A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
IntroduoaoEstudodosTecidos

Pré-visualização | Página 1 de 6

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS
TECIDOS
1. INTRODUÇÃO AO
ESTUDO DOS TECIDOS
Para iniciarmos o estudo dos
tecidos, é preciso saber o que eles
constituem e como são
constituídos. Os tecidos são
formados por duas unidades bá
sicas: as células e a matriz
extracelu lar. Uma associação de
diferentes ti pos de tecidos dá
origem a um órgão.
Dessa forma, em um corte histológi
co é possível fazer a identificação de
determinado órgão ao se observar a
associação entre os diferentes tipos
teciduais. O corpo humano é forma
do por quatro tipos básicos de teci
dos – epitelial, conjuntivo, muscular
e nervoso –, que serão detalhados
mais à frente.
2. AS CÉLULAS
As células são as unidades
funcionais
e estruturais constituintes de todos
os tecidos. O corpo humano é com
posto por mais de 200 tipos
celulares,
cada um responsável por realizar
uma
função diferente. Para tanto, as
células
sofrem diferenciação celular.
A diferenciação celular é o processo
através do qual uma célula sofre alte
rações em seu formato e tamanho,
de
acordo com a função que virá a de
sempenhar. Essa especialização fun
cional de cada célula faz com que
elas
consigam atingir uma maior eficácia
em seu trabalho.
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 4
EXEMPLIFICAÇÃO DA DIFERENCIAÇÃO
CELULAR ENTRE CÉLULAS MUSCULARES E
NERVOSAS.
Diferenciação celular
Célula indiferenciada
Diferenciação celular
São alongadas e
conectadas Adaptadas para
a contração e
relaxamento
Objetivo de
converter energia
química em trabalho
mecânico
Objetivo de gerar e
transmitir impulsos
elétricos
Possuem
prolongamentos
Células musculares Células nervosas
3. A MATRIZ
EXTRACELULAR
Conjuntamente às células, a matriz
extracelular (MEC) é outro compo
nente elementar na formação dos te
cidos. Ela é composta por um com
plexo de macromoléculas não-vivas.
Associações dessas moléculas po
dem até formar estruturas complexas
e altamente organizadas, como as fi
brilas de colágeno e as membranas
basais.
Figura 2. Corte histológico de rim, indicando as mem
branas basais (setas) situadas em torno do epitélio de
túbulos renais. Fonte: Histologia Básica – Junqueira &
Carneiro
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 5
Fornecer apoio mecânico e sus
tentação às células e transportar
nutrientes e metabólitos são as
funções mais conhecidas da MEC.
Contudo, além disso, é notável tam
bém a interação entre a matriz e as
células.
As células produzem a MEC e con
trolam a sua composição, mas, ao
mesmo tempo, são influenciadas e
controladas por moléculas da
matriz, que são reconhecidas e se
ligam a receptores celulares.
Existem, assim, junções
especializadas que conectam as
células às macromoléculas encon
tradas ao redor. Dessa forma, a in
terrelação entre as células e a matriz
extracelular responde ativamente às
exigências do organismo.
POSSÍVEIS FORMAS DE INTERAÇÃO ENTRE A MEC E AS CÉLULAS
Modular a sobrevivência
das células
Modificar a
morfologia e as
funções das células
Regular a migração das
células
A matriz
extracelular (MEC)
pode:
Influenciar no
desenvolvimento das
células
Formar associações
juncionais com as
células
4. OS ÓRGÃOS
Direcionar a atividade
mitótica das células
Os órgãos são estruturados, basi
camente, em dois componentes: o
Os quatro tipos básicos de tecido se
associam de diferentes formas e
dão origem aos diversos órgãos do
orga nismo. Os órgãos, por sua vez,
se or ganizam em sistemas e
realizam suas funções
características.
parênquima e o estroma. O parên
quima é constituído pelas células
responsáveis pelas funções do ór
gão, enquanto o estroma é um
tecido de sustentação, servindo
assim de apoio para as células do
parênquima.
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 6
O estroma, tal como um tecido de
sustentação, é formado por tecido
conjuntivo. Já o tipo tecidual cons
tituinte do parênquima irá variar de
acordo com a função do órgão. O pa
rênquima do intestino, por exemplo,
é formado pelo epitélio intestinal, en
quanto o parênquima do pulmão é o
epitélio respiratório.
