A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Questões epidemiologia

Pré-visualização | Página 1 de 4

QUESTÕES EPIDEMIOLOGIA
1)Em relação à estrutura epidemiológica das doenças infecciosas, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:
a) O habitat natural no qual um agente infeccioso vive, cresce ou se multiplica é denominado reservatório e pode
ser uma fonte de infecção.
b) Qualquer organismo vivo simples ou complexo, incluindo o homem, capaz de ser infectado por um agente
específico é denominado de hospedeiro.
c) Qualquer pessoa, animal, objeto ou substância a partir do qual o agente é transmitido para o hospedeiro é
denominado fonte de infecção e reservatório de doença infecciosa.
d) Os objetos de uso pessoal do caso clínico ou portador, que podem estar contaminados e transmitir agentes
infecciosos e cujo controle é feito por meio da desinfecção, são denominados fômites
2) O conceito “imunidade de rebanho” pode ser definido como:
a) Resistência usualmente associada à presença de anticorpos que têm o efeito de inibir microrganismos específicos
ou suas toxinas, responsáveis por doenças infecciosas particulares.
b) Resistência adquirida, naturalmente, da mãe ou, artificialmente, pela inoculação de anticorpos protetores
específicos (soro imune de convalescentes ou imunoglobulina sérica).
c) Resistência de um grupo ou população à introdução e disseminação de um agente infeccioso a partir da elevada
proporção de indivíduos imunes e na uniforme distribuição desses.
d) Resistência adquirida naturalmente, pela infecção ou artificialmente, pela inoculação de frações ou produtos de
agentes infecciosos, ou do próprio agente morto, modificado ou de forma variante.
3)O conceito “patogenicidade” poder ser definido como:
a) Grau de patogenicidade de um agente infeccioso.
b) Capacidade de um agente biológico causar doença em um hospedeiro susceptível.
c) Capacidade do agente etiológico se alojar e multiplicar-se no corpo do hospedeiro.
d) Exacerbação das manifestações clínicas ou anatômicas de um processo mórbido.
4)Profilaxia representa um conjunto de medidas que têm por finalidade prevenir ou atenuar as doenças, suas
complicações e conseqüências. As medidas de profilaxia são estabelecidas com base no conhecimento da cadeia de
transmissão das doenças infecciosas. As medidas “quarentena, isolamento, vacinação e tratamento” são aplicadas
em:
a) Indivíduos portadores, recém-adquiridos; doentes típicos e contatos.
b) Indivíduos suscetíveis; recém-adquiridos; fontes de infecção e contaminados.
c) Indivíduos comunicantes, contatos; contaminados; e expostos ao risco de infecção.
d) Indivíduos recém-importados; infectados, expostos ao risco de infecção; e doentes típicos.
5)Os surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) possuem características que demandam procedimentos
especiais. Muitas vezes, é difícil estabelecer a etiologia da doença. Na vigilância epidemiológica das DTA, podemos
afirmar, EXCETO:
a) A DTA é uma doença de notificação obrigatória e qualquer caso deve ser comunicado à autoridade sanitária.
b) As ações necessárias envolvem, basicamente, comensais, definição de caso e coleta de amostras clínicas,
bromatológicas e toxicológicas, além da inspeção sanitária
c) Os dados devem ser continuamente analisados para possibilitar, paralelamente à investigação, a adoção de
medidas de prevenção e controle (processo informação-decisão-ação).
d) Os propósitos da investigação são determinar as circunstâncias nas quais o surto foi produzido e obter
informações que possam orientar as medidas necessárias para evitar novos casos.
6)Sobre as doenças transmitidas por vetores, é correto afirmar:
a) A febre maculosa brasileira é geralmente adquirida pela picada de artrópode infectado e a transmissão ocorre se o
mesmo permanecer aderido ao hospedeiro por, no mínimo, 4-6 horas.
b) A transmissão do vírus dengue se faz pela picada dos mosquitos Aedes aegypti. Após algumas horas de
alimentado por sangue infectado, o mosquito está apto a transmitir o vírus a um hospedeiro susceptível próximo.
c) O principal gênero de mosquito identificado como vetor do vírus da febre do Nilo Ocidental é o Culex. O Aedes
albopictus, espécie amplamente distribuída no Brasil, também é considerada vetor potencial, além do Anopheles.
d) O mosquito da espécie Aedes aegypti é o principal transmissor da febre amarela urbana. Na febre amarela
silvestre, os transmissores são mosquitos, com hábitos estritamente silvestres, principalmente os gêneros
Haemagogus e Sabethes.
