A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Relatório de aulas práticas

Pré-visualização | Página 1 de 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE TEOLOGIA APLICADA – UNINTA 
SAÚDE COLETIVA III 
PROF. EDUARDO FROTA 
CURSO DE ODONTOLOGIA 
TURMA 10 
 
 
 
 
 
 
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS. 
 
Eva Naira Aragão Pereira 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SOBRAL/CE 
2020 
 
1.1 Visita ao hospital Santa Casa. 
Nessa aula prática, podemos conhecer o serviço de regulação deste hospital em 
particular ao serviço de gestão de leitos. Este setor já existia, porém no formato fragmentado e 
a um ano ele se unificou. A sala é dividida em paciente eletivo e nas regulações internas. Esse 
serviço articula desde uma urgência de um hospital de origem, este é colocado no sistema. Foi 
explicado também sobre o sistema FashMed que regula as transferências entre os hospitais do 
Ceará, que obedece ao critério de macro e micro região de saúde. 
 A Santa Casa é um hospital polo, que dentro da macrorregião tem algumas 
responsabilidades. Sendo referência nos serviços de traumatologia, traumato-ortopedia de 
média complexidade, neurocirurgia, terapia renal substitutiva, obstetrícia de alta complexidade 
sendo o único hospital de Sobral porta aberta em obstetrícia. 
 A gestão de leitos visualiza os pacientes que foram colocados no sistema e que necessita 
de uma vaga, posterior é conversado com o médico sobre a regulação o mesmo analisa para a 
autorização. O paciente de Sobral é recebido sem autorização uma vez que não existe um 
hospital municipal que o regule. 
 Na sala de procedimentos eletivos é onde recebe todos os pacientes que tem solicitação 
de cirurgia eletiva, os pacientes de urgência já internam direto mesmo não havendo vagas e o 
eletivo é colocado em uma fila de procedimentos eletivos onde espera por uma vaga. Quando 
se solicita a cirurgia é solicitado uma autorização ao estado. O sistema de leitos é onde se 
cadastram as cirurgias. 
1.2 Aula sobre o SAMU. 
O SAMU da cidade de Sobral já existe desde 06/08/2015, até setembro do ano de 2020 
era designado como SAMU municipal passando a se tornar SAMU Ceará que promove 
atendimentos descentralizados abrangendo cidades vizinhas, com recursos gerenciados pelo 
governo do Estado. 
 O SAMU, procura chegar precocemente até a vítima após ter ocorrido um agravo a 
saúde seja ela de qualquer natureza que tenha potencial de vida. O transporte deve ser adequado, 
com uma equipe especializada que classifica a vítima e presta o atendimento inicial, lembrando 
sempre que o intuito é a estabilização inicial do paciente para encaminhar a um hospital de 
referência. 
 Vale ressaltar que o SAMU trabalha com parcerias de outras categorias, como 
bombeiros, policiais, guardas municipais entre outros. Assim, dando suporte para que todos os 
profissionais consigam trabalhar com segurança. É necessário o entendimento de conceitos 
como emergência e urgência, sendo a primeira aquela em que o paciente precisa de intervenção 
imediata e corre risco de vida, já a urgência o paciente ainda tem condições de esperar por 
atendimento. 
 O atendimento se inicia após a ligação para acionar a equipe, após isso os profissionais 
têm em média 10 minutos para dá uma resposta, a equipe já se prepara para o atendimento, 
posterior ao atendimento a equipe retorna a base. 
 O SAMU é classificado pelos tipos de ambulâncias que vão de A ao E, sendo cada uma 
tem uma equipe padrão que presta suporte de básico a avançado. A equipe é constituída por 
médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliar de escritório, serviços gerais, vigilantes 
e estudantes. Cada profissional que compõem a equipe necessita de requisitos mínimos para ser 
socorrista como destreza manual, capacidade técnica entre outros. 
 Os componentes das redes de urgências e emergência são, os pré-hospitalar fixo como 
UBS, pré-hospitalar móvel como o SAMU, o componente hospitalar e ao componente pré-
hospitalar. A equipe intervencionista é composta pelo médico, enfermeiro e condutor do veículo 
para realizar o diagnóstico inicial. 
1.3 Simulação de visita ao Centro de Especialidades Odontológicas. 
Foi explanado como funciona o curso de atendimento nesse local. O agendamento é 
feito pela unidade básica de saúde, caso o paciente após a intervenção feita no CEO ainda 
necessite de atendimento, lá mesmo ele é agendado sem que precise retornar a UBS. 
 O CEO municipal oferta serviços como endodontia, prótese, cirurgias, odontopediatria 
e pacientes com necessidades especiais, se enquadra em CEO tipo 2. Já o CEO Regional 
funciona como clinica integrada da Universidade Federal do Ceará-UFC, os agendamentos 
também são feitos pela UBS, os municípios têm uma quantidade pré-determinada de vagas para 
cada especialidades que obedece ao índice populacional, se classificando como CEO do tipo 3. 
No CEO regional é feito uma contra referência ao fim do atendimento, onde consta a descrição 
dos procedimentos então realizados, que serve como meio de comunicação entre os níveis de 
atenção.