5. OS TECIDOS BÁSICOS
DO ORGANISMO
Apesar da sua grande complexi
dade, o corpo humano é formado
basicamente por quatro tipos de teci
dos: epitelial, conjuntivo, muscular
e nervoso. Essa classificação leva
em conta critérios estruturais,
funcionais e embriológicos dos
tecidos.
Cada um dos tecidos é formado por
vários tipos celulares característicos
e por arranjos específicos da matriz
extracelular, sendo assim possível
diferenciá-los. Os tecidos epitelial e
conjuntivo serão abordados mais de
talhadamente a seguir.
Tecido epitelial Tecido conjuntivo
Tecido muscular Tecido nervoso
Figura 3. Cortes histológicos dos 4 tipos básicos de tecidos. Fonte: Adaptado de Altas de Histologia – Di Fiori
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 7
6. TECIDO EPITELIAL
O tecido epitelial é formado por célu
las que revestem superfícies e que
secretam moléculas. Uma de suas
características é a escassa presença
de MEC.
SE LIGA! Os epitélios se originam a partir dos três folhetos germinativos
em brionários. O ectoderma dá origem aos epitélios de revestimento das
muco sas nasal e oral, ao epitélio da córnea, à epiderme e às glândulas da
pele e glândulas mamárias. O endoderma origina o fígado, o pâncreas e
os epitélios de revestimento dos tratos respiratório e gastrointestinal. Por
fim, os túbu los uriníferos do rim, os epitélios de revestimento dos
sistemas reprodutores masculino e feminino, o revestimento endotelial do
sistema circulatório e o mesotélio das cavidades corpóreas são originados
a partir do mesoderma.
ORIGEM EMBRIONÁRIA DOS EPITÉLIOS
Fígado, pâncreas e epitélios
dos tratos respiratório e
gastrointestinal.
Endoderma
Ectoderma Mesoderma
Epitélios da mucosa oral, da
mucosa nasal, da córnea,
epiderme, glândulas da pele e
glândulas mamárias.
Túbulos uriníferos, mesotélio
das cavidades corpóreas,
endotélio dos vasos e epitélios
dos sistemas reprodutores.
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 8
Funções do tecido epitelial
Os epitélios têm as funções básicas
de revestimento e secreção. É o teci
do epitelial o responsável pelo reves
timento das superfícies internas ou
externas dos órgãos e, também,
pelo revestimento externo do corpo
como um todo, através da pele.
Associados a essa função de reves
timento, estão também os papéis de
proteção, de absorção de íons e de
moléculas e de percepção de estí
mulos que também são assumidos
pelo epitélio. Além disso, o tecido
epi telial pode controlar o
movimento de substâncias entre
compartimen tos corporais através
da permeabili dade seletiva das
junções celulares.
Em adição, o epitélio possui uma ou
tra função impor
tante que é a de
secreção de subs
tâncias. Tal secre
ção pode ser feita
pelas células epi
teliais de revesti
mento ou por cé
lulas epiteliais que
se especializam
e se reúnem de
modo a formar as
glândulas, estru
turas especialistas
no papel secretor.
mioepitélio. Já as células capazes de
perceber estímulos formam o chama
do neuroepitélio, encontrado nos bo
tões gustativos, nas retinas dos
olhos, nas células pilosas
especializadas do ouvido interno e
no epitélio olfatório.
Características das células
epiteliais
As células epiteliais apresentam for
mato poliédrico, isto é, possuem
muitas faces e podem ter diferentes
formatos. Podem variar de células
colunares altas até células achadas,
chamadas de pavimentosas. O for
mato do núcleo geralmente acompa
nha a forma das células, variando de
esférico a elíptico.
Células epiteliais
justapostas
Célula cúbica Célula
pavimentosa
Algumas células Célula colunar
epiteliais possuem a capacidade de
se contraírem, caracterizando assim
o
Figura 4. Tipos de células epiteliais. Fonte:
smart. servier.com/
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 9
As células se encontram justapos
tas, uma ao lado da outra, havendo
pouquíssima matriz extracelular
entre elas. Um aspecto importante
das células epiteliais é o fato de elas
se encontrarem firmemente
aderidas umas às outras, por meio
de junções intercelulares.
Os epitélios ficam apoiados sobre
um tecido conjuntivo. No caso dos
epitélios que revestem as