A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
44 pág.
A4 Aplicação dos Simuladores de Tráfego

Pré-visualização | Página 1 de 2

•Aplicação dos Simuladores 
de Tráfego 
 
 
Rodovia: o direito de ir e vir 
Aeroportos: mais que um ponto de 
partida, uma ferramenta do dia-a-dia 
PORQUE CONSTRUIR UMA PISTA 
EXPERIMENTAL? 
• Simulação em escala real e tempo reduzido das 
mesmas condições de campo; 
• Uniformidade das ações ( tráfego); 
• Possibilidade de comparação de comportamento 
de diversas seções sob as mesmas condições; 
• Possibilidade de comparação de desempenho de 
diversos tipos de materiais sob as mesmas 
condições; 
 
 
PORQUE CONSTRUIR UMA PISTA 
EXPERIMENTAL? 
• Avaliação e mensuração do efeito da degradação; 
• Comparação entre os diversos modelos de 
dimensionamento e dosagem; 
• Monitoramento dos índices de qualidade do 
pavimento ( IRI, aderência/desgaste, etc); 
• Teste de novos materiais. 
 
 
 
Pista experimental - Bureau of Public Roads 
US - 1925 
 OBJETIVO: avaliar o desempenho dos diversos materiais 
quando submetido a tráfego pesado 
 
 
• 
Bates Experimental Road (1922-1923) - Solid Rubber Tires on Brick, 
Asphalt, and Concrete Wearing Layers, by Illinois DOT (68 sections) 
WASHO Road Test (1952-1954) - Flexible Performance Under Post-WWII 
Truck Loads by, Government/Industry Coop (46 sections) 
AASHTO Road Test (1956-1961) - Performance Related to Varying Loads 
and Buildups, by Government Coop (468 Flexible Sections) 
Mn/ROAD (1994-present) - 10 Year Pavement Performance Evaluations 
in Cold Region, by Minnesota DOT (25 Flexible Sections) 
Westrack (1996-1998) - 2 Year Flexible Study to Develop Performance 
Specifications and Verify SUPERPAVE, by FHWA (26 Sections) 
 
( fonte: Dr. Ray Brown/2000) 
 
 
PISTAS EXPERIMENTAIS - USA 
O Loop 1 serviu 
para avaliações 
com relação ao 
meio ambiente e 
o Loop 2 apenas 
para veículos 
leves tipo 
caminhonetes 
6 Loops sendo que 
os números 1 e 2 
não serviram para a 
exposição dos 
veículos testes 
 
 Pista Experimental de Nevada 
WESTRACK 
 •Construída em Nevada, no ano de 1995. 
•Denominada de WesTrack, foi construída pelo FHWA 
( Federal Highway Administration) com o objetivo de verificar o desempenho das 
misturas asfálticas e a influência de suas características tais como teor de asfalto, 
faixa granulométrica, índice de vazios, numa escala real, porém com a possibilidade 
de acelerar as ações com controle sobre as cargas aplicadas. 
•Também teve por objetivo avaliar as especificações do programa SHRP 
Strategic Highway Research Program 
•SUPERPAVE Level III. 
•Geometria: 2,9 km de extensão com 2 faixas de tráfego de 3,7 m de largura, 
perfazendo uma seção transversal de 10,4 m. 
 Pista Experimental de Nevada 
WESTRACK 
clima desértico, menos de 100 mm de precipitação/ano 
veículo teste: abril/96 durante 2 anos, junho/98. 
 
 • 
 Pista Experimental de Nevada –
WESTRACK - veículo teste 
 
 Cavalo mecânico acoplado a três reboques equipados com ESRD 80 kN por eixo. A 
operação do trem simulador foi realizada durante 22 horas/dia, 7 dias/semana 
durante 2 anos. 
• 
 
 
 
Pista Experimental de Auburn – NCAT 
 
 
 
 
 “The National Center for Asphalt Technology” – 
NCAT - foi criado em 1986 com a participação 
de 10 estados. 
National Asphalt Pavement Association (NAPA) e a 
Education Foundation and Auburn University. 
 
 
• 
•Pista Experimental de Auburn – NCAT 
 
OBJETIVOS 
 Avaliar o desempenho do pavimento em função do 
número de Eixo Simples Roda Dupla; 
 Comparar o desempenho de misturas asfálticas com e sem 
modificadores de asfalto; 
Comparar projetos de misturas asfálticas executadas de 
acordo com o SUPERPAVE e com SMA; 
 Teste de novos materiais e procedimentos de execução em 
escala reduzida; 
 Monitorar a rugosidade. 
 
