A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Processo Inflamatório

Pré-visualização | Página 1 de 2

processo inflamatório
· A inflamação é uma capacidade do tecido vascularizado de responder as agressões; 
· Proteção de barreiras: pele e mucosa
· Resposta inflamatória: processo normal e necessário para restabelecer o tecido, porém não é específica. 
· Sinais clínicos: dor, calor, rubor, tumor-edema, perda da função.
INflamação aguda
· É de duração relativamente curta e suas características principais são a exsudação de líquidos e proteínas do plasma (gerando edema) e a migração de leucócitos (predominantemente neutrófilos). 
· Causa das inflamações agudas: Infecção e toxina bacteriana, trauma (contuso ou penetrante), agente físico e químico, necrose tecidual, corpos estranhos (farpa, poeira, suturas), reações imunológicas. 
· Eventos Vasculares: exsudação de líquidos e proteínas do plasma (grande edema).
· Eventos celulares: Migração de leucócitos (predominantemente neutrófilos). 
inflamação crônica
· É de duração longa e está associada histologicamente com a presença de linfócitos, macrófagos, lesão tecidual e a proliferação de pequenos vasos sanguíneos e tecido conjuntivo. 
etapas da inflamação
· Reconhecer o agente lesivo
· Recrutamento de leucócitos e proteínas plasmáticas (eventos vasculares)
· Remoção do agente
· Regulação da resposta 
· Resolução/Reparo
· Edema: um excesso de fluido no tecido intersticial ou cavidades serosas; ele pode ser um exsudato ou um transudato.
· Transudato: fluido com baixo conteúdo proteico (a maior parte é de albumina), pouco ou nenhum material celular e baixa gravidade específica. Ele é essencialmente um ultrafiltrado de plasma sanguíneo que resulta de desbalanço osmótico ou hidrostático ao longo da parede do vaso sem um aumento na permeabilidade vascular. Exemplo: queimadura. anasarca
· Exsudato: fluido extravascular com alta concentração proteica, contém restos celulares e tem uma alta gravidade específica. Sua presença indica um aumento na permeabilidade normal dos pequenos vasos sanguíneos em uma área de injúria e, portanto, uma reação inflamatória. Exemplo: Pneumonia, apendicite. 
· Pus: exsudato purulento, é um exsudato inflamatório rico em leucócitos (principalmente neutrófilos), restos de células mortas e, em muitos casos, microrganismos. Exemplo: acne.
processos inflamatórios são induzidas por: 
· Alteração no fluxo vascular e calibres dos vasos;
· Aumento de permeabilidade vascular;
· Exsudação leucocitária.
ALTERAÇÕES NO FLUXO VASCULAR E CALIBRE DOS VASOS
· Vasoconstrição transitória das arteríolas –preocupação com a perda de sangue – adrenalina... (origem neurogênica e por ação da adrenalina)
· Vasodilatação – para aumentar a quantidade de O2 – tentativa de reparar o tecido – histamina vinda dos mastócitos... (Primeiro atinge as arteríolas e depois resulta na abertura de novos leitos microvasculares na área lesada, gerando aumento do fluxo sanguíneo – hiperemia).
· Aumento da permeabilidade vascular.
Aumento de permeabilidade vascular
 
