A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Neurotransmissores - P1

Pré-visualização | Página 2 de 4

agonista, 
mas que não ocorre efeito nenhum na 
ausência do agonista. 
DE RECEPTOR: 
• Sitio ativo: 
REVERSÍVEL→ antagonista competitivo 
liga-se reversivelmente ao receptor, 
mantendo sua conformação inativa com 
competição 
IRREVERSÍVEL→ antagonista não 
competitivo liga-se irreversivelmente 
abolindo a ativação do receptor (EX.: 
ASPIRINA) 
• Alostérica: 
REVERSÍVEL/IRREVERSIVEL→ 
antagonista não competitivo altera-se para 
a ligação do agonista ou impede a mudança 
de conformação necessária para a ativação 
do receptor pelo agonista 
SEM RECEPTOR: 
QUIMICO→ inativa o agonista ao 
modifica-lo, de modo que o agonista não 
consegue se ligar ao receptor e ativá-lo 
FISIOLÓGICO→ ativa ou bloqueia um 
receptor que medeia uma resposta 
fisiologicamente oposta a aquela do 
receptor do agonista 
Lídia M Negrão – Med 4 
 
 
IMPORTANTE! O ÚNICO 
ANTAGONISTA QUE ATUA NA 
POTENCIA DO AGONISTA É O 
COMPETITIVO, OS OUTROS ATUAM 
DIRETAMENTE NA SUA EFICÁCIA 
DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS: 
• Doença de Huntington→ perda 
dos neurônios secretores de 
GABA; demências subcorticais 
• Degeneração corticobasal 
• Síndrome de Leigh 
• Síndrome de Shy Drager→ falha 
do SNC 
SINAPSES: 
A sinapse é uma junção especializada onde 
uma parte do neurônio faz contato e se 
comunica com outro neurônio ou tipo 
celular (p. ex: uma célula muscular ou 
glandular). 
• A informação geralmente flui em 
uma única direção, de um 
neurônio para sua célula-alvo. O 
primeiro neurônio é 
denominado pré-sináptico, e a 
célula-alvo é denominada pós- 
sináptica 
• A grande maioria das sinapses no 
corpo são sinapses químicas; 
Cada sinapse tem duas partes: o terminal 
axonal da célula pré-sináptica e a 
membrana da célula pós-sináptica. As 
membranas pré e pós-sinápticas nas 
sinapses químicas são separadas por uma 
fenda – a fenda sináptica 
• O terminal axônico também é 
chamado de botão sináptico 
A transmissão do impulso nas sinapses 
pode se dar de 2 formas: 
• as sinapses que envolvem a 
passagem de íons são ditas 
ELÉTRICAS 
• Aquelas com a liberação de 
mediadores químicos são as 
QUÍMICAS. 
CLASSIFICAÇÃO 
• AXODENDRÍTICA: axônio-dendrito 
de outro neurônio. 
• AXOSSOMÁTICA: axônio - corpo 
celular. 
• AXOAXÔNICA: axônio – axônio 
SINAPSES ELÉTRICAS: 
Simples em estrutura e função e permitem 
a transferência direta da corrente iônica de 
uma célula para outra 
• Ocorrem nas junções comunicantes 
(GAP) 
 
• A maioria das junções comunicantes 
entre neurônios permite que a 
corrente iônica passe 
adequadamente em ambos os 
sentidos; portanto, diferentemente da 
maioria das sinapses químicas, as 
sinapses elétricas são bidirecionais e 
não polarizadas. 
 
• A transmissão nas sinapses elétricas 
é muito rápida 
 
• As sinapses elétricas existem 
principalmente em neurônios do 
SNC. 
 
Lídia M Negrão – Med 4 
 
 
SINAPSES QUÍMICAS: 
Utilizam moléculas neurócrinas para 
transportar a informação de uma célula à 
outra. 
• As sinapses químicas são 
polarizadas e unidirecionais 
O sinal elétrico da célula pré-sináptica é 
convertido em um sinal neurócrino que 
atravessa a fenda sináptica e se liga a um 
receptor na sua célula-alvo 
Obs: A manutenção das sinapses é uma das 
razões pela qual pessoas idosas são 
incentivadas a desenvolver novas 
habilidades e aprender novas informações. 
RECEPTORES PÓS-SINAPTICOS 
(QUÍMICAS) 
n Ionotrópicos 
• De canais iônicos, resposta rápida, 
íons 
• Os excitatórios abrem o canal de Ca, 
Na, k, assim, o fluxo de Na supera 
os outros, despolarizando o interior 
da célula (TORNAR MENOS 
NEGATIVO) 
• Os inibitórios abrem o canal de 
cloreto, assim, o fluxo para dentro 
da célula de cloreto é menor, 
hiperpolarizando o interior da célula 
(TORNAR MAIS NEGATIVO) 
n Metabototrópicos 
Associados a proteína G, resposta lenta, 
necessitam da transdução de sinais 
 
PEPS: O NT é excitatório; Causa 
despolarização na membrana pós-sinaptica. 
Ex: entrada de Na 
 
