A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
ANAMNESE COMPLETA RESUMO

Pré-visualização | Página 4 de 7

do pescoço (Flexao pra direita e pra esquerda, mov. pra cima e pra baixo) 
o Rotação 
o Traqueia ( mobilidade , centralizada) 
o Tireoide – Pedir que o paciente faça a deglutição, pálpavel ou não palpável (analise dos lobos se estão simétricos ou não) 
✓ Inspeção - Visível/Não visível - pede-se que o paciente faça o movimento da deglutição e observa-se o tamanho e o movimento da tireóide) 
✓ Palpação - (Palpavél/Não Palpável), se palpável avaliar: Tamanho, Formato, Consistência, Presença de Nódulos, Hipersensibilidade. Para delimitar a 
tireóide primeiro se encontra a cartilagem cricóidea, depois a tireóidea e por fim o istmo e os lóbulos da tireóide. 
✓ Ausculta - A presença de sopros pode indicar que há um aumento na glândula e consequentemente um aumento na vascularização, provocando 
turbilhonamento sanguíneo. 
▪ Aorta palpável/impalpável na fúrcula 
▪ Estase (turgência) de jugular (normal de 0°a 45 °) 
▪ Gânglios 
▪ Pulso venoso (visível/ invisível): formado por duas ondas “a” e “v”. A onda “a” é correspondente ao acumulo de sangue na veia devido à contração atrial e 
a onda “v” é um acumulo de sangue na veia no momento do enchimento lento do átrio. 
▪ ALTERAÇÕES 
 Sinal de Musset + dança das artérias = indica insuficiência da válvula aórtica 
 Estase de jugular: insuficiência cardíaca direita 
 
FTC – MEDICINA 
THAIS FARIAS BRAGA 
TÓRAX – SISTEMA RESPIRATÓRIO 
→ Posição do paciente : Sentado e erétil ( sem camisa) 
→ Tórax normal : Forma - Diâmetro látero -lateral > diâmetro antero-posterior) 
 
1. Inspeção ( 2 etapas : Estática e Dinâmica) 
▪ Estática : 
o Descrever : Forma – diâmetro latero-lateral e antero-posterior ; volume; Simetria; Deformidades da caixa 
torácica: abaulamentos e retrações do tórax ; Alterações da coluna torácica – Postura atípica 
(cifose,escoliose,lordose); Alterações de pele : Lesões de pele, tamanho(> ou < 1cm) e localização de : 
manchas, acnes,cicatrizes. 
✓ Brevilíneo : Pescoço curto, tórax largo, membros curtos, baixa estatura, ângulo charpy > 90° 
✓ Mediolíneo : Pescoço, tórax, membros e estatura intermediários, ângulo charpy = 90° 
✓ Longilíneo : Pescoço longo, tórax longo, membros compridos, alta estatura , ângulo charpy < 90° 
o Tipos de tórax patológico 
✓ Tórax enfisematoso\inspiratório\tonel\barril \globoso - expiração prolongada 
✓ Tórax chato\plano\expiratório\paralítico\tísico 
✓ Tórax infundibuliforme \ pectus escavatum \ sapateiro 
✓ Tórax raquítico\cariniforme\pectus carinatum\peito de pombo\em quilha 
✓ Tórax cifótico 
✓ Tórax lordótico 
✓ Tórax escoliótico 
✓ Tórax cifoescolótico 
✓ Tórax em sino ou cônico\piriforme 
▪ Dinâmica : 
o Expansibilidade torácica : diminuição bilateral, diminuição 
unilateral, aumento da expansibilidade 
( conservada\não conservada e simétrica\assimétrica) 
o Simetria 
o Frequência respiratória ( Eupnéico : inspiração < 
expiração),Taquipneia, Bradipneia, Ortopneia, Dispneia , 
Apneia( FR normal = 12 a 20 incursões por minuto)( normal : mulher 18 a 24 movimentos\ homem 16 a 20 
mov.\ crianças 25 a 30 mov.) – aumento diminuição da FR 
o Tipo respiratório : 
✓ Toracoabdominal com predominância abdominal – Homem e crianças 
✓ Toracoabdominal com predominância torácica - Mulher 
✓ Torácico\costal – Paciente sentado 
✓ Diafragmática \ abdominal – Paciente deitado 
o Tiragens - retração inspiratória( subcostal , fúrcula esternal, intercostal ou subdiafragmática, supraesternal 
)(presença\ ausência) 
o Abaulamento expiratório da fossa supraclavicular e distensão expiratória das veias jugulares 
o Uso de músculos acessórios ( dispneia) – esternocleidomastoideos e escalenos 
o Tempo expiratório forçado – expiração prolongada e lábios franzidos 
o Ritmo respiratório ( rítmico\arrítmico) 
a) Cheyne-Stokes – Variação da tensão de O2 e CO2 no sg. 
b) Biot – Indica grave comprometimento cerebral 
c) Kussmaul – Causa principalmente pela acidose diabética 
d) Suspirosa – Tensão emocional e ansiedade 
e) Dispneia 
ICC , HIC, AVC, TCE 
FTC – MEDICINA 
THAIS FARIAS BRAGA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. Palpação ( Em barra grega ou em X) 
▪ Palpação geral do tórax – Procurar pontos dolorosos e nódulos\tumorações ( presença\ ausência) 
▪ Complacência\ elasticidade pulmonar – Fazer compressão com as palmas da mão na região escapular anterior e posterior 
do tórax .(conservada\não conservada e simétrica\assimétrica) 
▪ Expansibilidade torácica – A mão deve repousar suavemente, mole, simétrica, fazendo prega com os polegares nas regiões 
da Linha interescapulo-vertebral : ápices, linha axilar e base pulmonar logo abaixo do omoplata. ( conservada\não 
conservada e simétrica\assimétrica) 
▪ Frêmito toracovocal ( sensação tátil provocada pela voz do paciente nas paredes pulmonares) – Com uma das mãos na 
região supraclavicular(polpas digitais), nos espaços entre os ápices, entre as escápulas e abaixo das escápulas em ambos os 
lados pede-se para o paciente falar 33 em cada uma dessas regiões. (preservado\ não preservado) 
 
