A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Exercícios de Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem

Pré-visualização | Página 1 de 1

Jhoniffer Matricardi 
 
1 
Exercícios de Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem 
 
1) (UFSC – UFSC – 2018) A resolução COFEN n° 543/2017 atualiza e estabelece 
parâmetros para o dimensionamento do quadro de profissionais de enfermagem nos 
serviços/locais em que são realizadas atividades de enfermagem. Considerando essa 
resolução, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa CORRETA. 
I. O(A) Enfermeiro(a) Responsável Técnico (RT) de dispor de, no mínimo, 5% do 
quadro geral de profissionais de enfermagem da instituição para a cobertura de 
situações relacionadas à rotatividade de pessoal e à participação em programas 
de educação permanente. 
II. Cabe ao(a) enfermeiro(a) o registro diário da classificação dos pacientes 
segundo o Sistema de Classificação de Pacientes (SCP), para subsidiar a 
composição do quadro de enfermagem para as unidades de internação. 
III. Para efeito de cálculo do referencial mínimo para o quadro de profissionais de 
enfermagem, para as 24 horas de cada Unidade de Internação (UI), consideram-
se 18 hotas de enfermagem, por paciente, no cuidado intensivo, e 10 horas de 
enfermagem, por paciente, no cuidado intermediário. 
IV. A distribuição percentual do total de profissionais de enfermagem para cuidado 
intensivo deve observar o Sistema de Classificação de Pacientes (SCP) e a 
proporção mínima de 52% de enfermeiros e demais técnicos de enfermagem. 
V. Ao quantitativo de profissionais estabelecido deverá ser acrescido o Índice de 
Segurança Técnica (IST) de, no mínimo, 21% do total, dos quais 11% são 
referentes a férias e 10%, a ausências não previstas. 
 
a) Somente as afirmativas I, II e III estão corretas. 
b) Somente as afirmativas II, III e IV estão corretas. 
c) Somente as afirmativas III, IV e V estão corretas. 
d) Somente as afirmativas I, II e IV estão corretas. 
e) Somente as afirmativas I, II e V estão corretas. 
Resposta: Alternativa D. 
Explicação: o Índice de Segurança Técnica deve ser de, no mínimo, 15% do total, sendo 
que 8,33% são destinados a férias e 6,67% ao absenteísmo. 
_______________________________________________________ 
2) (UFG – UFG - 2018) Segundo a Resolução COFEN nº 543/2017, para efeito de 
cálculo do referencial mínimo para o quadro de profissionais de enfermagem, dessem 
ser consideradas como horas de enfermagem por paciente, nas 24 horas. 
a) 18 horas de enfermagem, por paciente, no cuidado intensivo. 
b) 9 horas de enfermagem, por paciente, no cuidado intermediário. 
c) 8 horas de enfermagem, por paciente, no cuidado de alta dependência. 
d) 6 horas de enfermagem, por paciente, no cuidado mínimo. 
Resposta: Alternativa A. 
Explicação: Segundo a resolução COFEN n° 543/2017 a classificação é: 4 horas no 
cuidado mínimo, 6 horas no cuidado intermediário, 10 horas no cuidado de alta 
dependência e no semi-intensivo, e 18 horas no cuidado intensivo, sendo essas horas 
por paciente. 
Jhoniffer Matricardi 
 
