A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Poesia Folclórica

Pré-visualização | Página 1 de 4

LITERATURA 
INFANTOJUVENIL 
Mariana Terra Teixeira
Poesia folclórica
Objetivos de aprendizagem
Ao final deste texto, você deverá apresentar os seguintes aprendizados:
  Reconhecer a importância da poesia folclórica no processo de apren-
dizagem da criança.
  Desenvolver atividades relacionadas à poesia folclórica.
  Identificar a importância da relação da criança com a sonoridade e o 
papel da poesia folclórica.
Introdução
No que diz respeito ao ritmo e aos sons, a relação que a criança cria 
com a sonoridade é muito importante para o desenvolvimento de suas 
habilidades de leitura e de interpretação textual. A poesia, em geral, e a 
poesia folclórica, em específico, têm papel fundamental na criação da 
relação criança-sonoridade. Dessa forma, desenvolver atividades peda-
gógicas relacionadas à poesia com as crianças em sala de aula as ajuda 
a desenvolver a consciência de rima, a consciência dos sons das letras, 
dos sons das sílabas. Isso irá auxiliá-las a aprender a ler e a escrever, ou 
desenvolver mais ainda suas habilidades de leitura. Tanto a capacidade 
imagética da poesia quanto o lúdico também contribuem para o processo 
de aprendizagem do mundo. Isso porque, por meio da poesia, a criança 
experiência diferentes mundos possíveis e estimula sua imaginação.
A importância da poesia folclórica no processo 
de aprendizagem da criança
A poesia folclórica é um texto poético com características específi cas.
Ela combina as características formais da poesia com o folclore de um povo. 
Folclore é a cultura de um povo tradicionalmente passada de geração para 
geração oralmente, por meio de contações de histórias, narrativas orais, can-
tigas, versos, lendas, ritos. Portanto, a poesia folclórica tem a forma do gênero 
poético, ou lírico, e o seu conteúdo é o folclore.
Gêneros literários são um conjunto de textos e obras que apresentam ca-
racterísticas similares de forma e conteúdo. Segundo a teoria literária clássica, 
eles são divididos em três grandes grupos: gênero épico e/ou narrativo, gênero 
lírico e gênero dramático. Os gêneros literários se diferenciam pelos seus 
gêneros discursivos/textuais. Eles se servem da realidade para criar mundos 
fictícios, fantásticos, ou para criar uma interpretação ou versão alternativa 
da realidade, utilizando-se da linguagem literária. Assim, a ficcionalidade 
é uma das características principais do texto literário (ainda que nem toda 
literatura seja ficcional). Outra característica é a linguagem literária, aquela 
cuidadosamente selecionada pelo autor, uma linguagem estética ou poética, que 
pode utilizar metáforas, efeitos sonoros e visuais, além de jogos de palavras, 
e tem como objetivo, por exemplo, a fruição do texto pelo leitor ou estimular 
sua reflexão, seu pensamento. Quando são obras de ficção, ou sobre mundos 
fantásticos, as obras literárias ainda assim precisam ter verossimilhança. Não 
necessariamente o que está sendo contado, declamado ou lido precisa existir 
no mundo real, mas a história inventada necessita de verossimilhança, isto 
é, lógica interna (i.e., o que ocorre no interior da história deve fazer sentido 
naquele mundo interno ao texto).
A poesia folclórica pertence ao gênero lírico, como dito anteriormente. Esse 
gênero tem características formais e de conteúdo bem marcantes. Referente 
ao seu conteúdo, seu traço essencial é o lirismo, definido como sentimentos 
exacerbados ou muitas emoções. Ou seja, a temática lírica sempre envolve 
emoção e sentimentos. O eu-lírico fala a partir do seu ponto de vista, tudo 
passa pelos seus pensamentos, por sua perspectiva, por isso esses textos são 
geralmente em primeira pessoa. A subjetividade e as emoções daquele que 
escreve ou fala são evidentes. O principal exemplo do gênero lírico é a poesia. 