7)Sobre os reservatórios da leptospirose, é CORRETO afirmar:
a) Os seres humanos são apenas hospedeiros acidentais e terminais dentro da cadeia de transmissão.
b) Os animais sinantrópicos, domésticos e selvagens são os reservatórios essenciais para a persistência dos focos da
infecção.
c) O principal reservatório é constituído por roedores domésticos, estes ao se infectarem, não desenvolvem a doença
e tornam-se portadores.
d) Os vírus têm tropismo por determinada espécie de roedor; os responsáveis por quadros de febre e hemorragia
estão associados às espécies B. lasiurus
8)Sobre a malária, doença de Chagas, esquistossomose e toxoplasmose, é correto afirmar, EXCETO:
a) O homem é o principal reservatório dos protozoários da espécie P. falciparum de importância epidemiológica no
que se refere à malária.
b) Roedores, marsupiais, carnívoros, primatas e, recentemente, bovinos, foram encontrados com infecção natural
por S. mansoni.
c) O gato e outros felinos são os hospedeiros definitivos do Toxoplasma gondi; mamíferos e aves são os
hospedeiros intermediários.
d) Das 120 espécies de vetores transmissíveis da doença de Chagas, 48 foram identificadas no Brasil; cinco têm
especial importância na transmissão da doença ao homem.
9) Sobre a ocorrência da leishmaniose visceral no Brasil, é correto afirmar, EXCETO:
a) No Brasil, a forma de transmissão é através da picada dos vetores – L. longipalpis ou L. cruzi – infectados pela
Leishmania (L.) chagasi.
b) A leishmaniose visceral, dada a sua incidência e alta letalidade, é considerada emergente em indivíduos
portadores da infecção por HIV, tornando-se uma das doenças mais importantes da atualidade.
c) Na área urbana, o cão (Canis familiaris) é a principal fonte de infecção. A enzootia canina tem precedido a
ocorrência de casos humanos e a infecção em cães tem sido mais prevalente do que no homem.
d) A leishmaniose é considerada primariamente como uma zoonose, podendo acometer o homem, quando este entra
em contato com o ciclo de transmissão do parasito, transformando-se em uma zooantroponose.
10) Entende-se por falha vacinal um deficiente estímulo imunológico, determinado por um produto elaborado com
a finalidade de proteger um organismo vivo contra um agente etiológico específico. As falhas vacinais podem
acontecer como conseqüências de fatores ligados à vacina e ao próprio organismo animal (falhas reais) e à
conservação e manipulação, constituindo falhas aparentes do produto. São falhas aparentes das vacinas contra a
raiva:
a) Deficiente resposta imune do animal.
b) Produção de vacinas com cepas não prevalentes.
c) Uso de vacinas ineficazes, com potência inadequada para a produção do estímulo antigênico esperado.
d) Administração de volume menor que o recomendado pelo laboratório produtor e aplicação de vacina por via ou
em local contra-indicado.
EBSERH/ HUPAA-UFAL - Enfermeiro - Assistencial - IDECAN - 2014
https://www.enfconcursos.com/questoes/ver/questao-concurso-enfermagem/769821
11) A promulgação da Lei nº 8.080/90, que instituiu o Sistema Único de Saúde (SUS), teve importantes
desdobramentos na área de vigilância epidemiológica. O Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SNVE),
formalizado através da Lei nº 6.259, oficializa o conceito de vigilância epidemiológica como
a) o conjunto de atividades do ramo da segurança que tem como objetivo prevenir e reduzir perdas patrimoniais em
uma determinada organização.
b) um conjunto de ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas
sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens