A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
CONTRAÇÃO MUSCULAR

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONTRAÇÃO MUSCULAR
O estímulo nervoso vem por todo o axônio do somático motor,
consequentimente ocorre despolarização e fazendo com que o
impulso nervoso chegue até os botões sinápticos
ÍNICIO
FUNÇÕES DO TECIDO MUSCULAR
Movimentar o corpo
Estabilização das posições corporais
Armazenar e movimentar substâncias
Produzir calor
 COMPONENTES DOS MÚSCULOS ESQUELÉTICOS
OSSO
TENDÃO
EPIMÍSIO
PERIMÍSIO
VASO SANGUÍNEO
FEIXE MUSCULAR 
ENDOMÍSIO
TECIDO CONJUNTIVO
 PROTEIÍNAS FORMADORAS DOS MÚSCULOS
PROTEÍNAS CONTRATIS
( ACTINA E MIOSINA
PROTEÍNAS
REGULADORES
(TROPONINA E
TROPOMIOSINA
PROTEÍNAS
ESTRUTURAIS (TITINA,
NEBULINA E OUTRAS
EXPLICANDO MELHOR, DO NEURÔNIO PRÉ-SINÁPTICO, FIBRA MUSCULAR..
1.A chegada do impulso nervoso nos botões sinápticos terminais estimula a
abertura dos canais dependentes de voltagem. O Ca²+ vai estimular a
exocitose das vesiculas que vão liberar a ACh na fenda sinaptica;
2.A ligação de moléculas de ACh ao reeptor na placa motora abre um canal
iônico no receptor de ACh. Com os canais abertos, o Na²+ fluem através da
membrana;
3.Agora, com a entrada de Na²+ na fibra muscular vai haver uma
despolarização da membrana de celúla muscular. O potencial de ação se
propaga pelo sarcolema e tubulos T, fazendo com que o retículo
sarcoplasmático libere o Ca²+ e com que haja uma contração;
4.O efeito da ligação da ACh dura pouco, pois ela é logo degradada pela
enzima acetilcolinesterase (AChE);
1.O inicio da contração começa quando o Ca²+, que foi liberado para o
sarcoplasma se ligam a troponina. Ela, a troponina, faz com que a
tropomiosina libere os locais de ligação da actina;
2.A cabeça da miosina engloba um local de ligação com o ATP, que vai ser
hidrolisado, gerando uma energia para que a miosina puxe a actina;
3.A cabeça da miosina energizada se fixam nos locais de ligação com a miosia
na actina e liberam o grupo fosfato. Quando há a ligação entre a actina e a
miosina, elas são chamados de pontes transversas;
4.Depois da formação da ponte transversa o ADP, que ainda está ligado se
abre e em seguida é liberada. A ponte gera força ao rodar em direção ao
centro so sarcomero, fazendo assim o deslizamento.
5.Ao final do movimento, a ponte transversa permanece firmemente presa
até a miosina fazer uma nova ligação com outra molécula de ATP. Quando o
ATP se liga ao local de ligação com o ATP na cabeça da miosina, a cabeça dela
se solta da actina. Temos agora o relaxamento;
EXPLICANDO MELHOR, DO MODO EXTERNO PRÓPRIAMENTE DITO
MICROSCOPIA DA FIBRA MUSCULAR ESQUELÉTICA
TERMINAL SINÁPTICO
AXÔNIO DO NEURÔNIO
MITOCÔNDRIA
Ca²+ LIBERADO DO RETÍCULO
SARCOPLASMÁTICO
SARCÔMERO
MEMBRANA PLASMÁTICA DA FIBRA
MUSCULAR
MIOFIBRILA
RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO
TÚBULO T
TÚBULO T
SARCOLEMA
FILAMENTO FINO
FILAMENTO GROSSO
CISTERNA TERMINAL 
RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO
TRÍADE
TRÍADE: DUAS CISTERNAS E UM TÚBULO T
 SARCÔMERO
 ACTINHA
 UNIDAES MOTORAS
Neurônio motor
Fibras musculares
 JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
 O QUE É CONTRAÇÃO MUSCULAR?
É um processo fisiológico característicos das fibras
musculares, que correspondem à capacidade de gerar
tensão com a ajuda de neurônio motor
 DOENÇA: MIASTENIA GRAVI
Provoca fraqueza muscular decorrente de distúrbios nos receptores de
acetilcolina localizados na placa existente entre os nervos e os
músculos. Isso interfere na transmissão do impulso nervoso e gerando
enfraquecimento dos músculos estriados esqueléticos
 SINTOMAS
FADIGA 
FRANQUEZA MUSCULAR
DIFICULDADE PARA MASTIGAR E ENGOLIR
FALTA DE AR
VOZ ANASALADA 
PÁLPEBRAS CAÍDAS (PTOSE PALPEBRAL)
VISÃO DUPLA (DIPLOPIA)