A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Direito Penal - Reabilitação e Medidas de segurança

Pré-visualização | Página 1 de 2

Direit� Pena� | Reabilitaçã�
Anotações da aula 25.05.2021
● Reabilitação | Art. 93 do CP
Art. 93 - A reabilitação alcança quaisquer penas aplicadas em sentença definitiva, assegurando ao
condenado o sigilo dos registros sobre o seu processo e condenação. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de
11.7.1984)
Parágrafo único - A reabilitação poderá, também, atingir os efeitos da condenação, previstos no art.
92 deste Código, vedada reintegração na situação anterior, nos casos dos incisos I e II do mesmo
artigo. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Comentário: Resta-nos somente uma única utilidade do instituto da reabilitação qual seja
a reversão dos efeitos do art. 92 inciso III do cp.
- OBS: Ver art. 202 da LEP
Art. 202. Cumprida ou extinta a pena, não constarão da folha corrida, atestados
ou certidões fornecidas por autoridade policial ou por auxiliares da Justiça, qualquer
notícia ou referência à condenação, salvo para instruir processo pela prática de nova
infração penal ou outros casos expressos em lei.
● São irreversíveis | Art. 92 do CP
Art. 92 - São também efeitos da condenação: (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
I - a perda de cargo, função pública ou mandato eletivo: (Redação dada pela Lei nº 9.268, de
1º.4.1996)
a) quando aplicada pena privativa de liberdade por tempo igual ou superior a um ano, nos
crimes praticados com abuso de poder ou violação de dever para com a Administração Pública;
(Incluído pela Lei nº 9.268, de 1º.4.1996)
b) quando for aplicada pena privativa de liberdade por tempo superior a 4 (quatro) anos nos
demais casos. (Incluído pela Lei nº 9.268, de 1º.4.1996)
II – a incapacidade para o exercício do poder familiar, da tutela ou da curatela nos crimes dolosos
sujeitos à pena de reclusão cometidos contra outrem igualmente titular do mesmo poder familiar,
contra filho, filha ou outro descendente ou contra tutelado ou curatelado; (Redação dada pela Lei
nº 13.715, de 2018 )
III - a inabilitação para dirigir veículo, quando utilizado como meio para a prática de crime doloso.
(Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Comentário: A reabilitação poderia trazer esse efeito de volta.
Parágrafo único - Os efeitos de que trata este artigo não são automáticos, devendo ser
motivadamente declarados na sentença. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
➔ Quando poderá ser requerida a reabilitação ?
Art. 94 - A reabilitação poderá ser requerida, decorridos 2 (dois) anos do dia em que for extinta, de
qualquer modo, a pena ou terminar sua execução, computando-se o período de prova da suspensão e o
do livramento condicional, se não sobrevier revogação, desde que o condenado: (Redação dada pela Lei
nº 7.209, de 11.7.1984)
I - tenha tido domicílio no País no prazo acima referido; (Redação dada pela Lei nº 7.209, de
11.7.1984)
II - tenha dado, durante esse tempo, demonstração efetiva e constante de bom comportamento
público e privado; (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
III - tenha ressarcido o dano causado pelo crime ou demonstre a absoluta impossibilidade de o
fazer, até o dia do pedido, ou exiba documento que comprove a renúncia da vítima ou novação da
dívida. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Parágrafo único - Negada a reabilitação, poderá ser requerida, a qualquer tempo, desde que o pedido
seja instruído com novos elementos comprobatórios dos requisitos necessários. (Redação dada pela
Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
➔ Qual o juiz é competente para a reabilitação ?
◆ Art. 743 do CPP
Art. 743. A reabilitação será requerida ao juiz da condenação, após o decurso de quatro ou oito anos, pelo
menos, conforme se trate de condenado ou reincidente, contados do dia em que houver terminado a
execução da pena principal ou da medida de segurança detentiva, devendo o requerente indicar as comarcas
em que haja residido durante aquele tempo.
◆ Juiz da ação de conhecimento
➔ A reabilitação será revogada quando ?