2 
_______________________________________________________ 
3) (ALL RJ – FUNRIO – 2018) A Resolução nº 543/2017 do Conselho Federal de 
Enfermagem (COFEN) atualiza e estabelece parâmetros para o dimensionamento do 
quadro de Profissionais de Enfermagem nos serviços/locais em que são realizadas 
atividades de Enfermagem. O referencial mínimo para o quadro de profissionais de 
enfermagem, para as 24 horas de cada unidade de internação (UI), considera o sistema 
de classificação de pacientes (SCP), as horas de assistência de enfermagem, a 
distribuição percentual do total de profissionais de enfermagem e a proporção 
profissional/paciente. 
a) 4 horas, no cuidado mínimo; 6 horas, no cuidado intermediário; 10 horas, no 
cuidado semi-intensivo; e 18 horas, no cuidado intensivo. 
b) 3,8 horas, no cuidado mínimo; 5,6 horas, no cuidado intermediário; 9,4 horas, no 
cuidado semi-intensivo; e 17,9 horas, no cuidado intensivo. 
c) 4,2 horas, no cuidado mínimo; 5,8 horas, no cuidado intermediário; 9 horas, no 
cuidado semi-intensivo; e 17,9 horas, no cuidado intensivo. 
d) 4,4 horas, no cuidado mínimo; 5,6 horas, no cuidado intermediário; 10 horas, no 
cuidado semi-intensivo; e 18 horas, no cuidado intensivo. 
Resposta: alternativa A. 
Explicação: Segundo a resolução COFEN n° 543/2017 a classificação é: 4 horas no 
cuidado mínimo, 6 horas no cuidado intermediário, 10 horas no cuidado de alta 
dependência e no semi-intensivo, e 18 horas no cuidado intensivo, sendo essas horas 
por paciente. 
_______________________________________________________ 
4) (EBSERH MG – IADES – 2014) Para o enfermeiro realizar o dimensionamento de 
pessoal de enfermagem, é necessário que sejam seguidas as seguintes fases, 
sequencialmente: 
a) Reconhecimento da situação, utilização do método universal de 
dimensionamento e avaliação dos resultados. 
b) Reconhecimento da situação, cálculo de pessoal de enfermagem e avaliação 
dos resultados. 
c) Utilização do método universal de dimensionamento, conhecimento da 
instituição e avaliação da instituição. 
d) Cálculo de pessoal, índice de segurança técnica e avaliação dos resultados. 
e) Reconhecimento da situação, índice de segurança técnica e avaliação dos 
resultados. 
Resposta: Alternativa B. 
Explicação: A sequência correta segue o princípio do método científico em que primeiro 
é necessário conhecer o atendimento que deverá ser prestado para definir através do 
cálculo quantas horas de enfermagem serão necessárias (definindo também o número 
de profissionais), finalizando com a avaliação dos resultados. 
_______________________________________________________ 
05) (FGV – FGV – 2014) Na realização do dimensionamento de pessoal da área de 
enfermagem, recomenda se aplicar o Índice de Segurança Técnica para manter uma 
quantidade adequada de profissionais. O objetivo desse índice é: 
Jhoniffer Matricardi 
 
3 
a) Assegurar o número de profissionais pelos parâmetros da média de 
permanência dos pacientes. 
b) Inserir as taxas referentes ao absenteísmo ao trabalho num determinado período 
de tempo. 
c) Acrescentar quantidade de profissional para cobertura nas situações de 
ausência ao serviço. 
d) Reforçar a base de cálculo com o uso do sistema de classificação de pacientes. 
Resposta: Alternativa C. 
Explicação: Não apenas pela média de permanência de pacientes, mas também a 
classificação destes e pelo tipos de ausência (folga semanal, feriado, férias e não-
previstas). As taxas de absenteísmo são apenas uma parte do cálculo de 
dimensionamento. Não se trata de reforçar o cálculo, mas garantir quantidade suficiente 
de profissionais em casos de ausências. 
Referências 
 
CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN N° 543 de 12 de maio 
de 2017. Disponível em:< http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-
5432017_51440.html>. Acesso em: 23 abr. 2021. 
KURCGANT, P. Gerenciamento em enfermagem. 3ª ed. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara 
Koogan, 2016. [recurso online]. ISBN 9788527730198. 
SANTOS, A. C. A. S. (Coord.). Coleção de Manuais para Enfermagem: ética e 
deontologia, administração em enfermagem, gestão e liderança, planejamento, auditoria 
e dimensionamento dos profissionais de enfermagem. 1ª ed. Salvador, BA: Editora 
Sanar, 2019. (Coleção de manuais para enfermagem, v. 1). 
 
http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-5432017_51440.html
http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-5432017_51440.html