A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Cirrose

Pré-visualização | Página 2 de 2

Por causa disso o organismo responde 
com neoangiogenese, aparece a 
circulação colateral. As principais 
circulações colaterais são: periumbilical 
(cabeça de medusa), esofágica (varizes 
esofágicas) e hemorroidas. Cada uma 
dessas complicações tem um tratamento 
diferente. 
O paciente com varizes esofágica tem 
uma parede muito adelgaçada e muito 
fácil de estourar, principalmente em pico 
hipertensivo, podendo levar ao óbito. As 
varizes esofágicas são um dos principais 
motivos de óbitos em pacientes com 
cirrose. 
Outra complicação da hipertensão portal 
é a ascite, o sangue fica represado na 
Elany Portela 
veia porta e através da pressão osmótica 
ele começa a jogar linfa para o 
retroperitônio (TERCEIRO ESPAÇO). A linfa 
é um conteúdo líquido com menos soluto. 
 
Na ascite ocorre aumento abdominal 
intensa, a barriga é móvel (líquido). No 
piparote ocorre a propagação da onda, 
além disso ocorre macicez móvel. Pela 
macicez móvel é possível dizer quanto de 
líquido que está presente no abdome, o 
líquido pode ser retirado por paracentese. 
A hipertensão porta também causa 
edema, o líquido passa a extravasar para 
o subcutâneo, é gravitacional, ou seja, vai 
para os membros inferiores. 
Ocorre visceromegalia, o sangue “foge” 
do fígado e infiltra em outros órgãos, 
principalmente no baço, ocorrendo 
esplenomegalia. 
Endócrino 
É responsável pela metabolização do 
colesterol (precursor da testosterona), o 
paciente cirrótico produz menos 
testosterona, pois ele tem pouco 
colesterol. A diminuição da testosterona 
provoca feminilização: ginecomastia e 
perda de pelo. 
O metabolismo da bilirrubina também é 
afetado, ocorre acúmulo de bilirrubina na 
circulação, causando icterícia. 
O fígado também é responsável pela 
metabolização da amônia (relacionada 
ao metabolismo de proteínas). No 
paciente com cirrose há acúmulo de 
amônia no corpo, inclusive no cérebro, 
causando uma encefalopatia hepática 
(demência hepática). Além disso o 
metabolismo de proteínas fica deficitário, 
o paciente fica desnutrido. 
A cascata de coagulação está 
intimamente relacionada ao fígado, 
dessa forma a coagulação está afetada 
na cirrose, ou seja, se alguma das varizes 
esofágica se romper o paciente vai 
sangrar e não conseguirá coagular 
corretamente. 
Metabólico 
Com a desnutrição o paciente não 
consegue metabolizar praticamente 
nada relacionado ao alimento. 
O fígado possui estreita relação com o 
metabolismo de vitaminas, 
principalmente a cobalamina, que se 
relaciona com o metabolismo da 
vitamina D e B12. O paciente começa a 
ter anemia megaloblástica 
Principais causas de óbito: rompimento 
de varizes esofágicas, acúmulo de NH4 no 
cérebro (gerando coma) e anemia. Esses 
pacientes também possuem duas 
síndromes importantes: síndrome 
hepatorrenal e síndrome 
hepatopulmonar.
Elany Portela