A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
82 pág.
Dietética e Necessidades Nutricionais de Crianças

Pré-visualização | Página 1 de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ 
INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – ICS 
FACULDADE DE NUTRIÇÃO - FANUT
Alimentação e Nutrição no Curso da Vida II
Introdução à dietética
Guias alimentares
Necessidades nutricionais de energia e nutrientes de crianças maiores de dois anos
Profª Drª Vânia Barboza
Profª Drª Alódia Brasil
Introdução à dietética
Alimentos (do latim alimentum): 
“É toda substância utilizada pelos seres vivos como fonte de matéria e energia para poderem realizar as suas funções vitais, incluindo o crescimento, movimento e reprodução. São constituídos pelos nutrientes.”
Introdução à dietética
Nutrientes:
“São todas as substâncias químicas que fazem parte dos alimentos e que são absorvidas pelo organismo, sendo indispensáveis para o seu funcionamento.”
Nutrição: 
“Estudo dos alimentos, dos nutrientes, sua interação e equilíbrio relacionado à saúde e à doença, e o processo pelo qual o organismo ingere, digere, absorve, transporta, utiliza e elimina as substâncias alimentares”.
O que é DIETA? 
Refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas particulares.
Conjunto de prescrições qualitativas e quantitativas de alimentos com a finalidade de manter ou recuperar a saúde.
Plano alimentar que atenda às recomendações de energia e nutrientes do indivíduo durante determinado período de tempo em condições de saúde definidas.
Área responsável por subsidiar o planejamento de cardápios balanceados, que supram as necessidades de nutrientes e energia a quem se destinam.
Para isso, utiliza métodos e cálculos para estabelecimento da composição nutricional da dieta a ser prescrita.
O que é DIETÉTICA? 
Muito importante, pois estabelece a composição física e química da dieta.
Para isso, faz uso de alimentos adequados, selecionados por serem capazes de fornecer nutrientes e energia necessários à promoção ou reestabelecimento da saúde de indivíduos ou grupo de indivíduos.
DIETÉTICA
Nutrição ao longo dos tempos
Alimentação x bem-estar físico x desenv. mental e emocional

HIPÓCRATES
 Lavoisier (1770): combustão de alimentos e respiração celular;
 Pasteur (1857-1890): necessidade de estudar os alimentos de forma mais abrangente;
 Benedict (1919): privação de alimento x adaptações orgânicas;
 Pedro Escudero (1937): introduziu os estudos de alimentação e nutrição na escola de medicina argentina (Leis da Alimentação).
“Normas fixas estabelecidas por Pedro Escudero, 1937”
 
