A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
70 pág.
O Território Nacional espaço Brasileiro o modelo econômico brasileiro

Pré-visualização | Página 14 de 15

com fábricas de 
automóveis construídas desde 2000 em Camaçari, na Bahia (Ford) e Goiana, Per-
nambuco (Jeep). Outro implemento importante se deve ao parque petroquímico 
instalado também em Camaçari, sendo este o maior complexo industrial integrado 
do hemisfério sul, com mais de 90 empresas de diversos setores.
O setor de serviços se desenvolveu, principalmente, nas capitais de es-
tado via de regra. Um destaque importante no setor de serviços para o interior é o 
centro tecnológico formado em Campina Grande, na Paraíba. Assim, ao longo das 
últimas décadas, em Campina Grande, se consolida um polo sui-generis tecnológi-
co, principalmente em relação à TI, abarcando, atualmente, uma dúzia de univer-
sidades, mais de uma de dezena de fábricas e quase 100 de empresas de serviços 
em tecnologia, com milhares de profissionais e estudantes. Para se ter uma ideia, 
a revista norte-americana NewsWeek conceituou, em 2004, a região como o Vale 
do Silício brasileiro e também o mais quente ambiente de produção tecnológica e 
inovação em TI de toda a América Latina.
O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Nome do Concurseiro(a) - 000.000.000-00, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
http://www.grancursosonline.com.br
http://www.grancursosonline.com.br
66 de 70www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO BRASIL
O Território Nacional; Espaço Brasileiro; O Modelo Econômico Brasileiro
Prof. Luis Felipe Ziriba
Região Norte
Destaca-se, na região Norte, dentro do contexto da produção e da divisão de 
trabalho no País, o Polo Industrial de Manaus, oriundo das ações impressas 
pela Superintendência de Desenvolvimento da Zona Franca de Manaus (Su-
frama). Atualmente, a cidade de Manaus concentra quase 4% de toda produção 
industrial do País. Em uma região marcada pela distância e escalas reduzidas de 
atividades produtivas, desde a década de 1960, a Zona Franca vem conseguindo 
atrair investimentos por meio de uma gama de isenções fiscais e facilidades diver-
sas à que empresas do ramo automobilístico, de produção de componentes, eletrô-
nicos, entre outros, se instalem.
Outro padrão de inserção da região Norte do Brasil nas escalas produtivas e 
na divisão do trabalho nacional se deve à subida da fronteira mineral (adstrita 
anteriormente apenas ao estado de Minas Gerais) empreendida a partir da década 
de 1970 alcançando, principalmente, o estado do Pará como um polo de produção 
global de minérios com investimentos de mineradoras de todo o mundo.
A fronteira agropecuária também atinge a região, principalmente, em esta-
dos como Tocantins, Pará e Rondônia, estando baseada na monocultura e em escalas 
de intensa mecanização, se utilizando da abundância de água e terras (bem mais 
baratas em se comparado ao centro-sul), do clima quente e de um relevo plano.
Texto Complementar
A Produção de Energia Elétrica no Brasil
O Brasil é um dos grandes produtores de energia do Mundo. Nosso parque de produção 
de energia elétrica possui algumas peculiaridades, vamos às principais.
Em termos globais, a nossa produção está na casa de em 75% (dados de 2017) oriunda 
de fontes renováveis. Veja os números abaixo:
Hidrelétrica: 61%
Eólica: 6%
Termoelétricas a biomassa: 8%
Acrescenta-se, contudo, a nossa matriz energética, mais 18% de termoelétricas, 1,5% nu-
clear e o restante, em torno de 5%, importada (basicamente do Paraguai através de Itaipu).
O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Nome do Concurseiro(a) - 000.000.000-00, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
http://www.grancursosonline.com.br
http://www.grancursosonline.com.br
67 de 70www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO BRASIL
O Território Nacional; Espaço Brasileiro; O Modelo Econômico Brasileiro
Prof. Luis Felipe Ziriba
As Hidrelétricas
Poucos países no mundo possuem proporção tão alta em sua matriz energé-
tica baseada em hidrelétricas como o Brasil. Nosso parque hidrelétrico já este-
ve bastante concentrado no centro-sul e Vale do Rio São Francisco, e por lá grandes 
estruturas com as usinas de Paulo Afonso-BA e Itaipu-PR permanecem, mas o dire-
cionamento do sistema elétrico nacional evidencia uma subida de novas estruturas, 
agora, se apropriando dos rios amazônicos. Assim, nasceram, nas últimas décadas, 
gigantescos projetos, como o Jirau e Santo Antônio, em Rondônia; Tucuruí e Belo 
Monte, no Pará. Aliás, esta última, quando estiver em pleno funcionamento, será 
a maior usina do Brasil e a segunda do mundo. Ao todo, hoje, são 218 usinas em 
funcionamento no Brasil.
Em auxílio a essas estruturas, há também as pequenas centrais hidrelétricas, 
e as centrais geradoras, estas últimas, de tão pequenas, não chegam nem a cons-
tituir barragem e possuem um licenciamento ambiental bastante simplificado.
Obs.:� hidrelétricas -> PCH -> centrais geradoras.
O Parque Eólico
Existem, hoje, no Brasil, 368 usinas eólicas, além de 133 em construção. Pre-
dominantes em regiões de vegetação baixa, como no centro da Bahia, ou 
no litoral, onde a incidência de ventos é favorecida, utilizam a energia de 
movimento do vento para produção de eletricidade. Respondem por quase 6% 
da eletricidade em estados como o Ceará e Rio Grande de Norte, que não possuem 
grandes hidrelétricas, já representam grande parte da produção de energia local. Nos 
últimos 15 anos, cresceu enormemente a produção por meio dessa importante fonte.
O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Nome do Concurseiro(a) - 000.000.000-00, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
http://www.grancursosonline.com.br
http://www.grancursosonline.com.br
68 de 70www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO BRASIL
O Território Nacional; Espaço Brasileiro; O Modelo Econômico Brasileiro
Prof. Luis Felipe Ziriba
Termoelétricas
Incentivos ao emprego de termelétricas, sobretudo, as com uso de biomassa, 
buscam diversificar a matriz energética elétrica, que até 2006 tinha 83,2% de sua 
potência composta por hidrelétricas. Licor negro (resíduo da produção de pa-
pel) e bagaço de cana são as principais fontes de biomassa (renováveis). 
Gás natural e derivados de petróleo são as fontes fósseis mais comuns 
(não renováveis). Dentro do mapa nacional de termoelétricas, há termoelétricas 
por todo o País, contudo, aquelas que se utilizam biomassa estão no centro-sul; e 
as que queimam gás natural e petróleo (fontes não renováveis e poluidoras), na 
Amazônia, via de regra.
Nuclear
Localizadas em Angra dos Reis (RJ), as usinas nucleares Angra 1 e 2 utilizam o 
átomo do elemento químico urânio para produção de 1.990MW de energia elétrica, 
distribuída no eixo Rio-São Paulo. Em construção, Angra 3 deve fornecer 1.350MW. 
O Brasil é o 23º país do mundo em potência nuclear instalada.
O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Nome do Concurseiro(a) - 000.000.000-00, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
http://www.grancursosonline.com.br
http://www.grancursosonline.com.br
69 de 70www.grancursosonline.com.brwww.grancursosonline.com.br
O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para Nome do Concurseiro(a) - 000.000.000-00, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
http://www.grancursosonline.com.br
http://www.grancursosonline.com.br
http://www.grancursosonline.com.br
70 de 70www.grancursosonline.com.brwww.grancursosonline.com.br
O conteúdo deste livro eletrônico é licenciado para

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.