A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Abordagem Inicial do Paciente Traumatizado

Pré-visualização | Página 1 de 2

AULA 2  
Manuella Soussa Braga  
Disciplina de Trauma Dental - 2020/2  
  
Abordagem Inicial do Paciente Traumatizado  
  
O traumatismo dentário é considerado uma situação              
emergencial. Se o trauma estiver relacionado com              
acidentes que comprometam a vida do paciente, o                
atendimento médico deverá ser priorizado. Entretanto,            
quando não há risco de morte, o atendimento inicial pode                    
ser realizado no consultório odontológico. Após um trauma,                
o paciente traumatizado pode recorrer por 3 caminhos:   
  
trauma > hospital  
Geralmente ocorre com traumas que tiveram fatores              
etiológicos mais severos (como acidente de carro e moto,                  
por exemplo) e o paciente corre risco de vida. É o local mais                          
fácil e mais simples do paciente procurar. Depois do                  
atendimento no hospital, o paciente é encaminhado ao                
dentista.   
  
trauma > unidade de saúde ou consultório particular  
O dentista é o primeiro a ter contato e deve tomar a                        
decisão do exame emergencial.   
  
trauma > o paciente não procura ninguém   
Geralmente acontece em casos em que, após o trauma, não                    
há nada estético evidente incomodando o paciente e ele                  
considera que não há necessidade de atendimento. No                
entanto, traumas como luxações e fraturas radiculares              
podem não mostrar problemas estéticos.   
  
Para todos os 3 casos, o protocolo de atendimento inicial é  
bastante semelhante!  
  
ANAMNESE  
  
● Identificação e dados pessoais  
● Condição sistêmica  
● Imunização  
● Histórico de trauma anterior  
  
Identificação  
Deve-se fazer uma anamnese bem feita, levantando dados                
de identificação e contato do paciente. No caso de                  
pacientes crianças, é super importante que se direcione as                  
perguntas pro responsável, para que este possa confirmar                
as respostas e para que nenhuma informação errada seja                  
coletada.  
  
Quando o paciente te procura após o trauma e se observa                      
sinais de confusão mental, deve-se encaminhar o paciente                
imediatamente para o hospital, pois pode ser indícios de                  
traumatismo craniano.   
  
Condição Sistêmica  
Deve-se questionar a condição de saúde sistêmica do                
paciente, incluindo alergias, medicamentos utilizados e            
doenças, por exemplo. Nos atendimentos de traumatismo              
dentário, geralmente na consulta inicial já se tem uma                  
necessidade de intervir, então tem que saber toda a                  
condição sistêmica desse paciente.   
  
Imunização  
Deve-se questionar se o paciente está com a vacinação em                    
dia, principalmente nos casos de reimplante dentário e                
principalmente em relação a vacina contra o tétano (vacina                  
penta e tríplice - 3 doses com 2, 4 e 6 meses e 2 reforços                              
com 15 meses e 4 a 6 anos de idade).   
  
Histórico de trauma anterior  
Questionar se há histórico de trauma anterior, pois, em                  
algumas situações, pode se tratar de um trauma                
reincidente (por exemplo: há um trauma de um ICS e, na                      
radiografia, esse elemento está todo reabsorvido,            
provavelmente o incisivo sofreu naquele momento um              
segundo trauma que levou a uma reabsorção avançada).   
  
Traumas repetidos podem influenciar os testes de              
sensibilidade pulpar e a capacidade de recuperação da                
polpa e do periodonto. Além disso, episódios repetidos de                  
trauma em um mesmo dente podem justificar a presença                  
de lesões extensas e reabsorções radiculares.   
  
  
Além disso, três perguntas são essenciais para              
determinação do histórico de traumatismo dentário durante              
o atendimento inicial do paciente traumatizado:  
  
Como ocorreu o trauma? Dependendo do fator etiológico                
você consegue imaginar o que vai ser encontrado durante o                    
exame clínico, ajudando a definir o tipo de trauma e a                      
gravidade do problema.   
  
Onde ocorreu o trauma? Você consegue sugerir o grau de                    
contaminação do ambiente que o trauma aconteceu, sendo                
importante principalmente nos casos de avulsão e              
reimplante.   
  
Quando ocorreu o trauma? O tempo decorrido entre a                  
ocorrência do traumatismo e a procura pelo tratamento                
interfere no prognóstico de cada caso.   
AULA 2  
Manuella Soussa Braga  
Disciplina de Trauma Dental - 2020/2  
  
EXAME CLÍNICO EXTRA-ORAL  
subjetivo e objetivo  
  
No exame clínico subjetivo, deve-se perguntar sobre a                
presença de sinais e sintomas , principalmente nos casos                
que você é o primeiro a atender o paciente. Sinais e                      
sintomas como cefaleia, sangramento pelo nariz e confusão                
mental, por exemplo, podem indicar traumatismo craniano.  
  
Também é preciso observar a presença de assimetrias e                  
deslocamento da linha média (pode indicar fraturas              
ósseas) e limitação de movimento de abertura e                
fechamento da boca (indicando possível traumatismo na              
ATM).  
  
EXAME CLÍNICO INTRA-ORAL  
  
Deve-se analisar a presença de contusões, abrasões e                
lacerações em tecido mole , bem como a presença de                  
fístulas e tumefações (sugerem necrose do dente). Ainda                
no tecido mole e nos casos de fraturas coronárias e                    
avulsões, o fragmento dentário e o dente podem ter                  
penetrado em algum tecido.   
  
Após o traumatismo, a visualização das estruturas              
dentárias é dificultada pela presença de sangue. Portanto,                
antes da avaliação, é necessário realizar a limpeza da área                    
com água ou soro fisiológico.   
  
Nos tecidos dentários , deve-se analisar a presença de                
trincas, deslocamento dentários e fraturas coronárias            
(complicadas - quando há exposição pulpar - e não                  
complicadas - quando não há exposição pulpar),              
observando até onde vai essa fratura (se está confinada a                    
coroa ou se já se estendeu à raiz do dente - fraturas                        
corona-radiculares - invadindo o espaço biológico),            
escurecimento dentário (nesses casos, ou o dente tem                
tratamento endodôntico ou está necrosado) e posição dos                
dentes na arcada.   
  
No caso em que o paciente traumatizado tenha vindo                  
encaminhado do hospital ao consultório, também deve-se              
observar