A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
ETAPA 2 - A construção da ideia de Direitos Humanos as lutas da Sociedade Civil Organizada

Pré-visualização | Página 2 de 5

UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
4 Direitos Humanos
Não somente os iluministas, como também os socialistas no 
século XIX, passaram a ter uma visão crítica do mundo e da 
realidade social. Pois, na Europa, estava se processando a 
Revolução Industrial, situação na qual milhares de homens, 
mulheres e crianças trabalhavam em fábricas insalubres, 
instaladas nas poluídas cidades, além de contar com 
péssimos salários. Owen, Charles Fourrier, Sant-Simon, além 
de Karl Marx e Engels, foram os principais formuladores de 
propostas nas quais os trabalhadores poderiam viver com 
maior conforto e dignidade. Os socialistas não eram os 
únicos a pleitear uma vida com maior dignidade no mundo da 
Revolução Industrial. As igrejas cristãs tinham também uma 
política clara de tentativa de solucionar os problemas da 
sociedade. Nos países protestantes eram comuns os pastores 
do proletariado. Nos países de maioria católica surgiram 
movimentos como a Juventude Operária Católica, fundada 
pelo Monsenhor Cardjam, na Bélgica. Todavia, a encíclica papal 
Rerum Novarum, de autoria do pontífi ce Leão XIII, foi uma das 
principais oposições dos cristãos católicos à exploração do 
homem pelo homem na sociedade capitalista (PIERRAD, 2002, 
p. 238-280). 
No século XX, as ideias sociais se transformaram com a Revolução 
Russa de 1917 (HOBSBAWN, 2000). Pois, a partir daquele momento, um 
Estado se afi rmava portador de uma nova forma de organização social, 
baseada no igualitarismo através da Ditadura do Proletariado. Contudo, a 
ditadura do proletariado acabou por se transformar em uma ditadura na qual 
os funcionários da burocracia do Estado soviético se apossaram do papel 
desenvolvido pela burguesia na exploração econômica do trabalho humano. 
Os diversos crimes cometidos por Joseph Stalin, líder máximo da revolução e 
que punia seus adversários de formas cruéis, como pena de morte e degredo 
na Sibéria, foram uma triste prova de que o materialismo-dialético marxista 
não foi efi caz em estabelecer justiça social para os homens e as mulheres.
No século XX, outros ideais sociais permearam a defesa de direitos dos 
homens. As igrejas cristãs continuaram a desenvolver ideários de solidariedade. 
Porém, o principal fator para a constituição do conceito de direitos humanos 
foi o amplo desenvolvimento das ciências humanas. Pois o desenvolvimento 
das ciências sociais permitiu às sociedades humanas uma maior consciência 
das formas com as quais as estruturas organizacionais e institucionais se 
desenvolvem e podem ser aprimoradas. 
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
5A Construção da Ideia de Direitos Humanos: As Lutas da Sociedade Civil 
Organizada e os Direitos Constitucionais
2 A CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DIREITOS HUMANOS COMO 
RESULTADO DAS LUTAS DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA
 Podemos entender a sociedade civil organizada como um conceito 
sociológico criado pelo sociólogo italiano Antônio Gramsci, intelectual que 
viveu no início do século XX e perseguido pelo fascismo. “O objetivo deste 
conceito é compreender a importância de associações criadas pelos indivíduos 
como possibilidade de representação da sociedade perante o governo” 
(BOBBIO, 2003, p. 33-52). Associações criadas para a defesa das crianças, dos 
animais e das mulheres conquistam respeito e simpatia por parte dos órgãos 
do Estado, e por vezes são responsáveis pela melhora da vida da população. 
Grupos de representação organizados muitas vezes tiveram maior efi ciência que 
os partidos políticos e as “vanguardas de esquerda” na transformação social.
