A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO superior 09-11-2020

Pré-visualização | Página 1 de 1

FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO 
SUPERIOR
(CAVIDADE ORAL, ESÔFAGO E ESTÔMAGO)
PROFª DRª RENATA MANCINI BANIN
CAVIDADE 
ORAL/ESÔFAGO
DISFAGIA
Qualquer dificuldade na deglutição resultante de interferências na precisão e sincronia dos 
movimentos de músculos e estruturas associadas à deglutição que resultam em inabilidade. 
Pode ocorrer por debilidade no controle do SNC ou disfunção mecânica.
Classificação:
üOrofaríngea – Decorrente de anormalidades que afetam o
mecanismo neuromuscular de controle do movimento do
palato, faringe e esfíncter esofágico superior – causa
dificuldade em iniciar a deglutição e engasgos.
ü Esofágica – Decorrente de distúrbios que afetam o
esôfago, resulta em dificuldade na propulsão através do
esôfago.
DISFAGIA - SINTOMAS
Disfagia Orofaríngea
¡ Sensação de “entalamento” do bolo alimentar
na garganta;
¡ Tosse;
¡ Regurgitação nasal;
¡ Odinofagia (dor ao deglutir);
¡ Infecções respiratórias recorrentes por
aspiração de alimentos.
Disfagia Esofágica
¡ Sensação de “entalamento” do bolo alimentar 
na região retroesternal;
¡ Dor torácica;
¡ Regurgitação do bolo alimentar não digerido
Tenho muita dificuldade para engolir
Consigo engolir, mas a comida fica entalada 
no meu peito
HÉRNIA DE HIATO
Formação em bolsa para fora de uma porção do estômago para dentro do tórax 
através do hiato esofágico do diafragma.
Pode ser causada pela diferença entre a alta pressão dentro do abdome em 
relação à baixa pressão dentro do tórax; esforço físico, predisposição neonatal 
ou obesidade.
HÉRNIA DE HIATO
¡ Embora muitos casos sejam assintomáticos, os principais sinais e sintomas da hérnia de 
hiato são:
Ø Azia;
Ø Eructações (arrotos);
Ø Refluxo do suco gástrico (ácido);
Ø Tosse;
Ø Vômitos;
Ø Irritação da garganta,
Ø Pode causar RGE e esofagite.
REFLUXO GASTROESOFÁGICO 
Fluxo retrógrado do conteúdo estomacal e/ou duodenal para o 
esôfago, que pode ocorrer normalmente ou como uma condição 
crônica.
REFLUXO GASTROESOFÁGICO 
Sinais e sintomas
ü Dor subesternal
ü Eructação
ü Espasmo esofágico
ü Irritação faríngea
ü Rouquidão
Pode evoluir para Esôfago de Barret -
As células que recobrem a parte distal do esôfago 
se tornam anormais e pré malignas.
ESOFAGITE
Aguda
• Infecção viral
• Substâncias irritantes
• Intubação
Crônica
• Vômitos recorrentes
• Pressão de EEI reduzida
• Hérnia hiatal
• Pressão intra-abdominal aumentada
• Esvaziamento gástrico demorado
Inflamação do esôfago
ESOFAGITE
Complicações:
ü Esofagite crônica;
ü Hemorragia;
ü Esôfago de Barrett (metaplasia do esôfago);
ü Neoplasia.
Esôfago de Barrett 
CARCINOMA 
DE ESÔFAGO
Causas:
ü Álcool
ü Tabagismo
ü Má nutrição
ü Ingestão de longa data de 
alimentos e bebidas 
quentes
ü Acalásia
ü Esofagite de refluxo
ü Esofagite de Barrett 
ESTÔMAGO
NÁUSEAS E VÔMITO
¡ O vômito ou êmese é um ato involuntário, que
consiste na expulsão oral forçada do conteúdo
gástrico, provocada por contração enérgica dos
músculos abdominais.
¡ O vômito é precedido, na maioria das vezes, por
náuseas, que é a sensação iminente de vômito; trata-
se de uma impressão subjetiva, mal definida,
comumente referida como "enjôo" ou "ânsia".
labirinto (ouvido médio)
Zona de gatilho 
quimiorreceptora (ativada por 
numerosos fármacos e toxinas 
endógenas e exógenas)
ü O ato de vomitar envolve dois
centros : o centro do vômito e a
zona de gatilho
quimiorreceptora.
