A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
cirurgia pré-prótetica

Pré-visualização | Página 1 de 2

-após a perda dos dentes naturais, alterações 
ósseas na maxila e na mandíbula começam a 
ocorrer imediatamente. Devido ao osso alveolar 
não receber o estimulo local na área do dente e do 
ligamento periodontal, então esse osso começa a 
ser reabsorvido 
-em muitos pacientes o processo de reabsorção 
tende a estabilizar após um período, enquanto em 
outros a continuação do processo eventualmente 
resulta na total perda do osso alveolar e osso basal 
subjacente 
-os resultados dessa reabsorção são acelerados 
pelo uso de prótese total e tendem a afetar a 
mandíbula mais severamente do que a maxila, 
devido a diminuição da área de suporte e á 
distribuição de forças oclusais menos favoráveis 
-fatores sistêmicos gerais e locais podem são 
responsáveis pela variação em quantidade e 
padrão de reabsorção óssea alveolar 
-os fatores locais que afetam a reabsorção do 
rebordo alveolar incluem técnicas de 
alveoloplastia usadas no momento da remoção de 
dentes e traumatismo localizado associado a perda 
do osso alveolar 
-o uso de prótese total também pode contribuir 
para a reabsorção do osso alveolar devido a 
inadequada adaptação da prótese ao rebordo ósseo 
ou pela inadequada distribuição de forças oclusais 
-variações da estrutura facial podem contribuir 
para o padrão de reabsorção de duas maneiras: 
 
 
 
 
 
 
 
 
-o resultado a longo tempo da combinação dos 
fatores gerais e locais é a perda óssea do rebordo 
ósseo alveolar, (aumentando a distancia do 
espaço interarcos, aumentando a influência do 
tecido mole circundante, diminuindo a 
estabilidade e a retenção da prótese, e 
aumentando o desconforto devido a inadequada 
adaptação da prótese) 
-em muitos casos de reabsorção mais severa há 
um significativo aumento do risco de ocorrer 
fratura espontânea da mandíbula 
-a reposição protética de perda ou ausência 
congênita de dentes envolve freqüentemente 
preparação cirúrgica do tecido oral remanescente 
para melhor suportar a possível prótese 
-freqüentemente estruturas orais como inserção de 
freio e exostoses, tornam-se um obstáculo para a 
adequada confecção de próteses após a perda do 
dente. 
-o desafio da reabilitação protética inclui restaurar 
as melhores funções mastigatórias possíveis, 
combinadas com a restauração ou melhoria da 
estética dental e facial 
-a máxima preservação do tecido duro e mole 
durante a preparação cirúrgica tão bem é 
importante. Visto que, os tecidos orais 
dificilmente são repostos quando são perdidos 
-o objetivo da cirúrgica pré-protetica é criar uma 
adequada estrutura de suporte para a colocação e 
uma prótese 
 
 
 
 
 
