A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Estratégia de saúde da família I

Pré-visualização | Página 1 de 2

Estratégia de saúde da família
 
 
 
 
PNAB: Política Nacional da Atenção Básica 
 
 * Teve uma revisão em 2017 que veio a enfraquecer o formato atual da equipe de 
Estratégia da Saúde da Família. 
 
As equipes de Estratégia Saúde da Família seguem orientações nacionais, ou seja, as 
orientações são as mesmas para todo o país. Porém alguns munícipios possuem 
características particulares, que culmina em algumas modificações, mas são pequenas. 
 
Essas portarias trouxeram a tona a discussão da Estratégia Saúde da Família: 
 
◦ Portaria Nº 648, de 28 de março de 2006: estabelece a revisão de diretrizes e normas para 
a Organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família e o programa de 
Agentes Comunitários de saúde. 
 
◦ Portaria Nº 2488, de 21 de outubro de 2011: estabelece a revisão de diretrizes e normas 
para a Organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família e o programa de 
Agentes Comunitários de saúde 
 
◦ Portaria Nº 2436, de 21 de setembro de 2017: estabelece a revisão de diretrizes e normas 
para a Organização da Atenção Básica, no âmbito do SUS. 
 
Estratégia Saúde da Família 
 
▸ Quando surgiu em 1994, chamava-se de Programa Saúde da Família 
▸ Era chamado de programa, porque ele tinha um caráter temporário, ou seja, tinha uma 
data para terminar. 
▸ O programa deu tão certo, que a proposta virou estratégia. Então o Ministério da Saúde 
começou a utilizar a Estratégia Saúde da Família para organizar o seu serviço nas Unidades 
de Atenção Primária à Saúde 
▸ O estado do Ceará é vanguarda na proposta do Programa para trabalhar a Atenção 
Primária à Saúde 
▸ O programa surgiu no Quixadá 
▸ Existiu um programa antes do Programa Saúde da Família, o Programa do Agente 
Comunitário de Saúde (PACS), em 1991. Foi através dele que surgiu a ideia de ampliar para 
o outro Programa. 
▸ O PACS era composto por: 
 * 1 enfermeiro, que era responsável pela supervisão de vários agentes comunitários de 
saúde que já trabalhavam como os agentes atuais trabalham, fazendo visitas domiciliares. 
 
▸ Implantação do PACS no Ceará (1987): os envolvidos foram Dr. Carlile, Dr. Odorico, Miria, 
e o grupo sob coordenação de Ines Amaral, Vilane, Laura, Graça, Mary, Sonia 
▸ Implantação do PACS no Brasil (1991): Fátima Souza e Heloisa Machado 
▸ Setembro de 1993: Dr. Odorico leva a proposta de Quixadá de Residência em Saúde da 
Família para ser financiada pelo Ministério. 
▸Novembro de 1993: Em reunião técnica Dr. Odorico sugere que a Saúde da Família seja a 
proposta para a reorganização da Atenção Primária à Saúde 
▸ Em 1994: Ministério da Saúde lança oficialmente o Programa Saúde da Família 
 
 * Somente no ano de 2000, que foi lançado uma portaria que falava que era importante ter 
uma Equipe de Saúde Bucal. Antigamente a recomendação era que para cada duas equipes 
de Estratégia Saúde da Família, deveria ter uma equipe de Saúde Bucal. Atualmente, essa 
proporção é de um para um. 
 * No modelo antigo da Estratégia Saúde da Família, não havia um vínculo dos profissionais 
com a população do território. 
 
O foco na família 
 
✓ Utiliza métodos da clínica, da epidemiologia, das ciências sociais e da pesquisa e 
avaliação dos serviços de saúde para: definir e caracterizar a comunidade, identificar os 
problemas de saúde da comunidade, modificar programas para abordar estes problemas e 
monitorar a efetividade das ações de saúde. 
 