◆ Art. 95 do CP
Art. 95 - A reabilitação será revogada, de ofício ou a requerimento do Ministério Público, se o reabilitado
for condenado, como reincidente, por decisão definitiva, a pena que não seja de multa. (Redação dada pela
Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Comentário : O fato pelo qual o reabilitado será condenado deverá ter ocorrido após o trânsito
em julgado da sentença penal que o condenou pelo crime anterior ( art. 66 do CP). Se, todavia, tiver
transcorrido 5 anos entre a data do cumprimento da pena anterior ou da sua extinção e o fato novo,
computado nesse tempo o período de prova do sursis e do livramento condicional, não haverá
reincidência.
● Pressupostos
- É indiferente para efeitos de reabilitação que o condenado seja
reincidente ou não, observando-se apenas o prazo de 2 anos de extinção
da pena
Direit� Pena� | Medida� d� Seguranç�
Anotações do dia 25.05.2021
● Para quem são aplicadas?
- Para as pessoas que são inimputáveis.
01. Manicômio judiciário
02. Tratamento ambulatorial
- O fundamento da aplicação de uma pena reside na culpabilidade, e a aplicação das
medidas de segurança reside na periculosidade.
● Pressupostos
01. Cometer um fato típico e ilícito, não é considerado culpado.
02. E ser inimputável.
- Declarada a inimputabilidade, o agente não é condenado mas fica
sujeito a uma medida de segurança que é obrigatória. Também não terá
seu nome lançado no rol dos culpados e nem será considerado
reincidente.
● Os inimputáveis | Art. 26 do CP
Art. 26 - É isento de pena o agente que, por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto ou
retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato
ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Redução de pena
Parágrafo único - A pena pode ser reduzida de um a dois terços, se o agente, em virtude de
perturbação de saúde mental ou por desenvolvimento mental incompleto ou retardado não era
inteiramente capaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse
entendimento. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
● Ver artigo 149 até o 154 do CPP
- O inimputável recebe uma guia de internação.
- Art. 149 do CPP
Art. 149. Quando houver dúvida sobre a integridade mental do acusado, o juiz ordenará, de ofício ou a
requerimento do Ministério Público, do defensor, do curador, do ascendente, descendente, irmão ou
cônjuge do acusado, seja este submetido a exame médico-legal.
§ 1o O exame poderá ser ordenado ainda na fase do inquérito, mediante representação da autoridade
policial ao juiz competente.
§ 2o O juiz nomeará curador ao acusado, quando determinar o exame, ficando suspenso o processo,
se já iniciada a ação penal, salvo quanto às diligências que possam ser prejudicadas pelo adiamento.
- Art. 150 do CPP
Art. 150. Para o efeito do exame, o acusado, se estiver preso, será internado em manicômio judiciário,
onde houver, ou, se estiver solto, e o requererem os peritos, em estabelecimento adequado que o juiz
designar.
§ 1o O exame não durará mais de quarenta e cinco dias, salvo se os peritos demonstrarem a
necessidade de maior prazo.
§ 2o Se não houver prejuízo para a marcha do processo, o juiz poderá autorizar sejam os autos
entregues aos peritos, para facilitar o exame.
- Art. 151 do CPP
Art. 151. Se os peritos concluírem que o acusado era, ao tempo da infração, irresponsável nos termos do
art. 22 do Código Penal, o processo prosseguirá, com a presença do curador.
- Art. 152 do CPP
Art. 152. Se se verificar que a doença mental sobreveio à infração o processo continuará suspenso até que
o acusado se restabeleça, observado o § 2o do art. 149.
§ 1o O juiz poderá, nesse caso, ordenar a internação do acusado em manicômio judiciário ou em outro
estabelecimento adequado.
§ 2o O processo retomará o seu curso, desde que se restabeleça o acusado, ficando-lhe assegurada a
faculdade de reinquirir as testemunhas que houverem prestado depoimento sem a sua presença.
- Art. 153 do CPP
Art. 153. O incidente da insanidade mental