Primeira: o volume real do osso presente no rebordo ósseo 
alveolar varia de acordo com a forma facial 
Segunda: indivíduos com plano angular mandibular baixo e 
ângulo goniano mais agudo são capazes de gerar maior força de 
mordida, promovendo maior pressão sobre a área do rebordo 
alveolar 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-antes de qualquer tratamento cirúrgico ou 
protético, por meio da avaliação, devem-se 
observar os problemas a serem resolvidos e 
detalhar o plano de tratamento a ser desenvolvido 
para cada paciente, formulado um plano de 
tratamento com os problemas orais do paciente 
-o tratamento cirúrgico pré-protético deve iniciar-
se por meio da anamnese e obter a a clara idéia da 
queixa principal do paciente e a expectativa do 
tratamento cirúrgico e protético 
-a avaliação do estado de saúde geral do paciente 
é especialmente importante quando consideramos 
técnicas cirúrgicas pré-proteticas mais avançadas 
-atenção especifica deve ser dada a possíveis 
doenças sistêmicas que podem ser responsáveis 
pelo grande aumento e reabsorção óssea 
-fatores psicológicos de adaptabilidade do 
paciente são importantes determinantes da 
habilidade deste para receber adequadamente 
tratamentos com prótese total ou parcial 
-o exame intraoral e extraoral do paciente deve 
incluir uma avaliação da: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-o exame do osso de suporte deve incluir a 
inspeção visual, palpação, exame radiografico, e, 
em alguns casos, avaliação de modelos 
 -muitas anormalidades ósseas podem ser 
mascaradas devido a reabsorção óssea e 
localização de músculos ou inserção de tecido 
mole 
-a palpação de todas as áreas da maxila e 
mandíbula, incluindo a área de suporte da prótese 
e a área vestibular é necessária 
- nenhuma evidência de condição patológica intraoral 
ou extraoral 
-adequada relação interarcos na dimensão Antero-
posterior, transvesal e vertical 
-processo alveolar o mais largo possível e com 
adequada configuração (sua forma ideal é o rebordo 
largo em forma de U, com componentes verticais os 
mais paralelos possíveis) 
-nenhuma protuberância óssea ou de tecido mole ou 
ainda irregularidades 
-ina 
 -adequada abóbada palatina 
-adequada chanfradura na tuberosidade posterior 
-adequada mucosa inserida queratinizada na área de suporte da 
prótese 
-adequada profundidade vestibular para extensão da prótese 
-força adicional onde a fratura mandibular pode ocorrer 
-proteção do feixe vasculonervoso 
-adequado suporte ósseo e tecido mole inserido de cobertura para 
facilitar a instalação de implantes quando necessário 
-relação oclusal existente se houver algum remanescente 
-a quantidade e o contorno do remanescente ósseo, 
-a quantidade do tecido mole sobrejacente, 
-a profundidade vestibular 
-a localização da inserção muscular 
-a relação intearcos e a presença de condição patológica no 
tecido mole ou ósseo 
 
-a avaliação da área de suporte da prótese da 
maxila inclui avaliação total da forma do rebordo 
ósseo 
-inserções musculares e mucosas próximas a crista 
do rebordo podem mascarar a anatomia óssea 
subjacente, particularmente na região posterior da 
mandíbula 
-irregularidades do rebordo alveolar encontradas 
no momento da extração dentária ou após o 
período inicial de cicatrização necessitam de 
recontorno antes da reconstrução protética final 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-alveoloplastia simples associada a remoção de múltiplos 
dentes: 
-alveoloplastia imediata: 
 
 
 
 
 
 
 
-sua forma mais simples consiste na compressão 
das paredes laterais do alvéolo dentário após a 
remoção de um dente 
-a alveoloplastia conservadora em combinação 
com múltiplas extrações é realizada após todos os 
dentes do arco ter sido removido 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-alveoloplastia intrasseptal: 
-também conhecida como técnica de Dean 
envolve a remoção do osso intrasseptal e o 
reposicionamento do osso cortical vestibular, em 
vez da remoção de áreas irregulares excessivas ou 
do córtex vestibular 
-essa técnica é mais bem utilizada em áreas nas 
quais o rebordo é de contorno relativamente 
regular e altura adequada, porém apresenta uma 
depressão no fundo do vestíbulo, devido a 
configuração do rebordo ósseo 
-essa técnica pode ser concluída no momento da 
remoção dos dentes ou no período pós-operatório 
de cicatrização inicial precoce 
-a principal desvantagem dessa técnica é a 
diminuição da espessura do rebordo, que 
obviamente ocorre com esse tipo de procedimento 
-Exodontia com prótese Imediata: 
-as áreas ósseas que necessitam de recontorno devem ser 
expostas usando-se um retalho tipo envelope 
-onde a adequada exposição não é possível, pequenas 
incisões relaxantes verticais podem ser necessárias 
-dependendo do grau de irregularidade da área de 
rebordo alveolar, o recontorno pode ser realizado com 
piça-goiva, lima óssea, ou com broca para osso em uma 
peça de mão, isoladas ou combinadas 
Obs!! Irrigação com água salina deve ser usada 
durante o procedimento para evitar o superaquecimento 
e a necrose óssea 
 
 
-alveoloplastia imediata 
-exodontia com prótese imediata 
-alveoloplastia tardia 
-exostoses 
-tórus 
-freio labial 
-remoção de hiperplasia