A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Da espermatogênese ao zigoto - Esquema

Pré-visualização | Página 1 de 1

HIPOTÁLAMO CÉL. MESENQUIMAIS CÉL. DE LEYDIG CORDÕES SEMINÍFEROS
GnRh Testosterona TÚBULOS SEMINÍFEROS
LH
ADENOHIPÓFISE
FSH
Ativina
Inibina CÉL. DE SERTOLI
ABP
LUZ DOS TÚBULOS 
SEMINÍFEROS
SPTZ SPTZ
TÚBULOS RETOS
SPTZ
REDE TESTIS CANAIS EFERENTES EPIDÍDIMO URETRA
SPTZ SPTZ SPTZ SPTZ
PAREDE DO SACO VITELÍNICO
CGP
CRISTA GENITAL DO EMBRIÃO
CGP
Espermatogônia (2n)
Características sexuais 
sedundárias
OUTRAS REGIÕES
VESÍCULA SEMINAL
PRÓSTATA
GL. BULBOURETRAISURETRA PENIANA
Espermatócito I (2n)
Espermatócito II (n)
Espermatogônia redonda (n)
TÚBULOS SEMINÍFEROS
Espermatogônia alongada (n)
Espermatogônia (2n)
SPTZ
FUNDO DA VAGINA
sptz são depositados
ÚTERO E TUBA UTERINA
capacitação 
espermática
ação contrátil das 
tubas uterinas
TUBA UTERINA
reação 
acrossômica
TUBA UTERINA
passagem do 
sptz pela corona 
radiata
Fusão da membrana externa 
da vesícula acrossomal + 
membrana plasmática do sptz 
degradação da 
estrutura 
fusionada 
AMPOLA DA TUBA UTERINA
sptz atravessa a zona 
pelúcida
Penetração da zona 
pelúcida
AMPOLA DA TUBA UTERINA
Cariogamia (pronúcleo 
feminino + pronúcleo 
masculino)
Fusão das 
membranas 
plasmáticas do 
ovócito e do sptz sptz entra no ovócito II 
(membrana plasmática não 
entra)
bloqueio rápido à 
poliespermia
bloqueio lento à 
poliespermia
MECANISMO DE 
RETROALIMENTAÇÃO
PUBERDADE
↑ T
PUBERDADE
PUBERDADE
Testosterona fetal
Intérfase
Meiose I
Meiose II
EspermiogêneseEspermiação
CANAIS DEFERENTES
SPTZ
liberação de enzimas 
(principalmente 
acrosinas) 
Formação do 
zigoto (2n)
E
sp
e
rm
at
og
ên
es
e
Mitoses