A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
64 pág.
Introdução a Zoologia - Resumo completo

Pré-visualização | Página 3 de 19

plesiomórficos são compartilhados por grupos de organismos, passam 
a ser denominados simplesiomorfias e sinapomorfias (com o prefixo “sin”, ação conjunta, juntamente). 
 
• Retornando à sequência das figuras anteriores, você perceber que os processos evolutivos denominados 
ANAGÊNESE e CLADOGÊNESE estão ali representados. A compreensão desses conceitos é muito 
importante para evitar futuras confusões. Com o surgimento da barreira que dividiu a espécie α nas 
espécies β e γ, e da barreira que dividiu a espécie γ nas espécies δ e ε, ocorre o processo denominado 
cladogênese. No momento da divisão da espécie ancestral, as espécies filhas ainda não sofreram qualquer 
modificação, sendo idênticas uma à outra e, também, à espécie ancestral. Esse fato pode impedir a 
distinção entre elas, contudo, à luz da teoria, são espécies distintas. 
• Acompanhando a evolução da espécie β, percebe-se que a forma do seu corpo se modificou, entre t1 e 
t5. Embora a espécie β tenha sofrido modificações, ao longo do tempo, ela ainda continua a mesma, tanto 
em t 1 quanto em t2 ou t5. 
• Esse processo é denominado anagênese. Tal fato pode levar um pesquisador a deduzir que indivíduos 
pertencentes à mesma espécie, contudo originários de épocas distintas, pertençam a espécies diferentes. 
• Agora, imagine que a espécie β viva ainda hoje e que durante toda a sua história de vida alguns indivíduos 
foram fossilizados em t1 e outros em t2. 
• O que você faria se descobrisse os fósseis de cada uma dessas épocas? 
• Você os descreveria como espécies diferentes? 
• Se esses fósseis fossem descobertos, possivelmente seriam descritos como espécies diferentes. 
• Como você pode perceber, esse é mais um caso que impõe dificuldades ao trabalho de um pesquisador. 
Mesmo com as modificações apresentadas pelos indivíduos em cada época, todos eles pertencem a uma 
única espécie. 
 
 
ivanp_000
Resumo Free
2 
 
 
Homoplasias 
• Apomorfias semelhantes podem surgir independentemente, mais de uma vez, causando interferência nas 
análises do relacionamento filogenético. De forma geral, o surgimento dessas apomorfias semelhantes é 
conhecida como paralelismo ou convergência. 
• As semelhanças adquiridas independentemente são, conjuntamente, denominadas homoplasia e podem 
surgir de três diferentes maneiras: 
1. A partir de estados plesiomórficos distintos, surgem estados apomórficos semelhantes em organismos 
diferentes. Nesse caso, denominado convergência, raramente são produzidas características muito 
semelhantes. 
2. A partir de um mesmo estado plesiomórfico, surgem, independentemente, estados apomórficos 
idênticos em dois organismos diferentes. Este tipo de homoplasia costuma ocorrer em organismos muito 
próximos filogeneticamente e é, comumente, denominado paralelismo. 
3. Uma determinada característica de um organismo sofre uma alteração e seu estado apomórfico torna-se 
semelhante ao estado plesiomórfico anterior. Esse terceiro tipo de homoplasia é normalmente 
denominado reversão. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 
 
 
1 
 
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS – CEDERJ – UENF / 3º PERÍODO 
DISCIPLINA: Introdução a Zoologia - Aula 5: Agrupamentos taxonômicos 
 
Agrupamentos taxonômicos 
• A escola cladista ordena a diversidade biológica a partir do relacionamento genealógico entre grupos 
naturais, isto é, com base nas relações de parentesco (filogenéticas) entre grupos formados por 
organismos que possuem um mesmo ancestral comum exclusivo. 
• Qualquer agrupamento de organismos biológicos cuja definição seja algum tipo de semelhança 
compartilhada é denominado TÁXON. As semelhanças que unem os elementos de um táxon podem 
corresponder a sinapomorfias, simplesiomorfias ou homoplasias. 
• Willi Hennig identificou três tipos de agrupamentos taxonômicos: monofilético, parafilético e polifilético. 
 
