A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Transtorno Dismórfico Corporal

Pré-visualização | Página 1 de 2

Transtorno Dismórfico corporal
Psiquiatria 9
* Transtorno Dismórfico Corporal: caracterizado pela preocupação com um defeito imaginado na aparência que causa sofrimento clinicamente significativo e prejuízo em importantes áreas do funcionamento. Se uma pequena anomalia física estiver de fato presente, a preocupação da pessoa com ela é excessiva e incômoda. Está incluso nos transtornos do espectro obsessivo-compulsivo devido às suas semelhanças com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).
epidemiologia
* Idade mais comum de início é entre os 15 e 30 anos e que as mulheres costumam ser mais afetadas do que os homens. 
* Indivíduos afetados também tendem a ser solteiros. 
* Transtorno dismórfico corporal coexiste comumente com outros transtornos mentais.
etiologia
* Causa do transtorno dismórfico corporal é desconhecida. 
* A alta comorbidade com transtornos depressivos, uma história familiar maior do que a esperada de transtornos do humor e TOC e a responsividade relatada da condição a drogas específicas de serotonérgicas indicam que, pelo menos em alguns pacientes, a fisiopatologia do transtorno pode envolver a serotonina e estar relacionada a outros transtornos mentais. 
* Conceitos estereotipados de beleza enfatizados em certas famílias e na cultura podem afetar significativamente os indivíduos com transtorno dismórfico corporal. 
* Em modelos psicodinâmicos, esse transtorno é visto como o reflexo do deslocamento de um conflito sexual ou emocional a uma parte do corpo relacionada. Tal associação ocorre por meio dos mecanismos de defesa de repressão, dissociação, distorção, simbolização e projeção.
diagnóstico e características clínicas
* Critérios diagnósticos do DSM-5 para transtorno dismórfico corporal estipulam preocupação com um defeito percebido na aparência ou ênfase excessiva em um pequeno defeito. Ele também estabelece que, em algum momento do curso do transtorno, o indivíduo realizará comportamentos compulsivos (i.e., olhar-se no espelho, arrumar-se em excesso) ou atos mentais (p. ex., comparar sua aparência à dos outros). A preocupação causa sofrimento emocional significativo aos pacientes ou grande prejuízo em seu funcionamento em áreas importantes. 
* As preocupações mais comuns envolvem defeitos faciais, em especial os relacionados a partes específicas (p. ex., o nariz). Às vezes, a preocupação é vaga e difícil de compreender, como uma preocupação extrema com um “queixo amassado”.
* Uma variante proposta do transtorno dismórfico entre homens é o desejo de “aumentar” e desenvolver grande massa muscular, o que pode interferir na vida cotidiana, na manutenção do emprego ou na saúde. 
* A parte do corpo específica pode mudar durante o período em que o paciente é afetado pelo transtorno. 
* Sintomas associados comuns incluem ideias delirantes ou delírios de referência (em geral sobre as pessoas percebendo o tal defeito corporal), olhar-se no espelho constantemente ou evitar superfícies reflexivas e tentativas de esconder a deformidade presumida (com maquiagem ou roupas). 
* Efeitos na vida da pessoa podem ser significativos; quase todos os pacientes afetados evitam exposição social e ocupacional. Até um terço dos pacientes pode se manter em casa por medo de ser ridicularizado pelas supostas deformidades, e aproximadamente um quinto deles tenta o suicídio. 
* Diagnósticos comórbidos de transtornos depressivos e de ansiedade são comuns, os pacientes também podem apresentar traços de TOC, transtorno esquizoide e transtorno da personalidade narcisista.
diagnóstico diferencial
* Preocupações Normais com a Aparência e Defeitos Físicos Claramente Perceptíveis: transtorno dismórfico corporal diferencia-se das preocupações normais com a aparência por se caracterizar por preocupações excessivas relacionadas à aparência e por comportamentos repetitivos que tomam tempo que também são geralmente difíceis de resistir ou controlar e que causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento. Os defeitos físicos que são claramente perceptíveis (i.e., não leves) não são diagnosticados como transtorno dismórfico corporal. No entanto, beliscar a pele como sintoma de transtorno dismórfico corporal pode causar lesões e cicatrizes visíveis; nesses casos, o transtorno deve ser diagnosticado.
