Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
16365152d062bb-f947-42f8-a23b-14260b51869d

Pré-visualização | Página 1 de 1

ATIVIDADE I - CASOS CLÍNICOS 
ATENÇÃO E ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA – FARMÁCIA– ICS- UNIFAN
Profª Joelma Pina
ATIVIDADE: consiste em resolver todos os casos clínicos baseados no Acompanhamento
Farmacoterapêutico de pacientes, tendo como Ferramenta o Método Dáder e suas respectivas
etapas. ( Leia primeiro as etapas para depois resolver de forma adequada os casos clínicos).
CASO CLÍNICO – Nº 01
Após analisar os resultados, o clínico prescreveu uso contínuo de sinvastatina 10 mg (1
comprimido à noite), hidroclorotiazida 50 mg (2 cpr/dia) e ácido acetilsalicílico 100 mg (1
comprimido pela manhã), Losartana 50 mg (1 cpr/dia). Adicionalmente, fez orientações sobre
mudanças no estilo de vida, incluindo dieta e exercícios regulares, e recomendou aferição regular da
pressão arterial com retorno em 30 dias. 
Com base nas informações apresentadas:
a) Primeiro resolver o caso clínico baseado nas etapas do método dáder, iniciando identificando
PRM ou PRMs que justificam o Acompanhamento Farmacoterapêutico do paciente.
b) Justifique a terapia farmacológica prescrita, relacionando cada fármaco ao histórico clínico e aos
exames laboratoriais dessa paciente.
c) Cite, para cada um dos fármacos prescritos, dois exames laboratoriais necessários para o
acompanhamento dessa paciente.
CASO CLÍNICO – Nº 02
Paciente, K.L.B, 68 anos, sexo masculino, aposentado, hipertenso, dislipidêmico mais de 10 anos,
diabético mais de 5 anos , além da artrite reumatoide. Após consultar três especialidades médicas
diferentes, toma os seguintes medicamentos abaixo, 
Exames laboratoriais: 
Glicemia de jejum de 196 mg/dl; 
Potássio plasmático de 2,8 mEq/l; 
Colesterol total de 256 mg/dl; 
HDL-colesterol de 36 mg/dl; 
Triglicérides 380 mg/dl; 
Creatinina sérica de 2,6 mg/dl 
Uréia de 79 mg/dl. 
O exame de Urina: presença de proteínas. 
Proteinúria de 24 horas de 1,2 g/24 horas. 
a) Resolver o caso clínico de acordo com as etapas do Método Dáder.iniciando identificando PRM
ou PRMs que justificam o Acompanhamento Farmacoterapêutico do paciente.
b) Montar uma tabela com todos os medicamentos com o respectivo horário que deve ser
administrado, com justificativa. Portanto a tabela deve constar 3 colunas.
c) Quais medicamentos que se forem utilizados juntos podem produzir interações medicamentosas? 
d) Numa sequência da letra C, quais as orientações para evitar as interações medicamentosas, para
tornar mais efetivo o tratamento, melhorando a qualidade de vida do paciente?
e) O paciente continuou com muita ansiedade, foi ao neurologista, e associado às medicações já
utilizados pelo paciente, foi lhe prescrito escitalopram 20mg 1cpr 1x ao dia e alprazolam 0,5mg
1cpr 1x ao dia. Faça uma análise do melhor horário de adminstração desses medicamentos e eles
podem ser utilizados juntos? Juntos com quais medicamentos? Justifique.
CASO CLÍNICO – Nº 03 - Avaliar esse caso clínico abaixo da seguinte forma. 
Esse é um caso clínico que traz uma realidade que pode acontecer com os pacientes. Analise as
prescrições, as escolhas terapêuticas, avaliar os motivos da mudanças, encontrar os problemas
relacionados aos medicamentos que levaram a essas escolhas, e como essas escolhas podem ter sido
acertadas ou trazer consequências inesperadas ao paciente. 
M.R.F, sexo feminino, 55 anos, natural de Teresina, Piauí, analfabeta, peso 73,0 kg, altura 1,50 m e
IMC 32,44 kg/m2. Os motivos da procura pelo atendimento foram: períodos de agitação,
agressividade, insônia, cansaço, dor de cabeça e dor nas pernas. 
Após atendimento a prescrição constava de clonazepam (2 mg), 1 comprimido à noite e
carbamazepina (200 mg) meio comprimido de manhã e à noite. 
Depois, devido ao surgimento de crises, choros frequentes e alucinações, a prescrição foi
alterada para haloperidol (1 mg), meio comprimido à noite; carbamazepina (200 mg), 3 vezes ao
dia; clonazepam (2 mg), meio comprimido à noite e amplictil (25 mg), 1 comprimido à noite. 
Após isto, a usuária apresentou disforia, compulsividade e polidpsia, sendo sua prescrição
alterada pra haldol (1 mg), meio comprimido 3 vezes ao dia; carbamazepina (200 mg), 3 vezes ao
dia; diazepam (5 mg), 2 comprimidos, 3 vezes ao dia e clorpromazina (100 mg), 1 comprimido à
noite. 
Atualmente, seguindo a mais recente prescrição médica, a usuária faz uso de carbamazepina
(200 mg), 3 vezes ao dia; clonazepam (2 mg), 1 comprimido à noite; haldol (1 mg), 1 comprimido à
noite e akineton (2 mg), 1 comprimido à noite. 
Esse é um caso clínico que traz uma realidade que pode acontecer com os pacientes. 
a) Inicie identificando PRM ou PRMs que justificam o Acompanhamento
Farmacoterapêutico do paciente.
b)Analise as prescrições, as escolhas terapêuticas, avaliar os motivos das mudanças,
encontrar os problemas relacionados aos medicamentos que levaram a essas escolhas, e como essas
escolhas podem ter sido acertadas ou trazer consequências inesperadas ao paciente. 
CASO CLÍNICO – Nº 04 - 
1- Por que dois diuréticos?
2 – Qual o motivo da prescrição da Sertralina e 
do Diazepam?
3 – Por que associar Captopril e Carvedilol?
4 – Seria importante retornar o AAS? Por quê
1- Por que dois diuréticos?
2 – Qual o motivo da prescrição da Sertralina e 
do Diazepam?
3 – Por que associar Captopril e Carvedilol?
4 – Seria importante retornar o AAS? Porque?
Ótima atividade!!!
Sorte é quando o conhecimento encontra a oportunidade!!!
1- Por que dois diuréticos?
2 – Qual o motivo da 
prescrição da Sertralina e 
do Diazepam?
3 – Por que associar 
Captopril e Carvedilol?
4 – Seria importante 
retornar o AAS? Por quê? 
1- Por que dois diuréticos?
2 – Qual o motivo da prescrição da 
Sertralina e do Diazepam?
3 – Por que associar Captopril e 
Carvedilol?
4 – Seria importante retornar o AAS? 
Por quê?