A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Portfólio - Exodontia dente 26 (raiz residual)

Pré-visualização | Página 2 de 3

devem ser limitadas à porção final do processo de extração e devem ser gentis. Se força excessiva é 
necessária, outras manobras devem ser executadas para melhorar a luxação radicular. 
 
Tempos cirúrgicos 
 
Tempos e instrumentais cirúrgicos 
Pinça Allis- é utilizada para antissepsia extra-oral, servindo para prender a gaze estéril para antissepsia extra-oral. 
 
Pinça Backaus- é utilizada para aposição do campo cirúrgico, tendo a função de prender o campo cirúrgico. 
Paramentação do operador
Antissepsia intra e extra-oral
Aposição de campos cirúrgicos
Afastamento dos tecidos
Anestesia
Diérese incisa
Diérese romba
Cirurgia propriamente dita
Regularização do tecido ósseo
Curetagem
Toilet da ferida cirúrgica
Hemostasia
Síntese
 
Afastador minessota- é utilizada para afastamento dos tecidos e visualização, servindo para afastar tecidos moles. 
 
Afastador de Bruenings- é utilizada para afastamento dos tecidos moles e visualização, servindo para afastar a 
língua. 
 
Seringa carpule- é utilizada durante a anestesia, servindo para comportar o anestésico e agulha para anestesia 
 
Cabo de bisturi- é utilizado durante a diérese incisa, para incisão de tecidos periodontais 
 
Descolador de Molt N°9- é utilizado para diérese romba, servindo para descolar o periósteo 
 
Sindesmótomo- é utilizado na diérese romba, servindo para descolar os tecidos moles do osso alveolar 
 
Alavanca Heidbrink- é utilizada na cirurgia propriamente dita, servindo para luxação e elevação das raízes. 
 
Alavanca Seldin R- é utilizada na cirurgia propriamente dita, servindo para separar o dente do ligamento periodontal 
e luxação. 
 
Alavanca Seldin Reta- é utilizada na cirurgia propriamente dita, servindo para separar o dente do ligamento 
periodontal e luxação. 
 
Alavanca Seldin L- é utilizada na cirurgia propriamente dita, servindo para separar o dente do ligamento periodontal 
e luxação. 
 
Alavanca Potts- é utilizada na cirurgia propriamente dita, servindo para separar o dente do ligamento periodontal e 
luxação. 
 
Alveolótomo- é utilizado para regularização do tecido ósseo, servindo para regularizar o tecido ósseo. 
 
Cureta de Lucas- é utilizado para curetagem do alvéolo, servindo para curetar o alvéolo 
 
Cuba metálica- é utilizado para o toilet da ferida cirúrgica, servindo para comportar o soro para irrigação. 
 
Pinça hemostática Kelly- é utilizada para hemostasia, servindo para conter sangramento 
 
Pinça Dietrich- é utilizada para síntese, servindo para pinçar a agulha durante a sutura 
 
Porta agulha de Mayo- é utilizado na fase de síntese, para prender a agulha durante a sutura. 
 
Fórceps- são utilizados na fase de exérese, durante a cirurgia propriamente dita 
 
 
 
