A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
53 pág.
Fisioterapia nas Praticas integrativas e Complementares no SUS

Pré-visualização | Página 1 de 4

Praticas integrativas e complementares de saúde (PICS)
Oque são as práticas integrativas e complementares em saúde (PICS)? 
São um conjunto de sistemas de pensamentos e utilização de recursos naturais na área da saúde que buscam estimular os mecanismos naturais, visando a promoção prevenção e recuperação da saúde, através de métodos eficazes e seguros. 
Como surgiu as Praticas Integrativas e Complementares em Saúde?
Em 1972 a Organização mundial de Saúde (OMS) criou um departamento de Medicina Tradicional a fim de encorajar os países membros a utilizarem uma abordagem mais natural, surgindo assim a Política Nacional de Praticas integrativas e complementares, considerando além da prevenção dos agravos e recuperação, uma abordagem ampla do processo de saúde e doença e promoção do cuidado humano. 
As primeiras recomendações para a implantação das medicinas tradicionais e práticas complementares difundiram-se em todo o mundo no final dos anos de 1970 
Primeira Conferência Internacional de Assistência Primária em Saúde (Alma Ata, Rússia, 1978) 
Ganhando força no Brasil a partir da 8ª Conferência Nacional de Saúde (1986), e desde então se expandiu.
Por meio de Relatórios e Portarias, diversos documentos e eventos nacionais passaram a fazer parte da trajetória de implantação das práticas integrativas, destacando-se o esforço de regularizar essas praticas
8ª Conferência Nacional de Saúde (1986) 
Em 2002 a atenção básica da Secretária Municipal de Saúde de SP procurou fortalecer as ações de promoção da saúde ainda não praticadas nesse setor, melhorando os recursos já existentes para ampliar o campo de ação para incluir outros modos terapêuticos de atuação em benefício das políticas públicas e da comunidade
Até o ano de 2006 essas praticas eram realizadas no âmbito do sistema particular e privado pois ainda não eram regularizadas no sistema do SUS.
Mesmo essas praticas não sendo constitucionalizada, muitos profissionais de saúde capacitados já realizavam essas praticas como complemento aos tratamentos no âmbito do SUS.
Pensando no principio da integralidade o ministério da saúde viu a importância de institucionalizar esses praticas dentro do SUS, e através de um instrumento de avaliação realizada em todo o Brasil, o ministério da saúde concluiu um diagnostico da importância dessas praticas de cuidados para os usuários do SUS 
Então em 3 de maio de 2006 o ministério da saúde instituiu a Portaria Ministerial Nº 971 e junto com a Portaria Ministerial Nº 1600 de 17 de julho de 2006, criando a Politica Nacional de Praticas Integrativas e Complementares no âmbito do SUS (PNPICS), com intenção de implantar e adequar ações na medicina no Brasil.
Brasil. Ministério da Saúde 2006
Incluindo assim em 2006 as primeiras 5 praticas complementares no âmbito do SUS no Brasil. 
Desde então, a oferta das práticas integrativas e complementares vem aumentando totalizando 29 praticas, contribuindo para ampliar a integralidade da assistência, de forma humanizada e acolhedora.
Crescimento das Praticas Interativas e complementares no Brasil
Dados estatísticos 
Inicio de 2000 – apenas 6 unidades das secretarias municipal de saúde adotavam as PICS no estado de SP
2002 – com o uso continuo e referenciais de educação da secretario municipal de saúde de SP ,iniciou-se o processo de expansão maciça em toda a rede de saúde. 
Com o uso das praticas integrativas como complemento de tratamento em saúde no SUS, ouve um crescimento de 46%, passando de 216 mil para 315 mil, entre 2017 e 2018 em todo o Brasil 
Atualmente 9.350 estabelecimentos de saúde no Brasil ofertam 56% dos atendimentos das PICS em atendimento individual e coletivo 
Compondo 8.239 (19%) estabelecimentos na Atenção Básica que ofertam PICS, distribuídos em 3.173 municípios.
Ministério da saúde Março de 2019 
Conceito de cura 
Fundamentos da patologia e da terapêutica 
Hipócrates de Cós : Séc. V a C 
Escola Hipocrática 
Já utilizava a homeopatia de tratamento das doenças com a utilização de medicamentos que causavam determinados sintomas em indivíduos sadios para tratar sintomas semelhantes aos dos indivíduos doentes com o intuito de estimular a reação curativa do organismo, onde analisou que a ação direta dos princípios ativos estimulava os mecanismos de defesa 
Técnicas milenares 
Quais são os mecanismos naturais de defesa envolvidos. 
Imunológicos 
Metabólicos 
Autonômicos
Centrais 
Psicossociais 
Quântico, energéticos, bioenergéticos, espirituais
Com as PICS os mecanismos de defesa são estimulados em busca de, promover a recuperação da homeostase e equilíbrio para a recuperação da saúde. 
Casos em que a PICS podem contribuir 
para a manutenção da saúde 
Problemas de saúde de causas multifatoriais 
Tratamento de doenças crônicas e degenerativas 
Diminuir os fatores de riscos associados 
Problemas de saúde autolimitados 
Melhorar a qualidades de vida 
Prevenção e autocuidado 
Objetivos das PICS
 Tem como objetivo uma escuta acolhedora e criar um bom desenvolvimento do vinculo entre o paciente e o profissional especializado, e melhorar a integração dos seres humanos em relação natureza e a sociedade, ampliando a visão entre a relação saúde e doença e aumentar os resultados dos tratamentos dentro do SUS. 
Profissional 
sociedade
Doença
Saúde 
Natureza
As praticas tem como objetivos gerais: Promover hábitos saúdaveis, prevenção e tratamento complementar de doenças, interação social, melhorar a relação com a nutereza, melhorar a relação do paciente com a doença, melhora de dores cronicas. Com as PIC, os paciente tem melhor relação com a doença o que facilita o tratamento fazendo o paciente se envolver com responsabilidade, pois muitas praticas trabalham o bem-estar buscando equilibrio fisica e psicologica.
Benefícios Gerais das PICS
 
