Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Biologia Zero e Água e SM

Pré-visualização | Página 1 de 2

CADERNO DE BIOLOGIA - DESCOMPLICA
Biologia Zero
➔ Organização dos Seres Vivos
Biologia → Estudo da Vida.
Seres Vivos → Bioquímica complexa, metabolismo, ciclo vital, reprodução, evolução,
células…
A bioquímica é divida em compostos orgânicos e inorgânicos, são eles:
● Inorgânicos: Água e Sais Minerais.
● Orgânicos: Glicídios (glicose), lipídeos (gordura, óleos, ceras), proteínas (formação
de enzimas, formam estruturas, anticorpos, hormônios), ácidos nucléicos (RNA e
DNA) e vitaminas (A, D, E, K, complexo B, complexo C).
Metabolismo é um conjunto de reações, e temos o ANABOLISMO e o CATABOLISMO.
O anabolismo é responsável pelo crescimento, síntese e produção de compostos, já o
catabolismo são reações que encontramos quebra e degradação.
Um depende do outro, por exemplo, o ciclo vital (nasce, cresce, reproduz, envelhece e
morre) depende do metabolismo, que depende da bioquímica complexa.
Quando falamos de reprodução, temos a ASSEXUADA, que não precisa de um outro
indivíduo, ele mesmo consegue reproduzir sozinho, e a SEXUADA, onde há variabilidade
genética.
DÚVIDA: Na reprodução assexuada há variabilidade genética?
Se mexe com material genético, temos evolução, e nesta temos a mutação,
recombinação e seleção natural.
As células são unidades formadoras.
➔ Citologia Básica
A citologia é o estudo das células e essa é a unidade formadora dos seres vivos. A célula
é uma unidade morfofisiológica da maioria dos seres vivos. É uma unidade porque pode
viver por si só. Uma célula tem condições fisiológicas de sobrevivência, ou seja, tem
bioquímica complexa, catabolismo e anabolismo, tem ciclo vital, reproduz, evolui, tem
material genético.
Por isso os seres são classificados como:
● UNICELULARES: somente uma célula
● PLURICELULARES: muitas células e podem formar tecidos, que são grupamentos
de células responsáveis por uma função.
As células têm forma e função diferenciadas, por isso morfofisiológicas.
Mas porquê é formadora da maioria dos seres vivos? Por causa dos vírus. Ainda é
uma incógnita, mas os vírus não têm metabolismo próprio, somente no interior de uma
célula. O vírus não possui metabolismo, por isso, é um parasita intracelular obrigatório.
No interior de uma célula, o vírus consegue fazer reprodução, podendo evoluir, e isso são
manifestações de seres vivos.
Os indivíduos ainda podem ser classificados como:
● Procariontes: Sem núcleo, ou seja, sem carioteca (membrana nuclear) ou organelas
membranosas. Ser vivo com o núcleo primitivo. Apresenta estrutura de membrana
plasmática, uma massa de preenchimento chamada de citoplasma, material genético
disperso no citoplasma (DNA circular), organelas simples (ribossomos para síntese
de proteínas, ribossomos 70s).
● Eucariontes: Com núcleo, ou seja, com carioteca (membrana nuclear) ou organelas
membranosas. Ser vivo com núcleo desenvolvido. Apresenta estrutura de membrana
plasmática, uma massa de preenchimento chamada de citoplasma, material genético
dentro da carioteca (cromossomos, cromatina), organelas membranosas (ribossomos
80s, retículo, mitocôndrias, vacúolos).
➔ Seres Pluricelulares
A bioquímica sustenta os fenômenos metabólicos da célula, seja o indivíduo unicelular ou
pluricelular.
Nos pluricelulares, podem ter seres sem tecidos, como os fungos. Os fungos não
possuem tecidos, apresentando uma estrutura chamada de micélio. Mas existem
organismos pluricelulares com tecidos, que são conjuntos de células especializadas que
desempenham função específica, como os animais e vegetais. Os seres pluricelulares
podem ter funções diferenciadas que se integram entre si.
Os animais, fazendo a visão da histologia básica, vamos encontrar diferentes tecidos,
como o epitelial, que pode ser de revestimento e glandular, tecido conjuntivo, que pode
ser propriamente dito, adiposo, cartilaginoso, ósseo, sanguíneo e o hematopoiético,
tecido muscular, podendo ser liso, estriado esquelético e o estriado cardíaco e, por fim, o
tecido nervoso. Obviamente, nem todos os animais possuem todos os tipos de tecidos.