Esse gênero também possui características formais bem evidentes. Os poemas 
são escritos ou declamados em versos, podendo haver métricas bem precisas, 
que dão ritmo e melodia às poesias. Outras características formais do gênero 
lírico são as combinações das palavras, as rimas, as aliterações. Um exemplo 
dessa precisão de características formais são os sonetos, poemas que surgiram 
na Idade Média e ainda existem nos dias de hoje. Os sonetos são poemas com 
quatorze versos, sendo estes divididos em quatro estrofes: dois quartetos e 
dois tercetos. Isto é, a primeira e a segunda estrofes de um soneto possuem 
quatro versos, e as duas últimas, três versos. Nos sonetos, como geralmente 
ocorre na poesia em geral, os versos rimam. Cada verso de um soneto possui 
Poesia folclórica2
dez sílabas, por isso dizemos que os versos são decassílabos, explicando a 
métrica rigorosa característica da linguagem poética mais clássica. Pela qua-
lidade da linguagem da poesia, ela é um gênero interessante para ser usado 
em sala de aula, com as crianças, principalmente em fase de alfabetização, 
como veremos na última seção deste capítulo.
A poesia folclórica é um tipo específico de poesia, pois faz parte da litera-
tura folclórica. Trata-se, então, de uma literatura popular, apesar de nem toda 
literatura popular ser folclórica. Segundo Cascudo (2006), o folclore tem quatro 
elementos essenciais: a antiguidade, a persistência, o anonimato e a oralidade. 
Portanto, para a poesia ser folclórica, ela deverá ter esses quatro elementos. É 
o mesmo caso de um canto, um conto, uma dança, uma lenda, uma anedota, 
um mito, que, para fazerem parte do folclore de uma comunidade, precisam, 
segundo o autor, de indefinição cronológica. Por exemplo, podemos pensar 
cantigas como “Boi da cara preta” e em versos sempre ditos às crianças, 
passados de geração em geração, que não sabemos bem de quando é, pois 
sabemos que são antigos, mas não conseguimos precisar a data. Os versos a 
seguir são um exemplo de poesia folclórica:
Batatinha quando nasce espalha a rama pelo chão.
Menininha quando dorme põe a mão no coração.
Sou pequenininha do tamanho de um botão,
Carrego papai no bolso e mamãe no coração
O bolso furou e o papai caiu no chão.
Mamãe que é mais querida ficou no coração.
Não sabemos de que época são os versos acima, tampouco sabemos quem 
os escreveu. Se tentarmos procurar na internet o autor, não conseguiremos 
achar, pois o autor é anônimo ou desconhecido. Esses versos são passados 
oralmente para as crianças e persistem na tradição do povo brasileiro, agora 
em sua versão escrita também. Dessa forma, a poesia folclórica citada possui 
os quatro elementos que definem folclore, segundo Cascudo (2006): são versos 
antigos, anônimos, persistentes e ditos oralmente para as crianças. O folclore 
vem da memória coletiva e é sempre popular. É também sobrevivência, pois 
é uma tradição que resiste ao esquecimento e é sempre citada, em um ou 
outro momento. Cascudo entende por tradição o ato de entregar, transmitir, 
passar adiante, “[...] um processo divulgativo do conhecimento popular ágrafo” 
(CASCUDO, 2006, p. 27). Dessa forma, a poesia folclórica é uma tradição, são 
versos, rimas, cantigas passadas de geração em geração oralmente, pelo povo.
3Poesia folclórica
Poesia folclórica e aprendizagem
A importância da poesia folclórica na aprendizagem da criança vem das caracte-
rísticas estéticas formais da linguagem desse gênero discursivo e do seu conteúdo 
folclórico. O público-alvo da poesia folclórica infantil são as crianças. No entanto, 
segundo Bordini (1986), autora clássica da literatura infantil, para um texto poético 
infantil ser de qualidade, a sua condição artística e estética devem ser prioridades 
do escritor, antes de a poesia ser relacionada ao leitor infantil, pois, segundo a 
autora, essas duas condições fazem parte da construção da poesia como obra 
de arte. Assim, a linguagem literária e o aspecto artístico do texto poético estão 
presentes tanto na poesia destinada a adultos quanto na poesia infantil.
São três as características da linguagem da poesia que são importantes na 
aprendizagem da língua e do mundo pelas crianças: o ritmo, a imagem e o lúdico. 
O ritmo é constituído