A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
290 pág.
livro -Questão Social e Serviço Social - pdf

Pré-visualização | Página 47 de 50

Nesse sentido, o CFESS (2012, p. 50), especifica de forma bem clara:
Se a questão social é uma velha questão social, inscrita na própria 
natureza das relações sociais capitalistas, ela também tem novas 
164
UNIDADE 3 | REDISCUTINDO AS QUESTÕES SOCIAIS E SUAS EXPRESSÕES 
 NA CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA ORDEM SOCIETÁRIA
roupagens, novas expressões em decorrência dos processos históricos 
que a redimensionam na atualidade, aprofundando suas contradições. 
Alteram-se as bases históricas que mediatizam sua produção/reprodução 
na periferia dos centros mundiais, em um contexto de globalização 
da produção e dos mercados, da política e da cultura, sob a égide do 
capital financeiro, acompanhadas de lutas surdas e abertas, nitidamente 
desiguais, que demarcam esse processo na cena contemporânea.
Assim, até por uma questão cultural fomentada pela ideologia capitalista, 
muitos possuem uma visão comum e distorcida sobre o termo qualidade de vida, 
como por exemplo, para algumas pessoas ter emprego e dinheiro é ter qualidade de 
vida, pois consideram que conseguem comprar o que precisam, assim, a felicidade 
está condicionada e associada ao valor e poder de compra e consumo. 
Porém, percebemos que a qualidade de vida é muito mais do que a obtenção 
de dinheiro, bens materiais e de consumo, como prioriza o capitalismo. 
A qualidade de vida envolve um mundo muito além do que ter bens e 
riquezas individualmente, trabalho e renda, poder de consumo de bens, serviços, 
produtos e artigos de marca e luxo. 
A noção de qualidade de vida envolve duas grandes questões: a 
qualidade e a democratização dos acessos às condições de preservação 
do homem, da natureza e do meio ambiente. Sob essa dupla 
consideração, entendeu-se que a qualidade de vida é a possibilidade 
de melhor redistribuição – e usufruto – da riqueza social e tecnológica 
aos cidadãos de uma comunidade, a garantia de um ambiente de 
desenvolvimento ecológico e participativo de respeito ao homem e à 
natureza, com o menor grau de degradação e precariedade. Sabemos 
que existem questões prioritárias que devem ser enfrentadas em 
todos os sentidos, pelo Estado, pelas empresas, pelas instituições que 
congregam o terceiro setor, em fim por toda sociedade civil organizada 
e por cada cidadão brasileiro (DICIONÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS 
DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, 2007, p. 91). 
Nesse sentido de amplitude, levando em consideração as melhores 
condições de vida que o ser humano necessita, todos devem ser corresponsáveis 
por uma natureza harmoniosa, um meio ambiente sadio e limpo, um mundo e 
uma sociedade melhor. Porém, percebemos que muitos dos problemas mais 
abrangentes e essenciais, melhor dizendo, prioritários, dependem do Estado em 
suas vertentes enquanto poder legislativo, executivo e judiciário. 
Para o melhor desenvolvimento de um país, o Estado é o principal 
alavancador de ações em termos de qualidade de vida no sentido de amplitude, 
descrito anteriormente, visto que existem inúmeros desafios maiores, expressões 
sociais mais abrangentes que se configuram no cenário brasileiro que cabem ao 
Estado enfrentá-los, diminuí-los ou saná-los. 
Castel (2013a), em seu livro As Metamorfoses da Questão Social, enfatiza a 
importância da proteção social ao trabalhador, isso no contexto do neoliberalismo, 
procurando explicitar a necessidade da sociedade e do governo no sentido de 
165
TÓPICO 1 | POSSIBILIDADES E ALTERNATIVAS DE REVERSÃO DO AGRAVAMENTO 
DAS EXPRESSÕES DA QUESTÃO SOCIAL
encontrar respostas para uma questão emergente, que diz respeito à questão 
salarial na sociedade. Assim, o enfrentamento realizado pelo Estado deve ser 
direcionado para a constituição de um Estado Social, promotor de coesão social, 
ou melhor descrevendo, um Estado Democrático de Direito. “De um lado, em sua 
obra inicial, R. Castel aponta uma crítica ao Estado e sua capilaridade, de outro 
lado, em obras recentes, delineia uma defesa do Estado e clama justamente pela 
expansão desses canais longínquos de proteção social”. (SILVA, 2012, p. 67).