Os profissionais da Saúde da Família 
 
⇨ São especialistas nos problemas mais comuns e frequentes na comunidade 
⇨ Praticam a Saúde baseada em evidências, utilizando-se dos conhecimentos mais 
atualizados das ciências. 
⇨ Teriam que ter um olhar ampliado, ou seja, ter um conhecimento maior das pessoas que 
eles estavam acompanhando para prestar um serviço melhor. 
⇨ Suas ações são geralmente de baixa densidade tecnológica, porém são de alta 
complexidade da prática em saúde, pois para além da assistência, buscam atuar sobre os 
determinantes das doenças, através das ações de prevenção 
 
Perspectivas de Impacto Sócio-Político 
 
Uma atenção primária, organizada através da Estratégia Saúde da Família: 
 
⇨ Resolve 85% dos problemas de saúde da comunidade. 
⇨ Realiza vigilância à saúde (abrange a vigilância epidemiológica, vigilância sanitária, 
vigilância de saúde do trabalhador) 
⇨ Racionaliza acesso aos serviços de média e alta complexidade 
⇨ Amplia ações de promoção à saúde, incluindo ações intersetorias 
⇨ Identifica e fortalece redes de proteção social, governamentais e/ou não. 
 
 
 
A transformação do modelo 
 
Antes Depois 
Atenção centrada na doença Atenção centrada na saúde 
Atua sobre demanda espontânea Responde à demanda de forma continuada e racional 
Ênfase na medicina curativa Ênfase na integralidade da assistência 
Trata o indivíduo como objeto da ação O indivíduo é sujeito, integrado a família, ao domicílio e comunidade 
 
 
Antigo modelo: 
 
 * hospitalocêntrico, com o foco no médico, como a figura detentora de todo o poder na 
saúde, foco no biopoder. 
 * o indivíduo não tinha autonomia. A responsabilidade por sua saúde era somente do 
médico 
 
Novo modelo: 
 
 * não há um profissional que seja o mais importante da equipe. Além disso o foco seria na 
Atenção Primária e o trabalho é feito de forma multidisciplinar, uma vez que não se tem o 
médico como uma figura central e sim a equipe. 
 * há a ênfase na prevenção, promoção, reabilitação, tratamento, ou seja, um olhar mais 
ampliado 
 * Responsabilidade do cuidado com a saúde é em conjunto, ou seja, a equipe e paciente 
devem trabalhar juntos. 
 
Antes Depois 
Baixa capacidade de resolver problemas Otimização da capacidade de resolver problemas 
Saber e poder centrado no profissional médico Saber e poder centrados na equipe e comunidade 
Desvinculado da comunidade Vinculado à comunidade 
Relação custo/benefício desvantajosa Relação custo benefício otimizada 
 
 
Antigo modelo: 
 
 * não havia vínculo com a comunidade 
 
Novo modelo: 
 
 * há um vínculo com a comunidade 
 
 
ABS organizada pela Estratégia Saúde da Família 
 
✓ Possibilita a organização do Sistema Municipal de Saúde para contemplar os pontos 
essenciais de qualidade na Atenção Básica 
 
 * Nas propagandas que passavam na televisão, o PSF era muito relacionado as visitas 
domiciliares. Porém isso ficou mal explicado para a população, porque esse recurso era 
somente para as pessoas que não tinham condições de se locomover para uma unidade de 
saúde 
 
Organização dos Serviços 
 
• A Saúde da Família constitui uma estratégia para a organização e fortalecimento da 
Atenção Básica como o primeiro nível de atenção à saúde no SUS 
• Procura o fortalecimento da atenção por meio da ampliação do acesso, a qualificação e 
reorientação das práticas de saúde embasadas na Promoção da Saúde. 
 
▫ Território adscrito: território que fica sob responsabilidade da equipe de Estratégia Saúde 
da Família. 
▫ Acesso universal e contínuo. Apesar de ser universal, as pessoas são direcionadas para a 
unidades de seus respectivos territórios. 
▫ Estimula a participação dos usuários como forma de ampliar sua autonomia. 
▫ Utiliza tecnologias de cuidado complexo e variadas para ajudar no manejo das demandas. 
▫ Integralidade, universalidade, equidade, longitudinalidade 
 
Princípios da estratégia de Saúde da Família 
 
♢ Adscrição de Clientela: definição precisa do território de atuação. 
♢ Territorialização: mapeamento da área, compreendendo segmento populacional 
determinado 
♢ Diagnóstico da situação de saúde da população: cadastramento das famílias e dos 
indivíduos, gerando dados que possibilitem a análise da situação de saúde do território. 
 
Características do processo de trabalho da SF 
 
♢ Interdisciplinaridade: trabalho interdisciplinar, integrando áreas técnicas e profissionais de 
diferentes formações. 
♢ Vinculação: participação