Grupo Monofilético 
• Um táxon monofilético consiste de um agrupamento que inclui uma espécie ancestral e todas as suas 
espécies descendentes. 
• A hipótese de que determinados táxons formam um agrupamento monofilético é sustentada por 
sinapomorfias, isto é, o compartilhamento de apomorfias corresponde a um indício de ancestralidade 
comum entre táxons. 
 
• No cladograma hipotético acima, podem ser formados cinco grupos monofiléticos, ou até 49 não 
monofiléticos. 
• Exemplo: 
• Monofiléticos: 
 
• Não monofiléticos: 
 
Grupo Parafilético 
• Um grupo taxonômico parafilético é formado pelo agrupamento de apenas alguns táxons descendentes 
de um mesmo ancestral. Dessa forma, um grupo parafilético corresponde a um grupo monofilético do 
qual se retirou uma ou mais espécies descendentes. 
 
ivanp_000
Resumo Free
2 
 
Grupo Polifilético 
• Um grupo polifilético consiste de um grupo monofilético do qual se retirou um grupo parafilético. Em 
outras palavras, o polifiletismo ocorre quando são reunidas partes de dois ou mais grupos monofiléticos. 
• Como você pode perceber, agrupamentos monofiléticos são sustentados por sinapomorfias; 
agrupamentos parafiléticos, por simplesiomorfias; agrupamentos polifiléticos, por homoplasias. 
 
 
 
 
 
 
 
1 
 
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS – CEDERJ – UENF / 3º PERÍODO 
DISCIPLINA: Introdução a Zoologia - Aula 6: Métodos de análise cladística – Parte I 
 
 
Introdução 
• Somente a partir de estudos comparativos são estabelecidas hipóteses de relacionamento filogenético. 
As várias características compartilhadas, por indivíduos de uma mesma espécie ou por indivíduos de 
espécies diferentes, podem ter sido herdadas de um ancestral comum ou podem ter surgido 
independentemente (homoplasias). 
 
Sistemática filogenética ou cladismo 
• De acordo com a Sistemática Filogenética, os grupos são sempre monofiléticos e fundamentados em 
sinapomorfias, não se admitindo grupos parafiléticos e polifiléticos. 
 
Polarização de séries de transformação de caracteres 
• Para a reconstrução do relacionamento filogenético entre organismos, torna-se fundamental diferenciar 
o estado plesiomórfico (original ou primitivo, isto é, preexistente no ancestral) do estado apomórfico 
(derivado) de um caráter. 
• A determinação da direção na transformação de um caráter denomina-se polarização. Um caráter é dito 
polarizado quando o estado apomórfico é distinguido do plesiomórfico. 
• Se o estado de um caráter representa uma apomorfia para um determinado grupo de organismos, então 
este mesmo estado surgiu no ancestral deste grupo. Logo, antes do surgimento deste ancestral o estado 
existente era o plesiomórfico. 
• Logo, antes do surgimento deste ancestral o estado existente era o plesiomórfico. Os organismos 
derivados de ancestrais anteriores ao ancestral do nosso grupo deveriam apresentar o estado 
plesiomórfico. Por exemplo, se considerarmos o surgimento da coluna vertebral, verificamos que em 
animais que não pertencem ao grupo dos vertebrados tal condição nunca aparece (Figura 6.11). 
 
 
 
 
 
 
ivanp_000
Resumo Free
1 
 
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS – CEDERJ – UENF / 3º PERÍODO 
DISCIPLINA: Introdução a Zoologia - Aula 7: Métodos de análise cladística – Parte II 
 
Polarização de séries de transformação de caracteres 
• Na metodologia cladística, os estados dos caracteres podem ser polarizados através de dois critérios: 
Ontogenia e grupo externo. 
 
Ontogenia 
• Haeckel, em sua famosa Lei Biogenética “a ontogenia recapitula a filogenia”, foi o primeiro a supor que 
as características apresentadas pelos embriões nos estágios iniciais de desenvolvimento representam 
estados mais primitivos, e que as apresentadas nos estágios finais de desenvolvimento representam 
estados mais derivados. 
• Mais tarde, ficou claro que a ideia de