A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Tipos de Risco - Biossegurança

Pré-visualização | Página 1 de 2

MAPA DE RISCO 
• Perigo → NR 10 – “situação ou condição de risco com probabilidade de causar danos à saúde por 
ausência de medidas de controle” (BRASIL, 1978). 
É a fonte geradora da contaminação. 
• Risco → Probabilidade de ocorrer algo; Incerteza acerca de um evento futuro; NR 10 – “capacidade de 
uma grandeza com potencial para causar lesões ou danos à saúde” (BRASIL, 1978). 
É a exposição à fonte. 
 
RISCOS OCUPACIONAIS 
São todas as situações e consequências que acometem o trabalhador em seu ambiente de trabalho, 
comprometendo seu estado físico, mental e social. Os acidentes ocupacionais são definidos como danos 
ocorridos devido ao desenvolvimento das atividades no local de trabalho, causando alteração funcional e/ou 
lesão corporais ao trabalhador. Geralmente, esses danos resultam em interrupção das atividades trabalhistas, um 
evento que pode ser traumático para vítima e seus colegas, os quais estão frequentemente sujeitos aos mesmos 
riscos (SILVA et al., 2010). 
PROGRAMA DE PREVENÇÃO A RISCOS OCUPACIONAIS - PPRA 
• NR 9 - Programa de higiene ocupacional que deve ser implementado nas empresas articulado com um 
programa de controle médico de saúde ocupacional (PCMSO); 
• Prevenção e controle dos riscos químicos, físicos e biológicos presentes nos locais de trabalho; 
 
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL – PCMSO 
• Coordenado por um médico; 
• NR 7 - Programa médico de caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à 
saúde relacionados com o trabalho; 
• Reconhecimento dos riscos ocupacionais existentes no local, por intermédio de visitas aos locais de 
trabalho, baseando-se nas informações contidas no PPRA; (ex: usina nuclear) 
• Conjunto de exames clínicos e complementares específicos para cada grupo de trabalhadores da 
empresa, utilizando-se de conhecimentos científicos atualizados e em conformidade com a boa prática 
médica. 
 
RISCOS AMBIENTAIS 
• Riscos físicos 
• Riscos químicos 
• Riscos biológicos 
• Riscos ergonômicos 
• Riscos mecânicos/acidentes 
 
 
 
 
 
RISCOS FÍSICOS 
Está relacionado às diversas formas de energia, como pressões anormais, temperaturas extremas, ruído, 
vibrações, radiações ionizantes (Raio X, gama, beta), ultrassom, radiações não ionizantes (luz infravermelha, 
luz Ultravioleta, laser, microondas), a que podem estar expostos os trabalhadores. 
o Ruídos (34,6%) → São sons indesejáveis, que durante a jornada de 8 horas diárias, o trabalhador 
poderá estar exposto a um nível de ruído de 85 dB (NR -15), fazendo-se necessária a utilização do 
protetor auricular, uma vez que pode haver Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR); 
o Radiação → são ondas eletromagnéticas que se propagam em determinada velocidade, sendo 
classificadas em: radiação não ionizante e ionizante, dependendo da quantidade de energia propagada. 
• Radiação não ionizante (NR32) → Existem vários tipos de radiações não ionizantes: 
▪ Ultravioleta (UV); Visível (V); Infravermelha (IV); Laser; Micro-ondas; 
Radiofrequência. 
▪ Patologias como cânceres de pele, insolação, internação, queimaduras, além de 
problemas na visão, por exemplo, catarata, lesão no cristalino, lesões térmicas na retina. 
• Radiação ionizante → Radiação Ionizante é qualquer partícula ou radiação eletromagnética 
que, ao interagir com a matéria, ioniza direta ou indiretamente seus átomos ou moléculas. (Alfa, 
beta, gama, raio X.) 
Os efeitos podem ser agudos ou crônicos, somáticos ou genéticos. A radiação ionizante e o trabalho 
com aparelhos médicos representam fator de risco para o câncer do pulmão, das cavidades nasais e 
dos seios paranasais, do cérebro/ SNC, leucemias agudas e crônicas, mieloma múltiplo e linfomas não 
Hodgkin. As radiações ionizantes também têm evidências fortes de associação com o aumento da 
incidência de câncer do pâncreas, câncer do estômago, ovário e vesícula biliar. 
 O trabalhador que realize atividades em áreas onde existam fontes de radiações ionizantes deve: 
a) permanecer nestas áreas o menor tempo possível para a realização do procedimento; 
b) ter conhecimento dos riscos radiológicos associados ao seu trabalho; 
c) estar capacitado inicialmente e de forma continuada em proteção radiológica; 
d) usar os EPI adequados para a minimização dos riscos; 
e) estar sob monitoração individual de dose de radiação ionizante, nos casos em que a 
exposição seja ocupacional. 
 