Organização da mesa de acordo com os tempos 
 
151- Incisivos, caninos e pré-molares inferiores 
 
150- Incisivos, caninos e pré-molares superiores 
 
18R- Molares superiores lado direito 
 
18L- Molares superiores lado esquerdo 
 
17- Molares inferiores de ambos os lados 
 
16- Molares inferiores com destruição coronária 
 
69- Raízes de dentes superiores e inferiores 
 
65- Incisivos e raízes superiores 
 
Mantendo campo em aposição 
Quando se colocam campos em torno de um paciente, pode-se mantê-los presos com uma pinça de campo 
Técnica asséptica 
Os instrumentais devem estar devidamente esterilizado e a deve-se realizar antissepsia extra e intra oral do paciente, para 
isso, é utilizada a clorexidina. 
 Clorexidina 2%- Extra-oral 
 Clorexidina 0,12%- Intra-oral 
Anestesia e bloqueio do nervo alveolar inferior 
Levando em consideração que a raiz residual do dente em que será feita a exodontia é um dente superior (26)a técnica 
indicada é a terminal infiltrativa dos nervos maxilar superior posterior e palatino maior. 
Nervos anestesiados N. maxilar superior posterior e médio, N. palatino maior 
Técnica 
1. Uma agulha dentária longa é recomendada para adultos (Calibre 25 ou 27) 
2. Área de inserção- para o nervo maxilar superior posterior, a área de inserção da agula deve ser na região de 
fundo de sulco, com bisel voltado para o osso. Ao passo que para anestesia do palatino maior, deve-se anestesiar 
na região próxima ao forame., ou se possível no forame 
3. Área Alvo- N. maxilar superior posterior e médio e palatino maior 
4. Pontos de referência- fundo de sulco (maxilar superior posterior e médio) e Introdução entre os 2° e 3° molares 
superiores até tocar o osso (palatino maior). 
5. Em seguida deve-se localizar o ponto de referência (ponto de penetração da agulha), devendo-se considerar 2 
pontos.. 
 No caso do n. maxilar superior posterior e médio, o fundo de sulco vestibular 
 No caso do palatino maior, Introdução entre os 2° e 3° molares superiores até tocar o osso 
6. Preparar o tecido no local da injeção: 
 Secar com gaze estéril 
 Aplicar um antisséptico tópico (opcional). 
 Aplicar o anestésico tópico por 1 a 2 minutos 
7. Afastar os tecidos com o afastador de minessota 
8. Anestesiar áreas requeridas 
9. Bisel sempre voltado para o osso. 
10. Complementar anestesia com anestesia interpapilar por vestibular e palatina. 
 
 
Incisando o tecido 
O instrumento básico para fazer incisões é o bisturi, composto por um cabo reutilizável e por uma lâmina afiada, esterilizada 
e descartável. O cabo mais comumente usado para a cirurgia oral é o de nº 3. A lâmina de bisturi mais usada para a 
cirurgia intraoral é a de nº 15. A lâmina de bisturi é cuidadosamente colocada no cabo que prende a lâmina com um porta-
agulha. Isso diminui a chance de lesionar os dedos. 
Elevando mucoperiósteo 
O instrumento mais comumente usado em cirurgia oral é o descolador periosteal Molt nº 9. Possui uma afiada extremidade 
pontiaguda utilizada para iniciar a elevação do periósteo e rebater papilas entre os dentes e uma ponta arredondada mais 
ampla para continuar o descolamento do periósteo do osso. 
Afastando tecido mole 
Afastadores também podem ajudar a proteger o tecido mole de instrumentos cortantes. Os dois afastadores de bochecha 
mais populares são: (1) o afastador de Austin de ângulo reto e (2) afastador de Minnesota de ampla compensação 
Apreendendo tecido mole 
As pinças para tecido mais comumente utilizadas para este fim são a pinça de Adson. São pinças delicadas, com ou sem 
pequenos dentes nas pontas, que pode ser. 
Controlando hemorragias 
Para a maioria das cirurgias dentoalveolares, a pressão sobre a ferida geralmente é suficiente para controlar o sangramento. 
Ocasionalmente, a pressão não para o sangramento de uma artéria ou veia maior. Quando isto ocorre, um instrumento 
chamado de uma pinça hemostática é útil 
Aspirando 
Para proporcionar uma visualização adequada, o sangue, a saliva e as soluções irrigantes devem ser aspirados do local da 
cirurgia. O aspirador cirúrgico é aquele que tem um orifício menor do que o tipo utilizado em odontologia geral para 
evacuar fluidos mais rapidamente do local cirúrgico, para manter uma visualização adequada 
Removendo osso 
O osso pode ser removido principalmente com o alveolótomo, o instrumento tem lâminas afiadas que são espremidas 
juntas pelos cabos, ao cortar ou beliscar o osso. 
Brocas e peças de mão Esta é a técnica que a maioria dos cirurgiões utiliza durante a remoção do osso na remoção 
cirúrgica de dentes. Peças de mão de alto torque e de alta velocidade com afiadas pontas de carboneto removem o osso 
cortical de forma eficiente, podendo-se optar por: 
 Broca n° 557 
 Broca n° 702 ou 703 
 Broca esférica n° 8 
Observação A peça de mão usada tem de ser completamente esterilizada 
Lima para osso é também utilizada, lima para osso é geralmente um instrumento de duas pontas com uma ponta 
pequena e outra maior, dando um melhor nivelamento ao osso 
Irrigando 
Ao usar uma peça de mão e uma broca para remover o osso, é essencial que a área seja irrigada com um fluxo