 
•GEOMETRIA: formato oval e 1,7 milhas de extensão, 
aproximadamente 2700 m numa área de 309 acres nas 
proximidades da universidade de Auburn e atualmente 
dirigida pelo Dr. Elton Ray Brown. 
45 diferentes sessões de 200 pés de extensão (~60 m) 
foram construídas. 
CONSTRUÇÃO: teve início em setembro de 1998. A 
terraplenagem foi executada em 10 meses. encravada em 
plena área de floresta. 
 
 
 
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
 
 
 
Pista Experimental de Auburn – NCAT 
 
 
 • 
2.1 - Pista experimental da FAA
Vista geral da pista experimental de Auburn em janeiro de
1999 – Foto gentilmente cedida pelo Dr. Ray Brown.
Pista Experimental de Auburn – NCAT 
 
 
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
 
 • 
Vista do trecho em curva ( 07/07/00).
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
 
 
– 
Construção do revestimento do trecho em tangente
( 07/07/00).
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
 
 
 
 
 
 
• Vista da instrumentação do pavimento 
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
 
 
 
 
 
 
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
– As principais características do veículo teste são: 
• velocidade de 45 mph – aproximadamente 70 km/h; 
• 6 dias ininterruptos de tráfego e um dia para 
manutenção por semana. 
• O tráfego é acumulado em um período de dois anos 
monitorando-se a irregularidade, trilha de roda, 
aderência, densidade e deflexões. 
Pista Experimental de Auburn NCAT 
 
 
 
 
 
 
 
• Características do veículo teste 
E OS AEROPORTOS? 
• FAA – Federal Aviation Administration – 
construiu no seu centro técnico “Willian J. 
Hughes Techinical Center” na cidade de 
Atlantic City, um simulador de trem de pouso 
de aeronave 
• OBJETIVO: 
• Desenvolver novos procedimentos de 
projeto de pavimentos aeroportuários. 
• Vem sendo operado desde 1998. 
Pista Experimental de Atlantic 
City - FAA 
Pista Experimental de Atlantic 
City - FAA 
Pista Experimental de 
Atlantic City - FAA 
• Composto de uma estrutura metálica apoiada sobre 
trilhos, recebe no seu trecho central dois trens de 
pouso de aeronaves tipo Boeing 767, 757 ou 777. 
• O equipamento fica instalado num galpão coberto, 
livre das intempéries porém, os ensaios são 
realizados à temperatura aproximada de 25 graus 
Celsius. 
• Os trens de pouso são independentes, podendo o 
equipamento simular um B – 777 e um B- 757 
Pista Experimental de 
Atlantic City - FAA 
• As principais características do equipamento 
são: 
• Cada trem de pouso pode receber até 6 
pneus com carregamento de 75.000 
libras/roda, perfazendo um total de 450.000 
libras por trem de pouso ou 
aproximadamente 220t; 
• Facilidade de trocar e configurar rodas e 
trens de pouso; 
 
Pista Experimental de 
Atlantic City - FAA 
• Tamanho máximo dos pneus: 56 x 24 pol.; 
• Dimensões da pista de teste 900ft x 60 ft 
 ( aproximadamente 270 m x 18 m); 
• Seções de concreto de cimento Portland e 
de concreto de cimento asfáltico; 
• A simulação de tráfego permite que se 
observe a ruptura do pavimento em menos 
de 1 ano de testes; 
 
Pista Experimental de 
Atlantic City - FAA 
• Velocidade do simulador: pode variar de 5 a 
15 milhas/hora ( aprox. 8 a 25 km/h); 
• Veículo é automatizado, podendo operar 
após pré-programação; 
• No pavimento são colocados sensores de 
deformação, pressão, umidade e 
temperatura. 
 
Pista Experimental de Atlantic 
City - FAA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Detalhe do trem de pouso com configuração de uma aeronave B – 777. 
 
Pista Experimental de Atlantic 
City - FAA 
 
 
 
 
 
 
• Deformação permanente excessiva no pavimento de 
concreto asfáltico 
PISTA EXPERIMENTAIS PARA 
PAVIMENTOS RÍGIDOS E FLEXÍVEIS 
 
 
 
• POR QUE NÃO FAZER? 
 SIMULADOR DE TRÁFEGO 
 
 Os “Simuladores de Tráfego” são equipamentos de 
última geração que reproduzem em verdadeira 
grandeza a ação do tráfego nos pavimentos de forma 
acelerada, antevendo os acontecimentos de natureza 
degradativa e as necessidades futuras de 
manutenção e reabilitação desses pavimentos. Além 
disso,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.