A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
68 pág.
Monografia- A ATUAÇÃO DO ADVOGADO DIANTE OS MEIOS ADEQUADOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

Pré-visualização | Página 15 de 19

casos. 
Ainda, o índice de processos baixados na Justiça Estadual e do Trabalho 
superou os de ajuizamento, contando respectivamente com 21.688.091 e 4.481.991, 
na Justiça Federal, o índice chegou a 3.738.623. 
No entanto, é possível observar que existe um elevado número de casos 
pendentes, que compreendem 63.482.535 na Justiça Estadual, 5.517.205 na Justiça 
Federal e 10.305.148 na Justiça do Trabalho, o que representa quase 3 (três) vezes 
a capacidade anual de julgamentos na Justiça Estadual e do Trabalho, considerando 
seu número de baixas em 2017. 
 
177 BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Justiça em números 2018: ano base 2017. 
Brasília: CNJ, 2018 p.32. 
46 
 
 
É possível concluir que o judiciário está dando baixa em processos quase na 
mesma proporção em que são ajuizadas novas ações, no entanto, conta com grande 
número de processos pendentes, fato este que, resulta na demora do tramite 
processual. 
Ao analisar os indicadores de gestão, temos o seguinte quadro em que 
constam os indicadores de gestão do judiciário. 
 
Quadro 2 - Indicadores de gestão178 
 
Litigiosidade 
 Justiça Estadual Justiça do Trabalho Justiça Federal 
Indicadores de Gestão 
Índice de conciliação 11% 25% 7% 
Recorribilidade externa 8% 42% 21% 
Recorribilidade interna 7% 14% 12% 
Processos eletrônicos 78% 96% 74% 
Fonte: CNJ 2018. 
 
Quanto ao índice de conciliação consta que, na Justiça Estadual se operaram 
11% de acordos, enquanto na Justiça do Trabalho 25% e na Justiça Federal não 
ultrapassaram 7%. 
No tocante à recorribilidade externa, ou seja, recursos destinados ao juízo 
superior, tem-se que na Justiça Estadual o índice é de 8%, na Justiça do Trabalho 
42% e na Justiça Federal 4,4%. Já no âmbito da recorribilidade interna, recursos 
destinados aos próprios prolatores da decisão, o valor ficou respectivamente 7%, 14% 
e 1%. 
Anualmente o CNJ organiza a Semana Nacional da Conciliação, uma ação 
que envolve os Tribunais de Justiça, Tribunais do Trabalho e Tribunais Federais, que 
selecionam processos que possuem possibilidade de acordo, intimando as partes 
para participar, ou ainda, as partes que tiverem interesse podem procurar o Tribunal 
em que tramita sua ação para se incluir na pauta. 
 
178 Ibidem, p.32. 
 
47 
 
 
Os resultados da semana nacional ficam disponíveis na página do CNJ, 
cumpre destacar os resultados promissores do evento que ocorreu em 2018, 
conforme: 
 
Quadro 3 - Atendimento à população179 
 
Atendimento à população 
Indicadores Força de Trabalho (Media Diária) 
Tribunais Pessoas 
atendidas 
 
Eventos 
paralelos 
Magistrados Juízes leigos 
 
Conciliadores 
 
Colaboradores 
 
55 2.984.455 0 3.818 317 6.104 6.107 
Fonte: CNJ 2018 
 
Conforme se pode ver, todo o judiciário se mobilizou atendendo 2.984.455 
pessoas, os resultados podem ser avaliados no quadro a seguir: 
 
Quadro 4 - Resultados Gerais:180 
 
Resultados gerais 
Justiça 
Audiências 
Marcadas 
Audiências 
Realizadas 
% 
Realizado 
Acordos 
efetuados 
% 
Efetuado 
R$ 
Homologados 
Estadual 318.192 538.204 169.46 686.890 127.39 869.595.172,50 
Federal 17.787 9.636 54.17 7.466 77.48 73.248.234,11 
Trabalhista 58.556 5.015 93.95 19.922 36.21 584.371.292,88 
Total 394.535 603.855 153.05 714.278 118.29 1.527.214.699,49 
Fonte: CNJ 2018. 
 
A Semana Nacional de Conciliação é direcionada aos processos que já estão 
tramitando e no evento de 2018, teve alta adesão: na Justiça Estadual foram 
marcadas 318.192 audiências, mas foram realizadas um número consideravelmente 
maior 538.204 resultando em 686.890 acordos. 
 
