A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Resumo de Crimes em Espécie - Direito e Processo Penal

Pré-visualização | Página 2 de 10

- Autolesão: não é punível. 
- Diferença com art. 21 dec. 3688/41
- Ação penal: art. 88, Lei 9099/95 – tornou a ação penal pública incondicionada em ação penal pública condicionada à representação.
1.2. Lesões Graves: par. 1º - 
a) Inciso I: não poder exercer as ocupações habituais por mais de 30 dias (mesmo que consiga algumas). 
- art. 168, par. 2º CPP: é necessário exame de corpo de delito complementar para comprovar os 30 dias. Se não tiver a perícia não tem o que fazer. 
b) Inciso II: é preciso comprovar o perigo no caso concreto (ex: traumatismo craniano).
c) Inciso III: delibidade (enfraquecimento) de membro, sentido ou função (arrancar um olho).
d) Inciso IV: em caso de aceleração de parto. 
1.3 Lesões Gravíssimas: par. 2º – doutrina que deu o nome.
a) Inciso I: incapacidade permante para o trabalho (para TRABALHAR, não o seu trabalho).
b) Inciso II: enfermidade incurável.
c) Inciso III: perda de membro, sentido ou função (arrancar um dedo).
d) Inciso IV: deformidade permanente (o que vem junto com a cicatriz).
- Requisitos: dado estético, de certa monta (tamanho expressivo), visível e vexatório.
e) Inciso V: se ocorrer o aborto.
- Ciência: tem que ter ciência da gravidez.
- Diferença com art. 126 c/c 127 CPP: depende da intenção de querer o ABORTO.
Se queria só o aborto e machucou a pessoa, irá responder por aborto sem consentimento mais lesão corporal. Ou se não sabia da gravidez, o inverso.
1.4 Seguido de morte: par. 3º – Se resulta morte e as circunstâncias evidenciam que o agente não quís o resultado, nem assumiu o risco de produzí-lo.
→ Crime preterdoloso: DOLO na lesão e CULPA na morte.
1.5 Privilegiada (minorantes): par. - 4º Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço. motivos:
- De relevante valor moral ou social: valor moral - motivo que para você faz sentido (pai que descobre anos depois quem estuprou a filha); social - motivo que seria relevante para a SOCIEDADE (bater em espião).
- Violenta emoção após injusta provocação da vítima: vê quem estuprou saindo de casa e reagiu.
	Obrigado a reduzir se for provado.
- Par. 5º - § 5° O juiz, não sendo graves as lesões, pode ainda substituir a pena de detenção pela de multa, de duzentos mil réis a dois contos de réis:
I - se ocorre qualquer das hipóteses do parágrafo anterior;
II - se as lesões são recíprocas.
→ Leve/recíproca: se a lesão for leve, pode substituir a pena privativa de liberdade pela pena de multa.
1.6 Majorantes:
- Par. 7º: 1/3 se a vítima for menor de 14 anos ou maior de 60; envolvendo milícia privada.
- Par. 12: contra membro da segurança pública, seu cônjuge ou parente de até 3º grau → tem que ter ciência de que é membro da segurança pública (mesmo que já seja aposentado) e praticar a lesão por esse motivo.
1.7 Lesão Corporal Culposa (por imperícia, negligência ou improdência): par. 6º do art. 129 (pena: detenção, de dois meses a um ano) – não interessa o nível da lesão.
- Perdão judicial: par. 8º – se as consequências do crime forem mais graves para o autor, o juiz pode deixar de aplicar a pena → súmula 18 STJ (não terá antecedentes, etc).
→ Mesmo que a vítima ache um absurdo e não perdoe, pode haver o perdão judicial.
→ Ver o vínculo afetivo. 
- Ação penal pública condicionada à representação.
AULA 15/03
1.9 Violência Doméstica: par. 9º - “Se a lesão for praticada contra ascendente, descendente, irmão, cônjuge ou companheiro, ou com quem conviva ou tenha convivido, ou, ainda, prevalecendo-se o agente das relações domésticas, de coabitação ou de hospitalidade”. Pena: detenção, de 3 meses a 3 anos. → tanto contra homem, quanto contra mulher (aí puxa a maria da penha junto).
- Lesão leve qualificada: para ser violência doméstica somente se for lesão LEVE.
