A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Atividade Objetiva 1 - Introdução à Economia

Pré-visualização | Página 2 de 3

de competitividade. No quesito “sobrecarga de
regulações pelos governos”, o Brasil ocupa a pior posição no ranking mundial,
devido ao excesso de burocracia imposto pelo Estado ao setor privado. Nesse
mesmo estudo, nosso país ainda é classificado entre os países “menos
preparados para o futuro”, ocupando a 129.ª posição.
Por sua vez, o Banco Mundial destaca que, entre 190 países analisados, o
Brasil ocupa a 109.ª posição no ranking de ambiente de negócios, apesar de
ter registrado melhora em seu desempenho nos últimos anos. Além disso, o
Brasil continua sendo um dos países onde as empresas gastam mais tempo
para calcular e pagar impostos, e ainda obtém um mau desempenho nos
quesitos abertura de empresas (140.º), registro de propriedades (137.º) e
obtenção de alvarás de construção (175.º).[...] Ao analisar a trajetória da
economia brasileira nas últimas décadas, sobram evidências de que o nosso
setor produtivo está sufocado pelas exigências estatais abusivas, pela
burocracia própria de nossa cultura cartorial, pela pesada carga tributária, pela
ineficiência de nossa regulação pública e pela insegurança jurídica que advém
de nossos tribunais.
Tal conjunto de fatores dificulta a cultura do empreendedorismo, desincentiva a
inovação, assombra potenciais investidores e atrofia nossa economia, atingindo
de forma ainda mais contundente os menores de nossa cadeia produtiva:
trabalhadores autônomos, microempreendedores e pequenos empresários.
Faz-se mais do que necessário, portanto, agir.
Não haverá retomada do crescimento – sólido, efetivo e pujante – sem a
aprovação de um conjunto de medidas macro e micro econômicas que
enfrentem com coragem esse cenário secular de atraso, de burocracia e de
obstáculos ao desenvolvimento das atividades econômicas no País.
(Texto Modificado) Fonte: https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/e-hora-de-tirar-
o-peso-do-estado-das-costas-do-empreendedor/. Acesso em 13/03/2020
Analise as afirmações abaixo sobre a divisão dos estudos econômicos:
I – A microeconomia examina a formação de preços em mercados específicos,
ou seja, como os consumidores e empresas interagem no mercado.
Preocupa-se também com a determinação dos preços e quantidade em
mercados específicos.
II – A macroeconomia estuda a determinação e o comportamento das 
grandes organizações, o consumo nacional, o investimento dos estados e
as exportações com o objetivo de delinear uma política econômica.
III - A macroeconomia preocupa-se com a melhoria do padrão de vida da
sociedade ao longo do tempo.
IV – A Microeconomia internacional analisa as relações econômicas entre os
países do mesmo bloco econômico, as quais envolvem transações com
bens e serviços e transações financeiras.
É verdadeiro o que se afirma apenas em:
 III, apenas. 
 II e IV, apenas. 
 IV, apenas. 
 III e IV, apenas. 
 I, apenas. Correto!Correto!
A alternativa está correta, pois somente a alternativa I é verdadeira.
A alternativa II é falsa, pois a macroeconomia estuda a determinação e o
comportamento dos grandes agregados, como o PIB, consumo 
nacional, investimento agregado, exportação, etc. com o objetivo de 
delinear uma política econômica.
A alternativa III é falsa, pois o desenvolvimento econômico é o estudo
econômico que preocupa-se com a melhoria do padrão de vida da
sociedade ao longo do tempo.
A alternativa IV é falsa pois a economia internacional analisa as relações
econômicas entre residentes e não residentes do país, as quais 
envolvem transações com bens e serviços e transações financeiras.
0,2 / 0,2 ptsPergunta 4
Leia o texto a seguir:
Agora que está sozinho, Reino Unido vai precisar de uma estrela-guia.
[...] A Economist não defendeu esse resultado. A maioria das mudanças que o
governo de Johnson defende poderiam ter sido realizadas sem sair da UE.
Choques em todo o sistema são geralmente uma maneira dispendiosa de
provocar mudanças. Mas, agora que o Brexit está acontecendo, o país deve
aproveitar ao máximo a chance de recalibrar a economia e redefinir suas
prioridades.
O Brexit nasceu em parte dos instintos de lançar barreiras contra o mundo.
Mas dentro havia uma vertente ultraliberal, que considerava a UE como muito
estatista e provinciana. Johnson precisa unir os liberais e persuadir os céticos
de que um sistema com base no livre mercado e livre-comércio também pode
funcionar para eles. Internamente, liberalismo significa tornar o sistema aberto
a todos os que chegam. Sob o voto do Brexit havia um descontentamento que
surgiu do sentido de que um sistema econômico que finge ser aberto tem
realmente base em nepotismo, dirigido por uma brilhante elite com sede em
Londres, paga em excesso, e impenetrável para aqueles que são pobres,
provinciais e sem um pé na escada da propriedade.
O mantra de Johnson é “subir de nível” ao impulsionar o crescimento nas
regiões. Isso significa incentivar a mobilidade social, gastando mais dinheiro
com os primeiros anos das crianças, permitindo a construção de mais casas
para que as pessoas mais jovens possam ter casas decentes, executando uma
política energética competitiva para manter os ocupantes alertas e construindo
estradas e ferrovias em áreas que têm menos do que o esperado.
A ferrovia de alta velocidade (HS2) deve fazer parte disso: embora seus custos
estimados continuem disparando, os ganhos com o aumento da capacidade e
velocidade ferroviárias em toda o Reino Unido os superarão.
De acordo com nossa leitura do e-book 1 e a reportagem exibida acima,
podemos afirmar que um sistema econômico tem a finalidade de:
 
