RESPOSTA DA AV 1 HISTOLOGIA EEMBRIOLOGIA (2)
3 pág.

RESPOSTA DA AV 1 HISTOLOGIA EEMBRIOLOGIA (2)

Pré-visualização2 páginas
Reposta 1
Para se estudar o desenvolvimento embrionário utiliza-se de uma escala de tempo dividida a cada sete dias consecutivos e ininterruptos, partindo esse processo desde a fertilização.
	a ovogênese, processo responsável por transformar uma célula germinativa feminina em um ovulo maduro é uma etapa primordial para concepção da vida. No período pré-natal as células germinativas diploides encontradas no avario sofrem sucessivas divisões mitóticas provocando assim um aumento em sua quantidade e no final há um crescimento dessas células tornando-as em ovócitos primários. Esse ovócito quando maduro somente completará a primeira divisão meiótica pouco antes de ser liberado, tornando assim um ovócito secundário (célula haploide). Posteriormente na ovulação, o ovócito secundário inicia a segunda divisão meiótica, mas é interrompido na fase de metáfase e essa fase só será completada se um espermatozoide o fecundar. 
	O gameta feminino é liberado durante a ovulação, esse ovócito é liberado do ovário e logo capturado pelas fimbrias já dentro da tuba uterina através de movimentos lentos provocados por células epiteliais ciliadas o ovócito é conduzido ate a ampola sendo que esse transporte pode levar ate 72 horas, caso ocorra uma fecundação o ovulo continua a ser conduzido em direção ao útero.
	 A fecundação se dar quando o espermatozoide ao encontrar o ovócito atravessa a corona radiata e se liga à zona pelúcida para assim conseguir atravessar essa região e implantar seu material genético através do espaço perivitelino, será nesse momento que o ovócito terminara sua segunda divisão meiótica e formara então um ovulo. Em seguida esses matérias genéticos que foram organizados agora chamados pronúcleos (masculino e feminino) rompem suas membranas e se unem formando o zigoto.
Após esse período que compreende a fertilização iniciamos a clivagem que se trata de divisões mitóticas consecutivas que o zigoto sofrerá o que eventualmente provocará um aumento do número de células e essas células serão chamadas de blastômeros. Assim temos os estágios de 2 células, 4 células e 8 células e quando há cerca de 16 blastômeros temos então a mórula e posteriormente essa estrutura chamara-se blastocisto, as células do interior da estrutura que estão compactada permitem que haja uma cavidade repleta de liquido, chamada de blastocele.
	O blastocisto tem sua zona pelúcida degenerada permitindo assim o seu rápido crescimento. Desde de uma única célula haploide até essa complexa célula o blastocisto essa estrutura estava em movimento através da tuba uterina até chegar no útero onde haverá um processo denominado Nidação que é a implantação do blastocisto no útero mais exatamente no endométrio 
Questão 2
O tecido epitelial pode ser encontrado nas formas de revestimento e glandular, a função de revestimento apresenta a característica de recobrir a superfície corporal e promover assim proteção ao corpo é presente também no revestimento de órgãos, vasos sanguíneos e linfáticos e cavidades do corpo. As funções desse tecido são secreção, função germinativa, sensorial, absorção e excreção.
As células presentes no tecido epitelial de revestimento apresentam formas pavimentosas (largura e comprimento maior que sua altura), Cubicas (largura, altura e comprimento iguais) e colunares (altura maior que a largura e comprimento). São classificadas também quanto ao numero de camadas, sendo: Simples (apresentam apenas 1 camada de células) e estratificado (apresenta mais de uma camada de células).
	Já as células presentes no tecido epitelial glandular são células glandulares especializadas em secreção de diversos elementos. O tecido glandular pode ser classificado em dois grandes grupos: Glândulas endócrinas (não apresentam ductos sendo que a secreção de hormônios será para os vasos sanguíneos) e glândulas exócrinas (apresentam ducto secretor por onde as secreções podem passar).