179 CNJ. Semana Nacional de Conciliação - 2018 - 05/11/2018 a 09/11/2018 Site do CNJ, 
<http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2018/12/bfc89f6dcb4c70f220e1fff8836c8655.pdf >acesso 
em 23 mar 2019. 
180 Idem. 
 
48 
 
 
O resultado não foi diferente na Justiça do Trabalho e na Justiça Federal, os 
resultados da semana foram incríveis 604.855 audiências realizadas, muito acima das 
394.535 marcadas, totalizando a celebração de 714.278 acordos. 
Destaca-se que, os Tribunais selecionam os processos que têm possibilidade 
de acordo, são aqueles que já estão tramitando há certo tempo, acordos estes que 
desde o início já deveriam ter sido objeto dos meios autocompositivos, certamente o 
tempo foi o fator determinante em muitas dessas composições. 
No tocante ao quesito tempo, analisa-se o tempo médio de processo na 
Justiça Estadual, conforme quadro a seguir. 
 
Quadro 5 - Tempo médio de processo baixado na Justiça Estadual181 
 
 
Fonte: CNJ 2018 
 
Conforme é possível observar, na Justiça Estadual comum, o tempo médio 
nacional para tramitação de um processo de conhecimento em Juízo de primeiro grau 
é de 3 anos e 7 meses, caso ocorra a tramitação em segundo grau, o tempo será de 
aproximadamente 11 meses. Ocorrendo o processo de execução judicial a tramitação 
levará aproximadamente 3 anos e 10 meses, concluindo- se que, a baixa processual 
ocorrerá em aproximadamente 8 anos e 10 meses. 
 
181 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Op. cit., p.35. 
49 
 
 
Já nos Juizados Especiais, os prazos são consideravelmente menores, mas 
o tempo até a baixa processual ainda é elevado, resultando em 4 anos e 7 meses de 
tramitação, conforme: 
 
Quadro 6 -Tempo médio de processo baixado no Justiça Especial182 
 
 
Fonte: CNJ 2018. 
 
Nesta seguinte disposição, é possível verificar o tempo médio de tramitação 
processual, sem considerar o Segundo Grau, conforme: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
182 Ibidem, p.144. 
50 
 
 
Quadro 7- Diagrama do Tempo de tramitação183 
 
Fonte: CNJ 2018. 
O processo de conhecimento até a sentença ocorre em 3 anos e 7 meses, 
permanece certo período pendente até o fim do trâmite do processo de execução que 
ocorre em 6 anos e 10 meses, pendente mais certo período até a baixa definitiva. 
Foram analisados ainda os números referentes aos assuntos mais 
demandados no ano de 2017. 
 
Quadro 8 - Assuntos mais demandados184 
 
 
Fonte: CNJ 2018. 
 
 
183 Ibidem, p.144. 
184 Ibidem, p. 181. 
51 
 
 
No tocante aos assuntos mais demandados é possível observar que conflitos 
relacionados a obrigações ou contratos lideram com 1.944.966 o que representa 
3,83% das novas ações ajuizadas em 2017, destaca-se que, somadas às ações acima 
elencadas o resultado compreende o total de 13,21%, sendo que todas essas ações 
são passiveis de composição. 
Após a análise de todos os dados fornecidos pelo CNJ fica mais fácil 
compreender o que ocorre no sistema judiciário brasileiro, o imenso volume de 
demandas e seu tempo de tramitação, assim como, é possível observar que o 
judiciário vem trabalhando de forma contínua para solucionar os conflitos que lhes são 
direcionados, tanto que o volume de novas demandas vem sendo superados. 
No entanto, o volume poderia ser consideravelmente menor se as partes 
fossem capazes de conseguir a composição amigável, considerando o baixo índice 
de composição realizados. 
 Talvez seja necessária uma visão aprofundada do litígio, o que possibilitaria 
uma reflexão sobre as vantagens ou não de uma demanda judicial, o que pode se 
chamar de análise jurimétrica, que irá considerar todos os dados acima elencados 
além de inúmeras questões possibilitando segurança jurídica e maiores ganhos para 
quem dela se utiliza. 
 
3.3 A JURIMETRIA 
 
Uma das finalidades da estatística é extrair informação a respeito de 
quantidades de interesse mais desconhecida, oferecendo ferramentas para analisar 
informações, medir incertezas e auxiliar na tomada de decisão, conceitos ligados de 
certa forma ao Direito, neste sentido ZABALA cita Basu e Ghosh, que definem