A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Resumo de Crimes Contra a Pessoa e a Dignidade Sexual

Pré-visualização | Página 1 de 1

Resumo de Crimes Contra a Pessoa e a Dignidade Sexual
Homicídio (art. 121 CP)
· Conceito de homicídio: matar alguém, de forma voluntária ou involuntária;
· O bem jurídico protegido é a vida extrauterina;
· O objeto material do crime de homicídio é a pessoa humana;
· Os homicídios dolosos são julgados pelo tribunal do júri, enquanto os crimes culposos são julgados por um juiz singular;
· O homicídio se divide em 3 tipos:
1. Homicídio Simples – Reclusão de 6 a 20 anos – há condutas que demonstram menor reprovação na conduta do agente, o que faz com que haja uma causa especial de atenuação da pena;
1.1. Homicídio Privilegiado – O juiz pode reduzir a pena de 1/3 a 1/6 quando o agente comete o crime em função de relevante valor moral ou social ou estando sob a influência de violenta emoção;
2. Homicídio Qualificado – Reclusão de 12 a 30 anos – Há circunstancias agravantes que majoram a pena, quais sejam: motivos que levaram a pessoa a cometer o crime, meio e modo de execução (mediante promessa de pagamento, motivo fútil, emprego de modo insidioso ou cruel que cause perigo à coletividade, mediante o uso de recursos que dificultem ou tornem impossível a defesa da vítima e para assegurar vantagem ou a execução ou ocultação de outro crime)
3. Homicídio Culposo – Detenção de 1 a 2 anos – não há a intenção de matar, quando o crime resulta de imprudência, negligência ou imperícia. O juiz pode deixar de aplicar a pena em casos de homicídio culposo caso as consequências da infração atinjam o agente de forma que tornem a pena desnecessária. A culpa se divide em duas: 
3.1. Culpa Consciente: o resultado da morte é previsível, mas o autor assume o risco, mas não deseja o resultado;
3.2. Culpa Inconsciente: quando é possível de ocorrer, mas o agente não tinha como prever que aconteceria. 
· Crimes praticados por milícia ou grupos de extermínio: majorante ao crime de homicídio, a pena é aumentada de 1/3 até a metade. 
Infanticídio (art. 123, CP)
· Conceito: matar, sob a influência do estado puerperal, o próprio filho, durante o parto ou logo após;
· Detenção de 2 a 6 anos; 
· Não há infanticídio culposo;
· Se o crime não for consumado, a mãe responde por tentativa de homicídio;
· Se a mãe mata outra criança acreditando ser seu filho, ela também responde por infanticídio;
· Admite concurso de agentes (a mãe responde por infanticídio e quem auxiliou responde como partícipe do infanticídio);
· Elementos que caracterizam o infanticídio:
1. O crime só pode ser praticado pela parturiente (mãe);
2. A vítima só pode ser o nascente ou recém-nascido;
3. Durante ou logo após o parto;
4. Sob a influência do estado puerperal.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.