A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
DIREITO ADMINISTRATIVO REVISÃO

Pré-visualização | Página 8 de 9

em nível 
nacional autoriza o estado de sítio. 
*Comporta indenização depois do uso – poderá recair sobre bens móveis, imóveis, 
semoventes (animais), serviços, bens perecíveis – serviços de pessoa jurídica ou de 
pessoa física. 
*Imperatividade – imposto ao indivíduo 
*Coercibilidade – possibilitará o Estado de utilizar de meios coercitivos para operar 
aquela requisição. 
*Ex.: um determinado município diante da paralisação do serviço público de saúde – 
da morte de muitos médicos – o que não atende a parcela mínima da população 
local – o prefeito poderá mediante decreto requisitar a coercibilidade? Serviços 
médicos de pessoas físicas ou jurídicas – PODERÁ – sempre ocorrerá indenização 
nesse caso, ao final – no caso de serviços e bens perecíveis haverá indenização 
sempre, mediante pena de enriquecimento sem causa por parte do Estado – o 
estado pode compelir aquele médico a atender a população mediante indenização. 
3. Ocupação temporária – ocupação por parte da administração pública de áreas 
não edificadas (não construídas) próximo aonde está se realizando uma obra pública 
– poder público está construindo uma ponte, um viaduto, um prédio da prefeitura e 
necessita ocupar provisoriamente um terreno ao lado para colocar material, 
alojamento de empregados, maquinário. (OBRA) (SE INCLUI NA INDENIZAÇÃO 
PELO DANO O LUCRO CESSSANTE) (João era dono do terreno próximo da 
ponte – João alugava o terreno para Pedro - durante o período em que o poder 
público ocupou o terreno não foi possível realizar o aluguel – João recebia 100 
reais com o aluguel – ficou sem poder alugar durante um ano – de forma que 
ocorreu dano material constituído no lucro cessante – cabendo indenização – 
se não comprovada a existência de nenhum dano não há indenização) 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
Ex.; Em determinado município houve um incêndio em uma boate na área central da 
cidade, que afetou centenas de vítimas – chegando ao local os bombeiros 
necessitaram utilizar de uma área – de um bem imóvel – de propriedade de um 
supermercado – para realizar a evacuação e o atendimento das vítimas – em cima 
deste bem imóvel de propriedade do município foi montado um hospital de 
campanha para atender as vítimas do incêndio – ocorrerá uma REQUISIÇÃO 
ADMINISTRATIVA DE UM BEM IMÓVEL – visto não se estar diante de obra 
nenhuma. 
*Após fortes chuvas que derrubaram uma ponte que liga o município de Oabeiros ao 
município Beta – necessitou-se a reconstrução da ponte – e para reconstruir a ponte 
que está isolando os dois municípios houve a necessidade de alocar máquinas, 
areia, concreto, ferro, etc. e uma área não edificada próxima = OCUPAÇÃO 
TEMPORÁRIA. 
4. Servidão administrativa – direito real público que permite que o poder público 
utilize junto com o particular a área dele. Ex.; Oleodutos, agrodutos, redes de alta 
tensão, gasodutos. Tempo indeterminado – não tem autoexecutoriedade – ou o 
poder público faz um acordo com o proprietário ou ingressa com uma ação 
judicial (obrigação propter rem – gravada na coisa – aquele que comprar 
aquele terreno saberá que existe uma servidão ali) – a Indenização dependerá: 
4.1. Ou o estado terá proveito econômico – cataventos que geram energia 
eólica são constituídos sobre a propriedade particular mediante a forma de 
servidão. Caberá indenização porque gera proveito econômico. 
4.2. causará dano 
5. Tombamento – não retira o direito de propriedade – o indivíduo continua sendo 
dono # desapropriação que retira o direito à propriedade – todavia é imposto ao 
indivíduo o dever de preservação do bem (bem que possui valor histórico, artístico, 
paisagístico, arquitetônico) para determinado ente público – ou o bem é de interesse 
para o patrimônio histórico do município onde está sediado ou até da União – poderá 
recair sobre a totalidade do bem ou sob parte dele. Pode gerar o efeito extra partes 
(partes são o poder público tombante + o particular tombado) (extra partes terceiro). 
