A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Atividade Linfedema - Celso Cesário Torreão Campos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Celso CeBases Celulares e Moleculares II Data: 22/04/2021
Atividade – Sistema Linfático - LINFEDEMA
Aluno: Celso Cesário Torreão Campos
Linfedema
Linfedema é considerada uma condição em que há o acúmulo de líquido no espaço intersticial do tecido subcutâneo. Relacionado a isso, responda:
1. Aponte a classificação de acordo com a sua etiologia, exemplificando uma condição (patologia) (primário e secundário)Os linfedemas podem ser classificados em primários ou secundários, dependendo de sua origem. Os primários ocorrem quando há algum problema congênito nos vasos linfáticos (como a doença de Milroy) enquanto que o secundário ocorre quando há a obstrução, destruição ou mal funcionamento da rede linfática.
2. Como é realizada a avaliação clínica do paciente. Cite os exames complementares mais utilizados, justifique. 	Primeiro é feita a anamnese do paciente, características muito comuns que podem ser notadas nessa etapa são a dor no membro afetado e dificuldade em colocar acessórios nesse membro. Além disso é possível realizar a medição dos membros para que que se acompanhe o inchaço, podendo também ser feita a palpação dos linfonodos. Os exames complementares mais utilizados são a Biopsia (material obtido por cirurgia com o objetivo de se analisar sua composição e diagnosticar), Linfografia (onde é feita a avaliação dos ductos linfáticos), Linfocintilografia (avalia a fisiopatologia do endema através de um diagnósticos diferencial), Ultrassom (objetiva ver o tamanho, forma, textura e outras características físicas do edema) e Tomografia Computadorizada (permite a avaliação da densidade do linfonodo além de permitir enxergar possíveis obstruções do fluxo do sistema linfático).
3. Como é realizado o diagnóstico do paciente.	O diagnóstico é basicamente clínico, baseado no seu histórico, exame físico e exclusão de outras possibilidades.
4. Cite os estágios para linfedema de membros inferiores. 
	Fase I: desenvolve-se após atividades física ou ao final do dia com melhora espontânea quando há o repouso e estímulos linfáticos. Deriva de um pequeno aumento de linfa intersticial e alguma estase nos vasos linfáticos.
Fase II: espontaneamente irreversíveis, podendo ser controlados com terapêuticas. Possuem fibrose do fluido intersticial em algumas áreas e aumento da consistência da pele. O fluxo linfático é mais lento, havendo certo grau de estagnação da linfa em coletores e capilares.
Fase III: irreversíveis e mais graves, apresentando muita fibrose linfostática com grande estagnação da linfa nos vasos e capilares além de possuírem alterações de pele importantes.
Fase IV: conhecido como elefantíase, são irreversíveis e apresentam complicações como papilomatose, queratoses, fístulas linfáticas e angiomas, sendo a total falência dos vasos linfáticos.
5. Descreva 3 formas de tratamento (objetivo).	O tratamento pode ser feito por elevação do membro afetando objetivando reduzir o inchaço e auxiliando na drenagem do sistema linfático, exercícios que ajudam a melhorar o fluxo do sistema linfático com o auxílio de uma luva ou meia de compressão ou bandagem. Além disso também se utiliza a massagem para que se haja a drenagem linfática manual, reduzindo o inchaço.