A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
PRINCÍPIOS DE DIREITO ECONÔMICO

Pré-visualização | Página 1 de 1

PRINCÍPIOS DE DIREITO ECONÔMICO. 
É o ramo jurídico, responsável pelo estudo das normas ligadas à produção e circulação 
de riquezas, visando ao desenvolvimento nacional, analisando, também, regras de regulação 
dos mercados, no qual sua definição é um conjunto de normas aplicado para alcançar o bem-
estar social e econômico que assegura a defesa e harmonia dos interesses individuais e 
coletivos. “O Direito Econômico trata da juridicização da política econômica, trazendo um 
conjunto de normas de conteúdo econômico para defender e assegurar a harmonia de interesses 
individuais e coletivos na ordem jurídica, de acordo com a ideologia constitucionalmente 
adotada [...]”, (SOUZA, 2005). 
Em meio à crise provocada pela disseminação mundial do coronavírus (COVID-19), 
todos os países afetados pela pandemia buscam soluções para lidar com as instabilidades que 
ela oferece não apenas para a população em geral, mas também para a economia. 
No Brasil, o governo recentemente anunciou medidas para a manutenção da atividade 
econômica que buscam ajudar as empresas com ações, e os consumidores no combate a preços 
abusivos dos produtos, para reduzir os efeitos negativos relacionados ao novo coronavírus. 
Desde o início da crise do coronavírus, um dos produtos mais procurados é o álcool em 
gel, no entanto, a escalada do preço tem assustado o consumidor, que se vê num dilema entre 
pagar os preços abusivos ou não ter o produto para se prevenir do contágio da doença. Diante 
da crise do novo coronavírus, o Procon de São Paulo abriu por tempo indeterminado a Operação 
Corona para fiscalizar a abusividade na venda de álcool em gel e máscaras de proteção em 
farmácias e supermercados da capital paulista. Equipes vão comparar os valores dos produtos 
praticados em estabelecimentos nos últimos três meses, conferindo notas fiscais, para verificar 
aumentos de preços. 
O Procon e o Sindicato das Empresas Representantes de Gás Liquefeito de Petróleo da 
Capital e dos Municípios da Grande São Paulo – SERGÁS -fecharam um acordo ontem (13/4), 
limitando o preço de venda do botijão de gás de cozinha 13k a R$ 70,00.O sindicato, que 
representa aproximadamente 22 revendedores, afirmou que todos os seus associados venderão 
o botijão de gás na sede da revendedora cadastrada e legalizada junto à Agência Nacional de 
Petróleo – ANP, desde que o consumidor leve o seu botijão vazio para troca, pelo preço de R$ 
70,00. Aqueles que cobrarem preço superior ao acordado terão que demonstrar que praticavam 
tais valores antes do período da pandemia. Caso o consumidor venha a solicitar a aquisição do 
gás para entrega em domicílio, será cobrada uma taxa pela conveniência, não superior ao valor 
de R$ 9,90. 
Visando coibir a prática de estoque, assim como revenda clandestina, o acordo, que tem 
validade até 30/7/2020, também estabelece que durante esse período a venda de gás será 
limitada ao máximo de um botijão por pessoa.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.