ü Vômito → reflexo integrado no
centro do vômito, situado no
bulbo. A zona de gatilho
quimiorreceptora localiza-se em
uma pequena área no assoalho
do quarto ventrículo, onde é
exposta ao sangue e ao líquido
cefalorraquidiano.
ü Zona de gatilho quimiorreceptora
→ acredita-se que medeia os
efeitos eméticos dos fármacos e
toxinas transportados pelo
sangue.
FISIOPATOLOGIA DO VÔMITO
Estímulo da 
salivação
Inspiração 
forçada → ↑
pressão 
intratorácica
Contração dos 
músculos 
abdominais →
↑ pressão intra-
abdominal 
Epiglote 
fechada 
(proteção da 
entrada da 
laringe)
Aumento da 
pressão 
intragástrica
(EEI fechado)
EEI relaxa →
conteúdo 
gástrico é 
expelido
Sequência de eventos do vômito:
GASTRITE E ÚLCERAS GÁSTRICAS
Gastrite
Inflamação do estômago. 
Pode ocorrer de forma aguda ou 
crônica.
Úlceras Gástricas 
Lesões que estão associadas ao 
rompimento da barreira mucosa 
gástrica.
GASTRITE E ÚLCERAS GÁSTRICAS
Fatores de agressão
ü HCL
ü Pepsina
ü Bile
ü Medicamentos ulcerogênicos
Fatores de proteção
ü Barreira mucosa
ü Prostaglandinas
ü Secreção mucosa
Tanto na gastrite como na úlcera, o ponto central é desequilíbrio 
entre os fatores que agridem a mucosa e os fatores que a protegem. 
HILICOBACTER PYLORI
Tipo de bactéria que pode 
infectar cronicamente o 
estômago.
Principal fator contribuinte para o 
desenvolvimento de gastrite, 
úlceras gástricas e câncer.
CARCINOMA 
DE ESTÔMAGO
Causas:
üDieta inadequada
üTabagismo
ü Infecção pelo H. 
pilory
üGastrite crônica 
PROCEDIMENTOS GÁSTRICOS CIRÚRGICOS 
ESOFAGECTOMIA
A esofagectomia consiste na remoção de parte ou de todo 
o esôfago, dependendo da área afetada pelo tumor.
Procedimento Cirúrgico:
ü Esofagectomia aberta: O esôfago é retirado com 
incisões no abdome e na caixa torácica. 
ü Esofagectomia minimamente invasiva: O esôfago 
é retirado através de pequenas incisões com auxílio de 
um endoscópio para monitorar todo o procedimento.
ESOFAGECTOMIA
GASTRECTOMIAS
Procedimento cirúrgico onde ocorre a retirada total ou parcial do 
estômago.
üParcial - Liga-se uma parte do estômago ao intestino delgado.
üTotal - Liga-se o esôfago diretamente ao intestino delgado.
GASTRECTOMIAS
Indicação: 
üCâncer de estômago.
üTraumas causados por acidente.
üÚlcera péptica grave.
üObstrução piloro-duodenal.
GASTRODUODENOSTOMIA – BILLROTH I
Procedimento cirúrgico que consiste
na retirada parcial do estômago,
refazendo o trânsito gastrointestinal
com o duodeno (Billroth I) ou com o
jejuno (Billroth II).
Indicações: úlceras pépticas graves,
carcinoma de estômago.
Billroth I
GASTROJEJUNOSTOMIA – BILLROTH II
ESTUDO DIRIGIDO
Defina:
1. Disfagia e sua classificação.
2. Hérnia de hiato e as principais causas.
3. Refluxo gastroesofágico, sinais e sintomas.
4. Esôfago de Barret.
5. Esofagite, gastrite e úlceras gástricas.
6. H. Pylori.
7. As possíveis causas relacionadas aos carcinomas de esôfago e estômago.
8. Vômito e como ocorre.
9. Descreva os procedimentos gástricos cirúrgicos relacionados ao tratamento dos carcinomas de esôfago e 
estômago.