Com a PIC os profissionais tem uma visão geral dos pacientes e processo saúde doença, sendo assim uma pratica de cuidados a saúde mais também uma estrategia de que irá promover mudanças na rotina desse paciente, trazendo ao paciente e a comunidade a importancia do autocuidade.
As Práticas Integrativas e Complementares não substituem o tratamento tradicional. Elas são um adicional, um complemento no tratamento e indicadas por profissionais específicos conforme as necessidades de cada caso.
	
Conhecendo as Praticas Integrativas e Complementares. 
Ozonioterapia 
A ozonioterapia consiste num processo em que é administrado gás de ozônio no corpo para tratar alguns problemas de saúde.
Beneficios: O ozônio é um gás composto por 3 átomos de oxigênio que tem importantes propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antissépticas, além de ter um efeito de melhora da oxigenação dos tecidos, assim como fortalecimento do sistema imune.
Utilizados nos tratamento: de artrite, dor crônica, feridas infectadas e atraso da cicatrização
problemas respiratórios, distúrbios do sistema Imune, câncer (junto com a radioterapia) 
.
Método: intravenosa, via intramuscular ou por insuflação retal.
Contraindicado: casos de gravidez, infarto agudo do miocárdio,
 hipertireoidismo não controlado, intoxicação alcoólica ou
 problemas de coagulação, especialmente casos de favismo 
(anomalia hereditária que afeta o sangue
Embora tenha sido aprovada pelo Ministério da Saúde, o Conselho Federal de Medicina (CFM) não concorda com a sua aplicação no país.
Relatando não ter resolubilidade e fundamento na Medicina Baseada em Evidência .Ou seja, ignora a integração de habilidade clínica com a melhor evidência científica disponível.
O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), explica que com bases nos estudos mais recentes e conceituados, o CFM entende que o uso da ozonioterapia no tratamento de doenças “não oferece aos médicos e pacientes a certeza de que é um procedimento eficaz e seguro.”
Fitoterapia
Fitoterapia é o recurso de prevenção e tratamento de doenças através das plantas medicinais, e a forma mais antiga e fundamental de medicina da Terra com