Nos vegetais, tem os meristemas, que pode ser o primário ou secundário, que é
responsável pela formação dos tecidos permanentes, que são os tecidos de
revestimento, do epitélio e súber, tecido de sustentação, o colênquima e esclerênquima,
tecidos de condução, que são os xilema e floema, e os tecidos de assimilação e reserva,
que são os parênquimas. .Sendo animal ou vegetal, a organização vai aumentando e a
complexidade também, conforme a evolução.
➔ Divisão celular e Reprodução
Os seres são capazes de se dividir (mitose e meiose) e de reproduzir.
Temos uma célula eucarionte, que possui células com DNA que são capazes de duplicar,
as cromátides, mas não os centrômeros. Quando duplicam, são chamadas de cromátides
irmãs, a não ser que, durante esse processo, seja identificada alguma mutação, seja
induzida por radiação ou até por erros da sua estrutura celular. A “junção” das cromátides
são chamadas de cromossomos homólogos. Quando a célula está com material genético
duplicado, pode fazer meiose ou mitose, dependendo da especialização e do objetivo
dessa célula.
Na mitose, temos a separação de cromátides irmãs, geneticamente iguais, caso não
ocorra nenhuma mutação, e dos cromossomos homólogos.
Na meiose, temos a separação dos cromossomos homólogos e depois, das cromátides
irmãs. Os cromossomos homólogos podem parear e “trocar pedacinhos”, que é um fator
de variabilidade, chamado de recombinação. Na meiose pode acontecer recombinação
de cromossomos chamada de crossing-over, ou permutação.
“A multiplicação das células pode ocorrer por mitose ou por meiose. Cada tipo de divisão
vai ocorrer em um momento diferente da vida dos seres vivos. Por exemplo, para o
crescimento do corpo ocorrem mitoses, para aumentar o número de células sem perder a
carga genética. Já para a produção dos gametas nos animais, ocorre a meiose, com a
diminuição da quantidade de cromossomos para formar o óvulo ou o espermatozóide.”
Há desenhos no caderno.
A reprodução assexuada, está baseada na mitose, onde a única chance de
variabilidade é a mutação. Pode ser por cissiparidade, ou seja, por mitose, podendo
ocorrer mutação.
Na reprodução sexuada, ocorre a meiose, onde tem possíveis variabilidades genéticas,
por mutação ou crossing-over. Os fatores de variabilidade estão embutidos dentro dos
fatores de reprodução, dependentes da mitose e da meiose. Como exemplo, podemos ter
um indivíduo masculino com seu espermatozoide, o feminino com o óvulo, e, na junção
dos gametas, formam o zigoto. Os gametas são formados a partir de meiose, com 23
cromossomos cada, e, a junção desses gametas formam o zigoto com 46 cromossomos,
que faz mitoses sucessivas para formação do indivíduo. Durante o processo evolutivo,
vão organizando as células e tecidos para formação dos sistemas.
➔ Fisiologia Básica
As células organizam tecidos, que organizam os órgãos, que vão organizar os aparelhos
e sistemas.
Os animais apresentam aparelho digestório, respiratório, circulação, excreção, reprodutor
e todas as estruturas são importantes para que tenha uma melhor funcionalidade, estão
integrados com sistemas, sejam eles endócrinos, nervosos. Os indivíduos apresentam
aparelhos diferenciados, dependendo do grau de evolução, como por exemplo, os
aparelhos digestórios podem ser completos (boca e ânus) ou incompletos (só boca, o
aparelho respiratório também, no qual diferentes animais possuem um tipo, podendo ser
traqueal, cutânea, entre outros, a circulação pode ser aberta, fechada, simples ou dupla,
completa ou incompleta.
Existem órgãos vegetais também, como raízes, caule, folha, ou seja, existem conjunto de
tecidos organizando essas estruturas.
Evolutivamente, essas células estão sofrendo adequações evolutivas, mutações, ou seja,
a seleção natural. Quem tem o melhor conjunto de reações, tende a comandar mais
espaço. O sistema nervoso consegue elaborar pensamento e ideias que conseguem
fazer movimentos de evolução e integração. A integração dos seres vivos na natureza é
importante.
Água e Sais
Página12