Buscar

Av2 - Processo do Trabalho I

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

Av2 - Processo do Trabalho I 
 
Alunos: 
Carolina Evelyn Miranda Cardoso 
Danielle Duarte Santiago 
David Dias Raposo 
Diego Brazão Machado 
Francisco Gilvan Veras Silva 
Gabriel Eduardo de Andrade 
Gabriela de Oliveira da Silva 
Ian Gomes Fernandes 
Larissa Furtado Silva 
Natanael Conceição Cantanhede 
 
Questão 01 
Mandato Expresso: É o conferido de modo inequívoco, por um documento escrito, seja ele de 
qualquer natureza, contanto que nele exale a vontade irretorquível de ser alguém investido dos 
poderes de representação. 
Melhor dizendo, é a procuração ordinária por escrito, onde se tem o outorgante é aquele que 
concede, enquanto que outorgado é quem recebe os poderes de representação, no documento 
deve conter cláusulas que determinam os poderes a ser exercidos pelo outorgado, data, local, 
assinatura, caso haja vigência de procuração estabelecer, podendo ser reconhecida assinaturas em 
cartório. 
Mandato Tácito: É o registro da presença do advogado à audiência acompanhado a parte, 
aceitando os atos praticados em seu nome e em sua presença pelo causídico. Sum 164, TST. 
Ou melhor, o advogado promove atos de representação e esses atos vão sendo acolhidos e 
reconhecidos pela parte que o advogado representa. 
Apud Acta: ​É a procuração dada nos próprios autos da causa pelo respectivo escrivão, perante 
juiz oficiante, ou registrada efetivamente na ata da audiência. 
Porém, tanto o mandato tácito e apud acta no curso do processo serão transformados no mandato 
expresso, uma vez que o juiz vai intimar a parte para que ela junte o mandato expresso (escrito) 
no prazo legal, conforme súmula 383 TST. 
Questão 02 
 
Existem diversas formas de extinção do mandato. Podemos citar duas formas. A primeira se 
trata da extinção por morte de uma das partes. A morte determina a extinção dos contratos 
personalíssimos. O contrato de mandato é baseado da relação de confiança e lealdade posta entre 
as partes, dessa forma é personalíssimo. A morte do mandante ou mandatário terá como 
consequência a impossibilidade de execução do contrato, impondo sua resilição. Este é o 
princípio mandatum solvitur mortem, descrito no artigo 682, II, do Código Civil. A falta do 
mandatário inviabilizará qualquer efeito prático do mandato, em função da ausência de 
representante para exercer os poderes outorgados. 
 
A segunda se trata da interdição de uma das partes, onde há a mudança de estado que inabilita a 
capacidade de uma das partes. No artigo 682, II e III do Código Civil encontramos a interdição 
como causa extintiva do mandato. Isso se deve a validade do negócio jurídico requerer que o 
agente seja capaz, conforme artigo 104, I, do Código Civil. Declarada a incapacidade do 
mandatário, o cumprimento do contrato através do exercício dos poderes conferidos restará 
prejudicado de maneira definitiva. 
 
Questão 03 
 
Sim. A Lei 13.467, de 13 de julho de 2017, inseriu o artigo 791-A na Consolidação das Leis do 
Trabalho que fixou a obrigação da parte vencida em demanda trabalhista ao pagamento de 
honorários advocatícios sucumbenciais, destinados ao advogado da parte vencedora. 
O referido artigo assim dispõe: Ao advogado, ainda que atue em causa própria, serão devidos 
honorários de sucumbência, fixados entre o mínimo de 5% (cinco por cento) e o máximo de 15% 
(quinze por cento) sobre o valor que resultar da liquidação da sentença, do proveito econômico 
obtido ou, não sendo possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado da causa. 
Com reforma trabalhista, surgiu a possibilidade de condenação da parte em honorários 
advocatícios sucumbenciais. Cabe ressaltar que esses honorários serão devidos ainda que a parte 
for beneficiária da justiça gratuita, é o que o art. 791- A, § 4º da CLT. 
 
Questão 04 
 
 
A) De acordo com a CLT, após a reforma trabalhista de 2017: 
 
Art. 793-C. De ofício ou a requerimento, o juízo condenará o litigante de má-fé a pagar multa, 
que deverá ser superior a 1% (um por cento) e inferior a 10% (dez por cento) do valor corrigido 
da causa, a indenizar a parte contrária pelos prejuízos que esta sofreu e a arcar com os honorários 
advocatícios e com todas as despesas que efetuou. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017) 
§ 1o Quando forem dois ou mais os litigantes de má-fé, o juízo condenará cada um na proporção 
de seu respectivo interesse na causa ou solidariamente aqueles que se coligaram para lesar a 
parte contrária. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017) 
§ 2o Quando o valor da causa for irrisório ou inestimável, a multa poderá ser fixada em até duas 
vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social. (Incluído pela Lei 
nº 13.467, de 2017) 
§ 3o O valor da indenização será fixado pelo juízo ou, caso não seja possível mensurá-lo, 
liquidado por arbitramento ou pelo procedimento comum, nos próprios autos. (Incluído pela Lei 
nº 13.467, de 2017) 
 
B) Sim, com a reforma de 2017, a CLT prevê: 
 
Art. 793-D. Aplica-se a multa prevista no art. 793-C desta Consolidação à testemunha que 
intencionalmente alterar a verdade dos fatos ou omitir fatos essenciais ao julgamento da causa. 
(Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017) 
Parágrafo único. A execução da multa prevista neste artigo dar-se-á nos mesmos autos. (Incluído 
pela Lei nº 13.467, de 2017)

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Perguntas Recentes