 1ª Lei: da Quantidade
 2ª Lei: da Qualidade
 3ª Lei: da Harmonia
 4ª Lei: da Adequação
 Leis da alimentação:
 1ª Lei: da Quantidade
“Quantidade de alimentos deve ser suficiente para cobrir as exigências energéticas do organismo e manter em equilíbrio o seu balanço”.
 Leis da alimentação:
Calorias, alimentos e distribuição:
 função plástica;
 função reguladora;
 função energética. 
 2ª Lei: da Qualidade
“Regime alimentar deve ser completo para fornecer ao organismo todos os elementos que o integram”.
 Leis da alimentação:
Ingestão de todos os nutrientes diariamente.
 3ª Lei: da Harmonia
“As quantidades dos vários nutrientes que integram a alimentação devem guardar uma relação de proporção entre si”.
 Leis da alimentação:
 4ª Lei: da Adequação
“A alimentação deve se adequar as condições do organismo, ao seu momento biológico, fisiológico, e além disso, aos hábitos alimentares, situação socioeconômica do indivíduo e a possíveis enfermidades.”
Resumindo!!
Alimentação normal deve ser:
 quantitativamente suficiente;
 qualitativamente completa;
 harmoniosa em seus componentes;
 adequada a sua finalidade e ao organismo a que se destina.
 Leis da alimentação:
Guias Alimentares
http://alimentacaosaudavel1b.blogspot.com/2015/
 Guias alimentares
 “Instrumentos de orientação e informação à população, visando promover saúde e hábitos alimentares saudáveis.”
 Guias alimentares
 Os guias alimentares devem ser adequados à população a que se destina.
GUIAS ALIMENTARES NO MUNDO
A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançou um novo site sobre Guias Alimentares que servirá como uma plataforma para a troca de informações sobre guias alimentares a nível global. 
O site contém guias de 67 países e se expandirá e atualizará regularmente. 
Também contém um grande número de manuais, materiais educativos e informes científicos sobre o desenvolvimento e implementação de guias alimentares.
GUIAS ALIMENTARES NO MUNDO
Os Guias alimentares são instrumentos muito importantes nas mãos dos países para harmonizar as políticas e programas de agricultura, saúde e nutrição de acordo com as necessidades de suas populações. 
Os guias fornecem orientações oficiais sobre os alimentos, os grupos de alimentos e os padrões alimentares que promovem a saúde e protegem contra enfermidades, e estão dirigidas para as pessoas saudáveis de todas as idades e origens.
SITE: 
http://www.fao.org/nutrition/educacion-nutricional/food-dietary-guidelines/home/en/
http://www.fao.org/nutrition/educacion-nutricional/food-dietary-guidelines/home/en/
http://www.fao.org/nutrition/educacion-nutricional/food-dietary-guidelines/home/en/
http://www.fao.org/nutrition/educacion-nutricional/food-dietary-guidelines/home/en/
O processo de desenvolvimento do “Guia Alimentar para a População Brasileira 2014” foi conduzido pelo Ministério da Saúde e pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (NUPENS/USP).
As orientações foram elaboradas de forma participativa e em consulta a vários setores da sociedade. 
Na primeira etapa, uma série de oficinas para elaborar e avaliar o primeiro projeto foram realizadas com especialistas de vários setores, incluindo saúde, educação, proteção social e da agricultura, bem como pesquisadores e representantes de grupos da sociedade civil. 
Na sequência destas reuniões, um segundo projeto das orientações foi apresentado para consulta pública em uma plataforma executada pelo Ministério da Saúde.
Na segunda etapa, o Ministério da Saúde e o NUPENS/USP finalizaram o guia, levando em conta os comentários da consulta pública.
As diretrizes se aplicam a todos os brasileiros com 02 ou mais anos de idade e são destinadas a todos os profissionais que trabalham na promoção da saúde e prevenção de doenças (tais como profissionais de saúde, educadores em nutrição e saúde, comunidade e assistentes sociais).
Orientação dietética específica para crianças menores de dois anos de idade, de acordo com as recomendações gerais das Diretrizes Dietéticas para a população brasileira, está disponível no guia para profissionais de saúde na atenção primária "Dez passos para uma alimentação saudável - orientações dietéticas para crianças menores de dois anos”.
OBSERVAÇÃO:
1. Utilize alimentos naturais ou alimentos minimamente processados como base de sua dieta;
Dez Passos para Dietas Saudáveis
2. Use óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades como tempero ou para cozinhar alimentos naturais ou minimamente processados e para criar preparações culinárias;
3. Limite o consumo de alimentos processados;
4. Evite o consumo de alimentos ultraprocessados;
5. Coma regularmente e com cuidado em ambientes apropriados e, sempre que possível, em companhia;
Dez Passos para Dietas Saudáveis
6. Faça compras em lugares que oferecem uma variedade de alimentos naturais ou minimamente processados;
7. Desenvolva, exercite e compartilhe habilidades de cozinha;
8. Planeje o seu tempo para fazer da comida e comer importantes em sua vida;
9. Fora de casa, prefira locais que servem refeições frescas e feitas na hora;
10. Tenha cuidado com a publicidade de alimentos e comercialização.
Assista: https://www.youtube.com/watch?v=lXqemxb7NEA
Necessidades nutricionais de energia e nutrientes de crianças maiores de dois anos
A INFÂNCIA
O período que começa após a lactância e dura até a puberdade (Mahan e Scott-Stump, 2008).
As DRI’s (2005) dividem esse período em:
1 – 3 anos
4 – 8 anos
 Diferenças