- Majorante para a leve: par. 11 - “Na hipótese do par. 9º deste artigo, a pena será aumentada de um terço se o crime for cometido contra pessoa portadora de deficiência”.
- Demais lesões: par. 10 - “Nos casos previstos nos par. 1º a 3º deste artigo, se as circunstâncias são as indicadas no par. 9º deste artigo, aumenta-se a pena em 1/3”.
- Ação penal: súmula 542 STJ – a ação penal é pública condicionada à representação, exceto em caso de aplicação da Lei 11.340/06 (Lei Maria da Penha) que é ação penal pública incondicionada.
	Violência doméstica:
- Lesão leve: é uma forma qualificada de lesão.
- Lesão grave, gravíssima ou seguida de morte: é uma majorante (em 1/3).
Crimes contra a liberdade pessoal:
1. Art. 146 – Constrangimento Ilegal: “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, ou depois de lhe haver reduzido, por qualquer outro meio, a capacidade de resistência, a não fazer o que a lei permite, ou a fazer o que ela não manda. Pena: detenção, de três meses a um ano, ou multa.” – Constrangimento ilegal: não pode ser ligado ao patrimônio.
Ex: homens usam de força para mulher ficar pelada na rua, sem nenhum intuito sexual. 
- Objetivo: para que alguém faça ou deixe de fazer algo contrário a lei.
- Formas de violência: violência (física), grave ameaça e violência imprópria (uso de substâncias – reduzir a capacidade de resistência).
- Diferenças:
- Art. 158 CP (extorsão): na extorsão tem vantagem patrimonial. 
- Art. 107 Lei 10.741/03 (estatuto do idoso): se for idoso (60 anos) e for para assinar procuração, aí não é constrangimento ilegal e sim crime específico.
- Art. 301 Lei 4.737/05 (código eleitoral): se usar de violência ou grave ameaça para alguém votar. 
- Art. 1º I “b” Lei 9.455/97 (lei de tortura): mediante violência ou grave ameaça, fazer algo, causando sofrimento físico ou mental. (????)
- Consumação: material (sempre admite tentativa) – o crime só se consuma quando a pessoa fizer o que de fato está sendo ameaçado, ou seja, precisa do resultado.
	Tentativa: admite sim. 
- Majorante: par. 1º “As penas aplicam-se cumulativamente e em dobro, quando, para a execução do crime, se reúnem mais de três pessoas, ou há emprego de armas (tanto arma própria quanto arma imprópria).
- Concurso de crimes: par. 2º “Além das penas cominadas, aplicam-se as correspondentes à violência”. → haverá concurso material com os crimes de violência (soma as penas dos crimes juntos). 
- Excludentes: par. 3º “Não se compreendem na disposição deste artigo: I- a intervenção médica ou cirúrgica, sem o consentimento do paciente ou de seu representante legal, se justificada por iminente perigo de vida e II – a coação exercida para impedir suicídio”.
- Ação penal: ação penal pública incondicionada.
2. Art. 147 – Ameaça: “Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave.
- Mal injusto: se a promessa for de 1 mal justo, não é. 
- Formas: por palavras, escrito, gestos ou meio simbólico (imagem que dá medo).
- Classificação:
a) Direta: promessa do mal para a vítima; ou indireta: prometer o mal para terceiro.
b) Dxplícita ou implícita...
- Consumação: formal – não precisa do resultado para se consumar, consumando-se então na hora da ameaça.
	Tentativa: regra geral, não admite tentativa. Exceto por escrito (carta que não chega mas o carteiro leu e sabe).
- Ação penal: par. Único – somente mediante representação.
AULA 22/03 – Continuação Crimes contra a Liberdade
3. Art. 148 – Sequestro e Cárcere de Privado: “Privar alguém de sua liberdade, mediante sequestro ou cárcere privado”. → é sem vantagem NENHUMA. 
- Sequestro – em um local aberto (sítio, ilha...) x Cárcere – em um local fechado.
- Diferença com art. 159 CP - “Sequestrar pessoa com o fim de obter, para si ou para outrem, qualquer vantagem, como condição ou preço do resgate”.
- Consumação: Material – não tem um tempo para caracterizar, mas tem que ser um tempo juridicamente relevante.
	Tentativa: admite (alguém pode impedir). 
- Permanente: Prisão em flagrante em qualquer tempo, prescrição é diferente, súmula 711.
- Ação penal: Ação pública incondicionada. 
- Formas