A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Questões - Patologia Geral

Pré-visualização | Página 1 de 1

Lista de Patologia
1 Fatores que influenciam na cicatrização
Dimensão e Profundidade da lesão; Necrose tecidual;
Grau de contaminação; Infecção local;
Presença de secreções; Corpo estranho;
Hematoma;
2 Cicatrização – 1º e 2º intenção
1º: Ferida não-séptica e mais simples; corte ou incisão por cirurgia;
· Hemorragia da vasculatura danificada e retração e constrição dos vasos sanguíneos; na área ferida há deposição de fibrina; extravasamento de proteínas plasmáticas; formação de coágulos; agregação plaquetária e infiltração neutrofílica; fibras de colágeno sofrem contínua maturação – pouco vestígio!
2º: bordas não são suficientemente aproximadas, processo pouco organizado;
· Tecido fibroso (rico em fibroblastos e colágenos), preenche o defeito nas dermes superficiais e profundas; o novo tecido fibroso não apresenta anexos e em alguns casos, pode formar tecido de granulação, proliferação de fibroblastos; a força tensora no tecido de granulação é menor e as lesões podem ser laceradas; a ferida pode permanecer ulcerada e não apresentar pelos.
3 Tecido de granulação
É o tecido conjuntivo exposto que se forma no interior da cicatrização. Aspecto granular, composto por fibras e fibroblastos, vermelho e hemorrágico, comum em equinos.
4 Etapas da cicatrização
Hesmostasia: Ocorre em locais de dano vascular, sem afetar a fluidez nas áreas normais. 
· Vasoconstrição transitória e agragação plaquetária para formar o tampão plaquetário no local do dano (hemostasia primária);
· Coagulação para formar uma rede de fibrina (hemostasia secundária);
· Fibrinólise para remover o tampão plaqueta/fibrina (retração do trombo);
· Reparo tecidual no local danificado.
Inflamatória: Neutrófilos e macrófagos irão degradar e remover os debris resultantes da lesão ao tecido; Fibrina e Proteínas séricas formam uma estrutura gelatinosa.
Proliferação (granulação): Angiogênese, epitelização, fibroplastia, restauro da estrutura do tecido lesionado.
Remodelamento (maturação/contração): Tecido conjuntivo imaturo que, com a deposição de colágeno, vira maduro; Contração da ferida: formação na margem da ferida de uma rede de miofibroblastos que expressão alfa-actina de músculo liso e vimentina; contraem-se na ferida e produzem grandes quantidades de componentes da ECM, como colágeno tipo II.
5 Angiogênese
Pode ser à partir de vasos pré-existentes ou de células precursoras endoteliais (ECM).
· 1: Vasodilatação e aumento da permeabilidade de vasos pre-existentes induzido pelo fator de crescimento endotelial vascular (VEGF); proteólise da ECM e da membrana basal (formação do botão capilar), migração de células endoteliais e proliferação das mesmas; maturação; recrutamento de células perioendoteliais;
· 2: São recrutadas da medula óssea para os tecidos e inicia-se a angiogênese.
6 Fatores para lesão do endotélio
Hipóxia, estresse oxidativo, dano tecidual, agentes infecciosos e inflamação.
7 Função da Trombina
Induz diretamente a agregação plaquetária e sua secreção. Ativa o endotélio para produzir moléculas de adesão de leucócitos e uma variedade de mediadores fibrinolíticos, vasoativos e mediadores de citocina. Ativa diretamente células inflamatórias mononucleares.
8 Aspectos patológicos do reparo
Fibrose: lesão tecidual grave crônica, em que a cura não pode ser efetuada por regeneração, deposição excessiva de colágeno e outros componentes da ECM em um tecido; “remenda”;
Cicatriz hipertrófica: tecido de granulação em excesso, pode levar à formação de “carne esponjosa”.