Questão 3
	TECIDO SANGUINEO
Um tecido conjuntivo especializado e pode ser visualizado por meio de esfregaço com corantes especiais. Nos seres humanos, é um fluido viscoso, de cor vermelha (com tonalidade variável), com pH levemente alcalino (7,4). Em um homem normal, com cerca de 70Kg, seu volume total corresponde a aproximadamente 5,5 litros. Desempenha papel fundamental para o transporte de gases, como O2 e CO2, bem como nutrientes para as células, seus produtos tóxicos resultantes do metabolismo, calor, hormônios e outras substâncias reguladoras de atividade celular, eletrólitos e células de defesa. O tecido sanguíneo é composto por células sanguíneas:
\u2022 Glóbulos vermelhos (ou eritrócitos ou hemácias);
\u2022 Glóbulos brancos (ou leucócitos);
\u2022 Plaquetas;
\u2022 Plasma: líquido com compostos orgânicos e inorgânicos.
Plasma: Refere-se à parte líquida do sangue, uma solução aquosa com proteínas (a maioria sintetizada pelo fígado), aminoácidos, vitaminas, hormônios, glicose e sais inorgânicos.Entre as proteínas presentes no plasma, destacam-se:
Albumina: Relacionada com a regulação da pressão osmótica do sangue
Globulina: Relacionada aos anticorpos atuantes na defesa do organismo
Fibrinogênio: Relacionada ao processo de coagulação sanguínea
Elementos figurados: São as células sanguíneas, plaquetas, glóbulos vermelhos e glóbulos brancos (neutrófilos, eosinófilos, basófilos, monócitos e linfócitos).
Plaquetas: São resultantes da fragmentação do citoplasma dos megarócitos residentes na medula óssea, pequenas, com forma de disco e anucleadas. Normalmente, há cerca de 200 mil a 400 mil plaquetas por mm3 de sangue. Possuem grânulos, com fatores de coagulação, fator de crescimento derivado de plaquetas e glicoproteínas de adesão. Por isso, as plaquetas são envolvidas na coagulação sanguínea, ajudando na recuperação de lesões na parede dos vasos, evitando assim, a hemorragia
Hemácias: Nos humanos, são anucleadas e apresentam a forma de disco bicôncavo, que proporciona aumento da área de superfície, essencial para a troca de gases. São flexíveis, permitindo sua deformação ao passar por capilares, por exemplo. A concentração normal é de 4,5 por mm3 de sangue na mulher e 5,5 por mm3 de sangue no homem. Quando o sangue apresenta dimensões variadas e anormais de hemácias, ocorre a chamada anisocitose.
Glóbulos brancos: Conhecidos como leucócitos, são originados na medula óssea e transportados pelo sangue até o local de atuação, por meio de um processo chamado de diapedese. Têm grande função na defesa do organismo.
· Granulócitos: quando possuem grânulos visíveis em seu citoplasma, podemos incluir neutrófilos, eosinófilos e basófilos;
· Agranulócitos: quando não apresentam esses grânulos visíveis no citoplasma dos quais fazem parte os monócitos e os linfócitos
A quantidade de leucócitos pode variar, mas são, aproximadamente, entre 6 mil e 10 mil por mm3 no sangue.
\u2022 Acima dos valores considerados normais é uma leucocitose;
\u2022 Abaixo dos valores, é chamada de leucopenia.
Neutrófilos: Conhecidos também como polimorfonucleares, cujo núcleo apresenta de dois a cinco lóbulos, que são ligados entre si por meio de uma fina ponte de cromatina. Apresentam grânulos específicos (contêm fosfatase alcalina, colagenase, lactoferrina, lisozima, entre outras que também apresentam papel bactericida ou bacteriostático), e grânulos azurófilos (lisossomos). A célula, quando jovem, não se encontra com núcleo fragmentado, sendo chamada de bastonete (com seu núcleo em forma de bastonete curvo). Eles constituem a primeira linha de defesa do sistema imune e atuam por meio de fagocitose.
Eosinófilos: Encontram-se em menor quantidade que os neutrófilos. Apresentam núcleo bilobulado, com presença de grânulos maiores e ovoides que ocupam quase todo seu citoplasma. Por serem células especializadas para a fagocitose, relacionam-se ao processo alérgico e à destruição parasitária.
Monócitos: São as maiores células sanguíneas, o núcleo é excêntrico - pode apresentar forma ovoide ou de ferradura. Essas células se diferenciam em macrófagos, que também são altamente especializados em fagocitose
Linfócitos: São compostos por uma subpopulação