Descrevemos, no quadro a seguir, alguns desafios frente às questões sociais 
no Brasil, necessidades e prioridades que merecem estudo, análise, reflexão, 
discussão e enfrentamento, essencialmente enfrentamento, que deve ser realizado 
pelo chamado “primeiro” setor da sociedade, o Estado.
QUADRO 16 – DESAFIOS A SEREM ENFRENTADOS NO BRASIL PELO ESTADO
DESAFIOS FRENTE ÀS 
QUESTÕES SOCIAIS NO 
BRASIL
NECESSIDADES E PRIORIDADES
EFETIVAR DE FATO A 
REFORMA POLÍTICA NO PAÍS
No sentido de uma profunda alteração 
política no país, ou seja, uma transformação 
sistêmica da engenharia política atual, e não 
apenas reformas pontuais ou de algumas 
situações ou casos do arcabouço institucional 
político. 
DISTRIBUIÇÃO DE RENDA
Distribuir renda não é dar benefícios para 
as pessoas, faz-se necessário diminuir a 
desigualdade social e melhorar, e muito, no 
país as condições para obtenção de renda, 
aumento da renda, investir “pesado” em 
educação e saúde, ou seja, enfrentar a pobreza 
como ela realmente deve ser enfrentada.
REFORMA AGRÁRIA
A distribuição de terras e produção de 
alimentos saudáveis são desafios ao país, a 
reforma agrária é proposta antiga no Brasil 
que não se resolve de fato.
MELHORAR A QUESTÃO 
HABITACIONAL
Para garantir moradia, governantes terão de 
enfrentar a especulação imobiliária e suprir 
o déficit habitacional, bem como melhorar a 
qualidade das construções das moradias que 
são oferecidas via aos programas sociais. 
MOBILIDADE URBANA 
Transporte público e planejamento urbano 
devem ser prioridades nos próximos anos, 
visto o caos de mobilidade nos centros 
urbanos no país.
166
UNIDADE 3 | REDISCUTINDO AS QUESTÕES SOCIAIS E SUAS EXPRESSÕES 
 NA CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA ORDEM SOCIETÁRIA
MELHORAR A QUALIDADE 
DO ATENDIMENTO NA 
SAÚDE
Investimentos diversos de forma contínua 
e não esporádica são essenciais para a área 
da saúde, financiamento, gestão e formação 
profissional devem ser prioridades vitais. 
DIMINUIR A VIOLÊNCIA E A 
CRIMINALIDADE
Redução de homicídios e presos também 
deve ser prioridade na área de segurança.
DEMOCRATIZAR A 
EDUCAÇÃO E MELHORAR A 
QUALIDADE
O país precisa aumentar investimentos 
significativos em educação e ampliar 
matrículas, além da inclusão social de pessoas 
com deficiência, qualificação dos professores 
e infraestrutura.
INVESTIR E AMPLIAR O 
ACESSO DA POPULAÇÃO À 
CULTURA E PRESERVAÇÃO 
DO PATRIMÔNIO CULTURAL 
NAS REGIÕES
Há um número insuficiente de equipamentos 
e estruturas nas regiões mais pobres do Brasil, 
como centros culturais, teatros, museus, 
dentre outros, quando não, inexistentes. O 
descaso público com bens culturais, falta 
de investimentos, preservação e divulgação 
dos patrimônios culturais nas cidades são 
desafios a serem enfrentados na área da 
cultura.
REDISCUTIR A POLÍTICA 
INDÍGENA E VALORIZAR SUA 
IDENTIDADE
Conciliar interesses de índios e produtores 
rurais é um dos desafios para o país, bem 
como valorizar e conservar a cultura indígena. 
Percebe-se que é um desafio rediscutir a 
política indígena, porém não é vista como 
prioridade no Brasil.
EFETIVAR O PLANEJAMENTO 
URBANO E AMPLIAR O 
SANEAMENTO BÁSICO 
Se não houver investimentos na questão 
urbana de forma efetiva, vamos continuar 
sofrendo as consequências no sentido de não 
termos qualidade de vida, bem-estar coletivo, 
saúde e um meio ambiente limpo.
PRESERVAÇÃO, 
CONSERVAÇÃO E 
RECUPERAÇÃO AMBIENTAL 
E DESENVOLVIMENTO 
SUSTENTÁVEL
Necessário alterar as formas de produção 
e interação com o meio ambiente em que 
vivemos. Talvez, nesse sentido, se possam 
diminuir os efeitos negativos que causamos 
a nós mesmos.
AUMENTAR AS PESQUISAS 
E OS INVESTIMENTOS EM 
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Carência de recursos e burocracia