RISCOS QUÍMICOS 
Refere-se à exposição a agentes ou substâncias químicas na forma líquida, gasosa ou como partículas e poeiras 
minerais e vegetais, presentes nos ambientes ou processos de trabalho, que possam penetrar no organismo pela 
via respiratória, ou possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão, como 
solventes, medicamentos, produtos químicos utilizados para limpeza e desinfecção, corantes, entre outros; 
Intoxicação – alteração bioquímica e desequilíbrio fisiológico; Conhecimento do agente químico. 
• Medicamentos manipulados; Antissépticos; Gases (oxigênio); Desinfetantes; Agentes de limpeza; 
Solventes. 
• Gases e fumaça (78,4%) 
 
 
 
RISCOS BIOLÓGICOS 
Está associado ao manuseio ou contato com materiais biológicos e/ou animais infectados com agentes 
biológicos que possuam a capacidade de produzir efeitos nocivos sobre os seres humanos, animais e meio 
ambiente. Em relação à biossegurança, os agentes biológicos são classificados de acordo com o risco que eles 
apresentam. 
• Microrganismos, geneticamente modificados ou não; 
• As culturas de células; 
• Os parasitas; 
• As toxinas e os príons (NR-32). 
Acidentes mais comuns: punção venosa periférica, nebulização para escarro induzido, exame de liquor, biópsia, 
processamento dos exames laboratoriais, administração de medicação endovenosa, aspiração, troca de cânula 
de traqueostomia, sonda vesical de demora, e sonda nasoenteral na administração de medicamentos. Como 
também o contato com pacientes que tenham doenças infectocontagiosas como o HIV e Hepatite B hepatite C, 
quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) insuficientes, esterilização de materiais cirúrgicos e 
instrumentos om o risco que eles apresentam; 
DOENÇAS PROFISSIONAIS 
• Brucelose 
• Escabiose 
• Tuberculose 
 
CRITÉRIOS PARA RISCO BIOLÓGICO SEGUNDO CBS 
• Virulência → capacidade de um vírus ou bactéria de se multiplicar dentro de um organismo, provocando 
doença. 
• Infectividade → é o nome que se dá a capacidade que certos organismos têm de penetrar e de se 
desenvolver ou de se multiplicar no novo hospedeiro, ocasionando infecção. 
• Patogenicidade → é a capacidade do agente invasor em causar doença com suas manifestações clínicas 
entre os hospedeiros suscetíveis. 
• Modos de transmissão; 
• Estabilidade; 
• Disponibilidade de medidas profiláticas eficazes; 
• Disponibilidade de tratamento eficaz. 
 
CLASSIFICAÇÃO PARA RISCO BIOLÓGICO 
 
 
RISCO DE TRANSMISSÃO PARA HIV, VHB E VHC 
• Sangue ou qualquer outro fluido contendo sangue; 
• Sêmen; 
• Fluido vaginal; 
• Também são considerados potencialmente infectantes: líquido peritoneal, líquido pleural, líquido 
pericárdico, líquido amniótico, líquor, líquido articular, saliva (apenas para procedimentos 
odontológicos); 
• Suor, lágrima, fezes, urina, vômitos, secreções nasais e saliva são líquidos biológicos sem risco de 
transmissão ocupacional. Nestes casos, as profilaxias e o acompanhamento clínico laboratorial não 
são necessários. A presença de sangue nestes líquidos torna-os materiais infectantes. 
 
➔ Exposições percutâneas - lesões provocadas por instrumentos perfurantes e cortantes (agulhas, bisturi, 
vidrarias) 
➔ Exposições em mucosas - quando há respingos na face envolvendo olho, nariz, boca ou genitália; 
➔ Exposições cutâneas (pele não íntegra) - contato com pele com dermatite ou feridas abertas; 
➔ Mordeduras humanas - consideradas como exposição de risco quando envolvem