* Transtornos Alimentares: em um indivíduo com transtorno alimentar, as preocupações com ser gordo são consideradas um sintoma do transtorno alimentar em vez de transtorno dismórfico corporal. No entanto, preocupações com o peso podem ocorrer no transtorno dismórfico corporal. Os transtornos alimentares e o transtorno dismórfico corporal podem ser comórbidos; nesse caso, ambos devem ser diagnosticados.
* Outros Transtornos Obsessivo-Compulsivos e Transtornos Relacionados: as preocupações e os comportamentos repetitivos do transtorno dismórfico corporal diferem das obsessões e compulsões do TOC na medida em que o primeiro foca somente na aparência. Esses transtornos têm outras diferenças, como insight mais pobre no transtorno dismórfico corporal. Quando arrancar a pele tem a intenção de melhorar a aparência dos defeitos nela percebidos, deve ser diagnosticado transtorno dismórfico corporal em vez de transtorno de escoriação (skin-picking). Quando a remoção de pelos (depilar, arrancar ou outros tipos de remoção) tem a intenção de melhorar defeitos percebidos na aparência do pelo facial ou corporal, o transtorno dismórfico corporal é diagnosticado em vez de tricotilomania (transtorno de arrancar o cabelo).
* Transtorno de Ansiedade de Doença: indivíduos com transtorno dismórfico corporal não são preocupados com ter ou adquirir uma doença grave e não têm níveis particularmente elevados de somatização.
* Transtorno Depressivo Maior: preocupação proeminente com a aparência e os comportamentos repetitivos excessivos no transtorno dismórfico corporal diferenciam-no do transtorno depressivo maior. Entretanto, o transtorno depressivo maior e os sintomas depressivos são comuns em indivíduos com transtorno dismórfico corporal, com frequência parecendo ser secundários ao sofrimento e ao prejuízo causados por essa perturbação. O transtorno dismórfico corporal deve ser diagnosticado em indivíduos deprimidos se os critérios diagnósticos para ele forem satisfeitos. 
* Transtornos de Ansiedade: ansiedade social e evitação são comuns no transtorno dismórfico corporal. No entanto, diferentemente do transtorno de ansiedade social (fobia social), da agorafobia e do transtorno da personalidade evitativa, o transtorno dismórfico corporal inclui preocupação proeminente relacionada à aparência, que pode ser delirante, e comportamentos repetitivos; já a ansiedade social e a evitação devem-se a preocupações acerca de defeitos percebidos na aparência e à crença ou ao medo de que outras pessoas considerem esses indivíduos feios, de que os ridicularizem ou os rejeitem devido às suas características físicas. Diferentemente do transtorno de ansiedade generalizada, a ansiedade e a preocupação no transtorno dismórfico corporal focam nas falhas percebidas na aparência.
* Transtornos Psicóticos: muitos indivíduos com transtorno dismórfico corporal têm crenças delirantes sobre a aparência (i.e., completa convicção de que sua visão dos seus defeitos percebidos é correta), o que é diagnosticado como transtorno dismórfico corporal, com insight ausente/crenças delirantes, não como transtorno delirante. Ideias relacionadas à aparência ou delírios de referência são comuns no transtorno dismórfico corporal; contudo, diferentemente da esquizofrenia ou do transtorno esquizoafetivo, o transtorno dismórfico corporal envolve preocupações proeminentes com a aparência e comportamentos repetitivos relacionados, e o comportamento desorganizado e outros sintomas psicóticos estão ausentes (exceto pelas crenças acerca da aparência, que podem ser delirantes).
* Outros Transtornos