Organizar o excedente total da produção de qualquer bem especifico, dividindo
entre os bens dos consumidores e os dos produtores, criando uma parcela para
a exportação.
 
Obter o valor máximo de seus recursos independente da análise marginal de
outros países mas evidencia a concorrência com o objetivo de atingir um
resultado positivo para o consumidor.
 
Criar Leis antitrustes para impedir o monopólio que têm sido utilizadas para
dividir os monopólios onde se proíbe as práticas empresariais de combinar os
preços.
 
Organizar a produção, distribuição e o consumo dos bens ou serviços que as
pessoas utilizam buscando uma melhoria no padrão de vida e bem estar.
Também pode ser definido como a forma política, social e econômica pela qual
está organizada uma sociedade.
Correto!Correto!
A alternativa está correta, pois a finalidade do sistema econômico é
organizar a produção, distribuição e o consumo dos bens ou serviços que
as pessoas utilizam buscando uma melhoria no padrão de vida e bem-
estar. Também pode ser definido como a forma política, social e econômica
pela qual está organizada uma sociedade.
 
Organizar com eficiência a locação de recursos que ocorre quando todas as
trocas mutuamente vantajosas ocorrem. Esta eficiência é atingida quando
qualquer nova redistribuição de bens venha a piorar a situação do meio
ambiente.
0,2 / 0,2 ptsPergunta 5
Leia o texto a seguir:
Diante da crise no abastecimento, procura por água mineral dispara no
Rio.
As pessoas estão saindo até no tapa dentro dos mercados para conseguir uma
garrafa de água mineral que não seja importada”, afirmou o jornaleiro Julio
Bruno, que vende água e refrigerante em sua banca. Dados da Associação
Brasileira de Indústria de Água Mineral (Abinam) mostram que foram vendidos
240 milhões de litros em garrafões retornáveis de 20 litros, o dobro do que é
normalmente vendido nos meses de verão. No caso da venda de água em
embalagens descartáveis, foram 180 milhões de litros, 50% acima do normal
nesta época do ano.
“Não há falta de água mineral”, garantiu o presidente da Abinam, Carlos Alberto
Lancia. “O que estamos enfrentando é um problema de logística.” O presidente
da Associação de Supermercados do Estado do Rio (Asserj), Fábio Queiroz,
afirmou que a rotina de distribuição do produto já foi alterada para tentar evitar
desabastecimento. “Aplicando uma logística acelerada, as

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.