exsudação leucocitária
· No lúmen: marginação, “rolling” e adesão.
· Transmigração através do endotélio (diapedese).
· Migração no interstício através de estímulos quimiotáticos.
· Quimiotaxia - locomoção orientada através de um gradiente químico.
Várias substâncias exógenas e endógenas são quimiotáticas.
-Exógenas mais comuns: produtos bacterianos peptídicos ou lipídicos.
-Endógenos: componentes do sistema complemento (particularmente C5a), produtos de
degradação do ácido araquidônico via lipoxigenase, principalmente leucotrieno B4 (LTB4) e
citocinas, particularmente a família da IL-8.
Mecanismo:
· Ligação dos agentes quimiotáticos a receptores específicos na membrana de leucócitos.
· Resulta na ativação de fosfolipase C levando à hidrólise de fosfatidil inositol difosfato (PIP2) para inositol trifosfato (IP3) e diacilglicerol (DAG).
· Esses produtos provocam a liberação de cálcio do interior de reservatórios celulares e também possibilitam seu influxo celular.
· O cálcio livre vai possibilitar a movimentação de microfilamentos contráteis e a emissão de pseudópodes.
Em adição ao estímulo locomotor os agentes quimiotáticos provocam:
· O DAG ativa fosfolipase A2  produção de metabólitos do ácido araquidônico ativação do leucócito.
· Degranulação de leucócitos.
· Secreção de enzimas lisossomais e ativação da cadeia oxidativa mediados pelo DAG.
· Modulam as moléculas de adesão dos leucócitos.
FAGOCITOSE
· Reconhecimento e ataque: opsonização.
-As opsoninas vão se ligar a receptores específicos nos leucócitos.
-As duas principais opsoninas são a porção Fc da imunoglobulina G (IgG) e o fragmento C3b do complemento.
FAGOCITOSE PROPRIAMENTE DITA
· Ligação das opsoninas -> reações no interior da célula -> emissão de prolongamentos de citoplasma (pseudópodes) -> envolvem o elemento podendo resultar no completo englobamento da partícula determinando a formação de um fagossomo.
· A membrana limitante desse vacúolo fagocítico funde-se com a membrana do grânulo lisossomal resultando na descarga de seu conteúdo e na formação de um fagolisossomo.
MORTE OU DEGRADAÇÃO
· A morte bacteriana é amplamente relacionada a mecanismos dependentes de oxigênio.
· A fagocitose estimula aumento do consumo de oxigênio, glicogenólise e aumento da oxidação de glicose e produção de metabólitos reativos de oxigênio. No fagolisossomo é produzido o peróxido de hidrogênio (H2O2).
· Os neutrófilos possuem grânulos azurofílicos que contém a enzima mieloperoxidase (MPO) que na presença de uma hálide como o Cl- converte H2O2 em HOCl• que é um potente antimicrobiano destruindo a bactéria por halogenação ou pela oxidação de proteínas e lipídeos.
· Um mecanismo similar também é efetivo contra fungos, vírus, protozoários e helmintos.
· Há outros mecanismos independentes de oxigênio.
mediação inflamatória 
· A agressão dos tecidos resulta em liberação de uma série de moléculas chamadas de Mediadores inflamatórios 
· Os mediadores inflamatórios são moléculas sinalizadoras que induzem ou limitam o processo inflamatório.
· Sua importância está principalmente no estudo de fármacos que podem interferir no processo inflamatório 
· São capazes de determinar: início, intensidade e evolução da inflamação 
· Podem ser classificados de acordo com a ação inflamatória
· Pró-inflamatórios: induzem o processo e dependem da presença do agressor
· Anti-inflamatórios: limitam e finalizam o processo produzidos após a eliminação da agressão. 
Função
· Fatores quimiotáticos: substâncias produzidas por células para orientar a movimentação de outras células para a região inflamada- C5A (ativação do complemento) substâncias P e quimiocinas.
· Mediadores podem funcionar como substancias VASOATIVAS- causam vasodilatação e aumento da permeabilidade capilar.
· Esses mediadores tem origem no plasma
· Produzidos pelo sistema de coagulação/fibrinolítico: aumentam a permeabilidade vascular 
· Sistema Cininas: produzem a BRADICIININA, além de função vasoativa ainda atua no controle da dor
· Sistema complemento: produzem as anafilotoxinas -C3A e C5A- aumentam a permeabilidade vascular e ajudam na quimiotaxia de leucócitos.
· Mediadores com origem nas células: 
· PRÉ-FORMADOS: 
HISTAMINA- Estoca nos grânulos dos mastócitos, plaquetas e basófilos
SEROTONINA- Produzida pelas plaquetas
ENZIMAS LISOSSOMAIS- encontrada no citoplasma de neutrófilos 
· RECÉM- SINTETIZADOS: Fosfolípedes de membrana que geram:
ÁCIDO ARACDÔNICO
FATOR ATIVADOR DE PLAQUETAS
ÁCIDO ARACDÔNICO- Quando metabolizado pela CICLOGENASE (COX) produz:
- Prostaglandina, causam vasodilatação
- Tromboxanos, produzidos pelas plaquetas que levam a agregação e vasoconstrição.
- AMBOS SÃO EICOSANÓIDES 
ÁCIDO ARACDÔNICO – quando metabolizados pelas lipoxigenase produz: 
- Leucotrienos aumentam a permeabilidade capilar de forma intensa
- Lipoxinas limitam a ação dos leucotrienos 
FATOR ATIVADOR DE PLAQUETAS – PAF - potente mediador
· O PAF pode promover a maior parte das reações inflamatórias, englobando o aumento de adesão dos leucócitos, a quimiotaxia, a degranulação leucocitária e o surto oxidativo, além de estimular