Ex.: Poder Público tombou a casa de João, casa centenária localizada ao cento do 
município – ao lado a construtora Delta possui um terreno e deseja construir um 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
prédio de 20 andares que poderá afetar a visibilidade do bem imóvel tombado – 
Poderá o poder público proibir a edificação deste hotel? SIM poderá, decorre do 
chamado efeito extra - partes do tombamento – particulares poderão ser impedidos 
de construir na vizinhança do bem tombado, de modo que venha afetar a sua 
visibilidade ou descaracterizar o valor histórico daquele bem. Como REGRA o 
tombamento não dá direito a INDENIZAÇÃO, exceto se ocorrer um esvaziamento do 
direito de propriedade – o sujeito ficar inviabilizado de utilizar aquele bem, poderá 
ser pleiteada a conversão do tombamento em desapropriação – dessa forma ocorre 
à indenização. 
MODALIDADES SUPRESIVAS (braço forte do Estado) (o Estado retira o direito de 
propriedade do particular, com ou sem indenização) 
1. Expropriação – punição – o Estado pune, arranca a propriedade do indivíduo 
sem qualquer direito a indenização – ocorre em qualquer área rural ou urbana 
de qualquer região do país, nos casos em que for verificada plantação ou 
cultivo de plantas psicotrópicas ou trabalho escravo na forma da lei – o 
proprietário perderá o direito de propriedade. Ex. : João possui uma grande 
área rural na divisa do Mato Grosso do Sul com o Paraguai resolveu para 
aumentar a renda da família o cultivo de canabis (plantar maconha) para 
vender para o país vizinho, ao cultivar a maconha é surpreendido com uma 
mega operação da polícia federal que realiza a destruição daquela droga – de 
maneira a perder sua propriedade, sem qualquer indenização. 
Exceção: se o proprietário provar que não teve culpa. Ex.: Paulo após longa jornada 
no serviço público, aposentado compulsoriamente no ano de 2020, resolve comprar 
uma fazenda no interior do Mato Grosso do Sul para passar seus finais de semana – 
cansado da vida na fazenda retorna a cidade e para não deixar abandonada esta 
arrendando-a com contrato certo e específico para o plantio de soja – forma de 
pagamento in natura – arrendatário mandaria a soja do Mato Grosso do Sul para 
Santa Maria onde mora Paulo, e assim faz todo o mês, só que o locatário plantava 
um pé de soja para 04 pés de maconha – Paulo somente perderá a fazenda sem 
indenização se não provar que não teve culpa, caso contrário receberá a 
indenização – ainda que seja a culpa in ligendo ( escolheu mal) (Paulo alugo para 
Pedro Juan Cabalera que era traficante de drogas) (Paulo não perde a propriedade) 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
ou in vigilando (não tem como alegar que Paulo tinha o dever de vigiar) ( não perde 
a propriedade) 
2. Desapropriação – perda do direito de propriedade com indenização – a 
indenização poderá ser prévia ou em dinheiro ou mediante pagamentos da 
dívida pública para resgate entre 10 a 20 anos. 
2.1. Desapropriação ordinária – ocorre da supremacia do interesse público 
sobre o privado – o poder público necessita desapropriar aquele bem 
porque ali ele precisa dar uma finalidade pública sendo o bem do 
particular. Ex.: O prefeito Névio resolve sair pela cidade para escolher um 
bem imóvel – uma casa – onde ele vai instalar uma escola de educação 
infantil – andando ele olha para a casa de José e resolve que seria aquela 
que ele iria desapropriar – José questiona porque a dele e não a de Paulo, 
pois a dele é bem de família – BEM DE FAMÍLIA NÃO PODE SER 
MOTIVO DE OPOSIÇÃO PARA DESAPROPRIAÇÃO – Paulo poderá 
alegar em contestação na ação de desapropriação: vício no processo 
judicial ou diferença no valor. Indenização prévia e em dinheiro. Ocorre em 
caso de necessidade pública, utilidade pública ou interesse social. 
2.2. Desapropriação sancionatória – punição – o sujeito não está cumprindo 
a função social da propriedade – indivíduo é dono de uma casa 
abandonada no centro da cidade e a casa está enchendo de ratos,