3. Percussão ( sensação auditiva provocada pelo médico na parede pulmonar do doente) 
▪ Percussão no espaço interescápulo vertebral e espaço intercostal ( deve-se dedilhar até encontrar esses espaços e 
percutir 2x nesses espaços) ( som normal\som anormal) 
o Som normal atimpânico : Som claro 
pulmonar 
o Som anormal : Som claro timpânico , 
Hipersonoridade, Submacicez ou macicez 
 
 
 
 
 
 
FTC – MEDICINA 
THAIS FARIAS BRAGA 
4. Ausculta ( som da inspiração e expiração na parede alveolar) 
▪ Ouvir múrmurio vesicular , som bronquial, som traqueal, som 
broncovesicular. ( Bem distribuído\Aumentado\ Diminuído e 
Presença\ausência de ruídos adventícios) 
▪ Ruídos adventícios : Descontínuo – crepitos e estertores\ Contínuo – 
roncos, estridores, sibilos, sopros, atritos pleurais ( Presença\Ausência) 
▪ Auscultar as faces anterior, posterior e lateral torácico , região das 
fossas supraclaviculares (ápices - trapézio) , espaços interescapulares 
vertebrais e bases pulmonares durante a inspiração e expiração completa. 
 
 
 
▪ ALTERAÇÕES : 
 DERRAME PLEURAL 
Inspeção: traqueia pode estar 
desviada para o lado oposto nos 
grandes derrames; taquipineia; 
tiragem... 
Palpação: expansibilidade 
diminuída; FTV diminuído ou 
ausente. 
Percussão: maciço ou submaciço. 
Ausculta: MV diminuído ou 
ausente; crepitos finos na are em 
contato com o liquido pleural 
 ATELECTASIA 
Inspeção: dispneia, tiragem... 
Palpação: expansibilidade 
diminuída; FTV diminuído no 
local. 
Percussão: maciço no local. 
Ausculta: MV diminuído no local. 
 SOPRO TUBÁRIO: 
Propagação do som traqueal no 
parênquima pulmonar por 
cavitação. Pode estar associado à 
boncofonia e pecterilóquia 
 
 PNEUMONIA 
Inspeção: taquipineia; tiragem; 
dispineia... 
Palpação:expansibilidade 
diminuída; FTV aumentado no 
local. 
Percussão: macicez no local 
Ausculta: MV diminuído no local; 
crepitos finos inspiratórios. 
 ENFISEMA PULMONAR 
Inspeção: tórax em barril; 
taquipineia; tiragem; expiração 
prolongada. 
Palpação: expansibilidade 
diminuída bilateralmente; FTV 
diminuído generalizado. 
Percussão: som claro pulmonar 
aumentado ou timpanismo. 
Ausculta: MV diminuído 
difusamente; crepitos 
inspiratórios. 
 
 
 PNEUMOTÓRAX 
Inspeção: dispneia; cianose; tiragem intercostal; 
desvio de traqueia para o lado contrario da lesão; 
taquipineia. 
Palpação: expansibilidade diminuída ou ausente; 
FTV diminuído ou ausente; 
Percussão: som claro pulmonar aumentado ou 
timpanismo. 
Ausculta: MV diminuído ou ausente; 
 EDEMA AGUDO DE PULMÃO 
Inspeção: dispneia/ tiragem intercostal e 
supraclavicular; expectoração óssea. 
Palpação: sem anormalidades. 
Percussão: som claro

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.