A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Resumo Atuação Farmaceutico Hospitalar

Pré-visualização | Página 1 de 3

Atuação clínica em equipe multiprofissional de saúde 
A equipe multiprofissional é formada por diferentes tipos de profissionais, que possuem habilidades técnicas com vivências e experiências distintas um dos outros. A equipe multidisciplinar é formada por farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas, auxiliares administrativos, auxiliares de limpeza, técnicos de enfermagem, técnico de laboratório, médicos das mais diversas especialidades, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais.
Os pacientes hospitalizados podem ter necessidades especiais em função dos desequilíbrios metabólicos impostos pelas doenças. O paciente internado necessita de cuidados não apenas para os problemas fisiopatológicos, mas também para as questões psicossociais, que se tornam intimamente interligadas à doença física. 
Vários estudos têm avaliado o papel da equipe multidisciplinar o quanto é capaz de cuidar daqueles pacientes com diferentes níveis de complexidade. Com o objetivo de identificar os problemas inerentes à administração é verificar o impacto da atuação de uma equipe multidisciplinar na qualidade dos procedimentos.
A Resolução do Conselho Federal de Farmácia nº585 de 29 de agosto de 2013, define Farmácia clinica como área da farmácia voltada a ciência e prática do uso racional de medicamentos, na qual os farmacêuticos prestam cuidados ao paciente, de forma a otimizar a farmacoterapia, promover a saúde e bem-estar e prevenir doenças. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece que o farmacêutico é o profissional com melhor capacitação para promover o uso racional de medicamentos endo ele indispensável para organizar os serviços de apoio necessários para desenvolvimento pleno da assistência farmacêutica. 
A farmácia clínica e a atuação multiprofissional estão interligadas, pois, essa área está totalmente voltada para o cuidado do paciente. Visando à promoção, proteção e recuperação da saúde e prevenção de seus agravos, devido ao uso inadequado de medicamentos. O farmacêutico clinico busca sempre promover o uso racional de medicamentos e melhorar a qualidade de vida do paciente. Todas as atividades realizadas pelo farmacêutico clínico devem ser registradas de maneira sistemática e acessível aos demais profissionais que fazem atendimento ao paciente.
Uma das atividades desenvolvidas pelo farmacêutico clínico é a avaliação das prescrições médicas no intuito de prevenir e resolver os problemas relacionados a medicamento (PRM), uma vez que estes são classificados como a principal causa de eventos adversos, sendo responsáveis pelo aumento no tempo de internação, morbidade, mortalidade e aumento nos custos hospitalares. Neste processo, o 
farmacêutico avalia os dados antropométricos do paciente (idade, peso, altura, sexo), história clínica, indicação terapêutica dos medicamentos prescritos, dose, posologia e via de administração; duplicidade terapêutica, presença de interações medicamentosas, alternativas terapêuticas mais adequadas/disponíveis, incompatibilidades físico-químicas, estabilidade das soluções, presença de reação adversa a medicamento (RAM).
A colaboração profissional do farmacêutico na equipe multiprofissional promove relações e interações nas quais os profissionais poderão partilhar conhecimentos, especialização e habilidades entre si, com o objetivo de proporcionar melhor atenção ao paciente em termos terapêuticos, humanísticos e relativos à segurança.
O QUE FAZ
- Realiza e desenvolve procedimentos para a promoção, proteção e recuperação da saúde;
- Assegura que o medicamento seja administrado na dose, frequência, via de administração e horário corretos;
- Verifica se a prescrição médica está de acordo com aspectos técnicos e legais;
- Promove intervenções terapêuticas, quando necessário;
- Realiza consulta, anamnese e avaliação farmacêutica;
- Integra comissões, criadas com o objetivo de promover o uso racional de medicamentos e garantir a segurança do paciente;
- Planeja e coordena, junto com outros profissionais da saúde, estudos epidemiológicos e outras investigações relacionadas à área da saúde;
- Participa de comitês de ética em pesquisa;
- Monitora e avalia os resultados da farmacoterapia por meio da solicitação de exames;
- Analisa os níveis terapêuticos dos fármacos administrados durante o tratamento do paciente;
- Identifica interações medicamentosas;
- Desenvolve plano de cuidado farmacêutico individual para cada paciente;
- Analisa, em períodos pré-determinados, os resultados das intervenções farmacêuticas;
- Administra medicamentos aos pacientes, quando for de sua competência profissional;
- Orienta quanto à administração de formas farmacêuticas;
- Prescreve no âmbito de sua competência profissional;
- Verifica a adesão do paciente ao tratamento medicamentoso.
- Desenvolve métodos para promover a maior adesão do paciente ao tratamento;
- Informa e orienta a sociedade quanto ao uso racional de medicamentos, por meio de programas e materiais educativos;
- Participa da formação e desenvolvimento profissional de farmacêuticos;
- Faz parte da coordenação, supervisão, auditoria, acreditação e certificação de ações e serviços relacionados às atividades do profissional farmacêutico;
- Elabora e atualiza formulários terapêuticos e protocolos clínicos para a utilização de medicamentos;
O profissional sete estrelas deve ser: • Prestador de serviços farmacêuticos em uma equipe de saúde; • Capaz de tomar decisões; • Comunicador; • Líder; • Gerente; • Atualizado permanentemente; • Educador.
Farmácia clínica em grupos específicos de paciente
· UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
Os pacientes que são internados em uma unidade de terapia intensiva, são considerados pacientes de alto risco, devido à natureza crítica de suas doenças. Estes pacientes têm doenças que ameaçam a vida e sofrem risco de falência de um ou mais órgãos vitais. As taxas de morbidade e mortalidade estão aumentando cada dia mais por conta de tratamento ineficaz ou tratamento inadequado. Por isso que é de extrema necessidade que a terapia medicamentosa seja revisada continuamente. 
O farmacêutico de unidade de terapia intensiva, deve ter a habilidade para atuar em todas as partes do processo que envolve medicamentos, desde a prescrição, dispensação, administração e monitoramento para garantir o mais seguro uso de medicamentos. O farmacêutico vai promover informações adequadas de como administrar os medicamentos de uma forma segura para equipe de enfermagem, e observar se o paciente está tendo reações adversas sob os medicamentos prescritos, á integração do farmacêutico na equipe multidisciplinar pode diminuir a frequência de erros de prescrição, aumentando a segurança do paciente.
Em estudos classificam as atividades do farmacêutico clínico em avaliar o regime medicamentoso do paciente com base no modelo de assistência farmacêutica e também avaliar a sua efetividade, prevenir e documentar RAMs, e erros de medicação. O farmacêutico também deve realizar um monitoramento farmacocinético, participar de programas institucionais, participar da avaliação dos pacientes e fornece recomendações sobre as medicações em escrito, e auxiliar na preparação de protocolos e guias de cuidado intensivo.
É importante ressaltar que as recomendações feitas por farmacêuticos clínicos podem ser realizadas de forma consistente, com uma alta taxa de aceitação mantida durante um período prolongado os pacientes mais críticos recebem muitos medicamentos, principalmente por via intravenosa que exige um nível mais alto ao farmacêutico.
Também é importante ressaltar a revisão de prescrições medicamentosas, sugere-se e que um farmacêutico hospitalar possa efetivamente reduzir erros de prescrição e danos relacionados em uma UTI. Embora os médicos não estejam acostumados com a participação do farmacêutico na unidade, o número de intervenções aceitas mostra que as recomendações são clinicamente relevantes. 
É importante salientar que os erros de prescrição