicais e partidárias (MONDAINI, 2009, p. 59).\u201d \u2013 Livro-texto, p. 16)
O trecho acima fala da Ditadura no Brasil. Sobre o assunto, assinale a única alternativa que não se relaciona a esse período.
1. 
Cacilda Becker surge como uma militante diante dos efeitos da ditadura militar. Foi demitida da TV Bandeirantes, porque sua interpretação era considerada subversiva pela Censura.
2. 
Contou também com o sustentáculo efetivo das classes artística e cultural, como de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre outros.
3. 
Não só na música, mas também na educação. Paulo Freire, pedagogo pernambucano, exilado no Chile durante a ditadura, escreveu entre 1967 e 1968, com uma força militante, sua obra mais conhecida, Pedagogia do oprimido.
4. 
José Celso Martinez Corrêa cria o Teatro Oficina, palco de resistência e protesto