Todavia, os grupos organizados tiveram as mais distintas infl uências em 
seu ideário. Pois a construção do conceito de direitos humanos passa por vários 
e distintos ideais. O pensamento cristão, o iluminismo, as ideias socialistas e 
liberais infl uenciaram as sensibilidades na construção do conceito. Porém, outro 
dado importante foram os mais distintos movimentos sociais que questionaram 
a exploração e aviltamento da dignidade dos seres humanos. Podemos citar o 
movimento abolicionista, o movimento sufragista, o movimento pelos direitos 
das crianças e das mulheres, como principais motivadores.
O movimento abolicionista ganhou corpo no Ocidente a partir do século 
XIX, quando importantes nações (em especial a Inglaterra) encamparam esta 
luta como uma política nacional a ser imposta a outros países. O surgimento 
do abolicionismo inglês data ainda do século XVIII, no interior de igrejas 
protestantes, em especial os Quakers e Metodistas.
Uma das acusações de alguns países era a de que o movimento 
abolicionista inglês não desejava apenas a promoção humana, 
mas sim a expansão de assalariados, futuros consumidores dos 
produtos produzidos na Grã-Bretanha. Independente das 
motivações, foi uma importante pressão política a realizada 
por ingleses, inclusive para a extinção da abolição em nosso 
país (CARVALHO, 2009, p. 83-84). 
O movimento sufragista foi muito forte em diversos países do mundo 
nas primeiras décadas do século XX, em especial nos anos posteriores à Primeira 
Guerra Mundial. Tratou-se da luta das mulheres pelo direito de voto. Esta luta 
por participação política é uma extensão da ideia democrática no Ocidente. O 
direito de votar e de participar de eleições foi conquistado paulatinamente 
em diversos países ocidentais. Após a Segunda Guerra Mundial, praticamente 
todos os países ocidentais já haviam concedido o direito às mulheres.
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
6 Direitos Humanos
FIGURA 3 – DIREITOS FEMINISTAS
FONTE: Disponível em: <http://rentfrockrepeat.com/site/2012/03/08/international-
womens-day-2012/suff ragettes/>. Acesso em: 2 out. 2012.
O movimento pelo direito das crianças se originou ainda no século XIX. 
Porém, até a segunda metade do século XX o trabalho infantil era uma tônica 
no mundo capitalista. As crianças trabalhavam em condições aviltantes, e, 
com suas mãos e corpos pequeninos, eram as prediletas para encargos nos 
quais os adultos tinham difi culdades, como na limpeza de chaminés, além de 
algumas máquinas das linhas de produção têxtil e automotivas. Somente nas 
décadas fi nais do século XX o trabalho infantil começou a ser duramente 
combatido, pois o trabalho era considerado até mesmo saudável, por ser 
portador de valores morais positivos. Todavia, a ideia básica que hoje permeia 
as legislações nos mais variados países é a de que o lugar de criança é na escola. 
Sendo inclusive os pais penalizados caso as crianças venham a ter sua mão de 
obra explorada. 
Os movimentos sociais são um dos principais motivadores para a conquista 
de direitos humanos e sociais, tanto no Brasil como ao redor do mundo. 
3 DE UM CONCEITO SOCIOLÓGICO AO CONCEITO JURÍDICO: 
DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO BRASILEIRA
A Declaração Universal dos Direitos Humanos se relaciona de forma 
íntima com a política externa brasileira, pois foi na presidência de um brasileiro 
como secretário-geral das Nações Unidas, o chanceler Oswaldo Aranha. 
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
7A Construção da Ideia de Direitos Humanos: As Lutas da Sociedade Civil 
Organizada e os Direitos Constitucionais
Porém, a construção de noções e de direitos humanos no Brasil foi o resultado 
de diversas lutas sociais. Uma das primeiras leis que envolveram a dignidade 
da pessoa humana no Brasil foi a Lei Afonso Arinos. Datada de 1951, considera 
o racismo crime inafi ançável. Outras leis foram paulatinamente criadas, porém, 
a grande marca da materialização do conceito de direitos humanos como um 
dispositivo legal no Brasil foi a Assembleia Nacional Constituinte de 1988. 
As constituições brasileiras após a independência de Portugal foram 
expressões dos tempos nas quais foram escritas. A primeira Constituição data 
de 1824, e foi