PIPS: O NT é inibitório; Causa 
hiperpolarização na membrana pós-
sinaptica. 
Ex: entrada de Cl ou saída de K 
 
Lídia M Negrão – Med 4 
 
 
NEUROTRANSMISSORES: 
Substâncias responsáveis pela 
comunicação das células do sistema 
nervoso. 
CARACTERÍSTICAS: 
• Sintetizado por neurônios pré-
sinápticos 
• Possui receptores pós-sinápticos, 
cuja ativação causa efeito inibitório 
ou excitatório. 
EXCITATÓRIO→ DESPOLARIZA: 
MEMBRANA MAIS PRÓXIMA DO 
LIMIAR 
INIBITÓRIO→ HIPERPOLARIZA: 
MEMBRANA COM O INTERIOR MAIS 
NEGATIVO E MAIS AFASTADA DO 
LIMIAR DO QUE DO REPOUSO 
TIPOS: 
• Monoaminas→noroepinefrina 
(depressao) 
• Aminas→dopamina, serotonina 
(depressao) 
• Aminoácidos→GABA (inibitório), 
glutamato (excitatório), histamina 
• Peptídeos→ endorfina 
• Purinas→ ATP 
• Gases→N; O e CO 
• Acetilcolina (alerta, sono, vigilia) 
SÍNTESE DE NT: 
• Ocorre no soma e no terminal axonal 
• Proteínas em vesículas por 
transporte axônico rápido 
LIBERAÇÃO DE NT 
• Via exocitose 
• Necessária a despolarização 
• Canais de Ca abertos, movendo-se 
para dentro da célula e ligando-se a 
proteínas 
• Fusão membranosa e NT vão da 
vesícula para a fenda sináptica. 
Os NT se difundem através da fenda para 
se ligarem aos receptores na membrana da 
célula pós-sinaptica, ocorrendo ou não uma 
resposta. 
Lídia M Negrão – Med 4 
 
 
TÉRMINO DAS ATIVIDADES: 
Sinalização neural tem curta duração 
devido a rápida remoção ou inativação dos 
NT 
 Alguns são removidos: 
• Por enzimas 
• Difundem-se para longe dos seus 
receptores 
• Transporte de volta para a célula 
pré-sináptica, célula da glia ou 
neurônio adjacente 
IMPORTANTE! Os NT podem ser 
reciclados para reabastecer vesículas 
sinápticas vagas Obs.: receptores 
podem ser colinérgicos (ACh); 
adrenérgicos... 
Obs: O mesmo neurotransmissor 
pode ter efeitos diferentes, por 
exemplo, a Acetilcolina se liga aos 
receptores ionotrópicos que abrem 
canais de cálcio e geram efeito 
excitatório/despolarizante; já a 
Aceticolina se ligando aos 
receptores metabotrópicos que 
abrem canais de potássio vai gerar 
efeito inibitório/hiperpolarizante 
OBS.: KISS AND RUM 
PATHWAY→ fusão das membranas 
das vesículas e membrana pré-
sináptica, formando um poro de 
fusão, o qual é grande o suficiente 
para a passagem de NT 
VALE RESSALTAR A DIFERENÇA ENTRE 
 
NEUROTRANSMISSOR→ substâncias 
químicas produzidas pelos neurônios, por 
meio das quais elas podem enviar 
informações a outras células 
 
NEUROMODULADOR→ efeito é o 
controlar (modular, regular) a transmissão 
sináptica. 
HORMÔNIO→ é uma substância química 
específica produzida num órgão ou em 
determinadas células do mesmo e é 
libertada e transportada diretamente pelo 
sangue ou por outros fluidos corporais 
 
 
Lídia M Negrão – Med 4 
 
 
IMPULSO NERVOSO: 
Correspondem a sinais elétricos gerados na 
zona de disparo de um neurônio, em 
consequência da despolarização da 
membrana 
POTENCIAIS GRADUADOS – 
Comunicação a curta distância 
POTENCIAIS DE AÇÃO – Comunicação 
a grandes distâncias. 
CANAIS IÔNICOS: 
Canais com portão controlam a 
permeabilidade iônica do neurônio, se 
alternam entre aberturas e fechamentos. 
• Íons se movem de áreas de maior 
concentração para áreas de menor 
concentração – Aspecto químico do 
gradiente. 
Cátions movem-se em direção a áreas 
carregadas negativamente. Ânions movem-
se em direção a áreas carregadas 
positivamente – Aspecto elétrico do 
gradiente. 
Os canais iônicos, em geral, são 
denominados de acordo com os principais 
íons que passam através deles. Existem 
quatro tipos principais de canais iônicos 
seletivos no neurônio: (1) canais de Na+ , 
(2) canais de K+ , (3) canais de Ca2+ e (4) 
canais de Cl– . 
• A facilidade com que os íons fluem 
através um canal é denominada 
condutância do canal (G). A 
condutância de um canal varia com 
o estado de abertura deste e com a 
isoforma da proteína do canal. 
• Os canais iônicos controlados 
mecanicamente são encontrados em 
neurônios sensoriais e se