A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
ATIVIDADE FÍSICA NA APS

Pré-visualização | Página 1 de 1

Conforto + simplificação = vida sedentária e suas consequências. 
Inatividade física é um dos maiores problemas de saúde pública, sedentarismo → 
mortalidade por todas as causas e DCV, de alta prevalência no Brasil e no mundo. É o 
mais prevalente dos FR, além de ser modificável (inatividade física). 
Sedentarismo = tabagismo, em relação aos danos. Maior causa de morte evitável é o 
tabagismo, mas a mais prevalente é a inatividade física. 
OMS → quase metade da população brasileira é sedentária, 5º país com maior número 
de sedentários. 62%, justificativa mais frequente é “falta de tempo”. Prevalência do 
sedentarismo aumenta progressivamente com o avançar da idade. 
Incremento da atividade física = ganho de saúde, melhor qualidade de vida e maior 
expectativa de vida. Pode e deve ser recomendada como terapia preventiva e promotora 
de saúde para todas as idades. Baixo custo e muita efetividade, por não haver como 
medir o resultado → pessoas tendem a não acreditar por não ser algo palpável. 
Principais fatores motivacionais: melhoria da qualidade de vida, bem-estar e 
desempenho físico (65,6%). Menos de 4,5% afirmaram indicação médica como 
principal motivo. 48% dos participantes iniciaram a prática esportiva na escola ou 
universidade, com orientação do professor. 
Exercício físico é determinante na prevenção de diabetes tipo 2 e tratamento de diabetes 
mellitus (DM), além de reduzir risco cardiovascular, promover bem-estar, controle do 
peso corporal e da adiposidade. Apesar disso, exercício físico não é rotineiramente 
prescrito ou orientado de maneira adequada ao indivíduo com DM. 
APS → potencial para estimular prevalência de pessoas fisicamente ativas, pois 
proporciona acesso universal e cuidado longitudinal. Médico da família/equipe → 
intervenções breves → aumentar níveis de atividade física na população em geral 
Estratégias individuais/populacionais de prevenção DCV → combate ao sedentarismo. 
Atividade Física: termo abrangente que inclui formas estruturadas e não estruturadas 
de lazer, esporte, transporte, atividades domésticas e relacionadas ao trabalho. Envolve 
movimento do corpo, com aumento do gasto energético em relação ao repouso e pode 
ser classificada em leve, moderada ou alta intensidade. 
Exercício Físico: subconjunto de atividades estruturadas, que visa a melhora da aptidão 
(= condicionamento) cardiorrespiratória, equilíbrio, flexibilidade, força e/ou potência ou 
até função cognitiva (importante: idosos). 
1- Aeróbicos → caminhar, correr, nadar, pedalar; melhora capacidade 
cardiopulmonar, usa muito O2; 
2- Anaeróbicos → musculação, saltos e corridas de curta duração e alta 
intensidade; mais uso de grupamento muscular, força muscular 
3- Flexibilidade (alongamentos); 
4- Equilíbrio (raro médico realizar teste de equilíbrio). 
Observação: “Quanto maior a aptidão física aeróbica, menor o risco de 
morbimortalidade total e CV, tanto em indivíduos saudáveis quanto em portadores 
de DCV.” Quanto + aptidão física, - risco de morte cardíaca e por todas as causas. 
Não é necessário nenhum exame prévio, apenas se sentir algum desconforto durante a 
execução. Estímulo + orientação médica = prática de exercício físico organizada e 
estruturada. É necessária prática contínua e regular. 
1- Alimentação e hidratação adequadas 
2- Alongar e aquecer 
3- Não deve proporcionar sofrimento 
4- Utilizar equipamentos adequados 
5- Conhecer os mecanismos de lesão e acidentes 
Boa meta semanal para prevenção de DCV e promoção de saúde: 150 min de 
intensidade moderada ou 75 min de alta intensidade. Prática de mais de 300 min 
semanais de intensidade moderada a alta → benefício adicional. Não existem evidências 
de delimitação clara de um limite superior → dano. 
Associação tempo de sedentarismo x maior mortalidade por todas as causas, 
mortalidade CV e risco de desenvolver DM. 
História Clínica bem coletada, questionários como PAR-Q e exames complementares 
Promover adesão e aderência, melhores evidências recomendam: 
 - Cerca de 3 minutos de abordagem 
 - Abordagem por todos os integrantes da equipe 
 - Acompanhamento 
 - Ambiente comunitário favorável 
Gasto energético mínimo de 1000kcal/semana = 1h de exercício aeróbico moderado 5x 
semana. Gastos adicionais → diminuição da mortalidade geral. Gastos menores = 
iniciantes, mal condicionados, idosos. Treinos de forma progressiva. 
Variáveis que devem ser consideradas: 
 - Intensidade 
 - Duração 
 - Frequência 
 - Gasto Calórico 
Cada atividade ou exercício tem um gasto energético esperado de acordo com 
intensidade e tempo de atividade (tabelas). 
Maneiras de medir intensidade de uma atividade física: 
1- Gasto de energia; 
2- FC (objetivo, capacidade de monitorização): 
a. FC máx: homens = 220 – idade; mulheres = 226 - idade; obesos = 
220 - idade 
b. FCrep (de repouso) 
c. FCres (de reserva) = FCmáx – Fcrep 
Baixa intensidade (45-54% FC máx ou 30-39% FC res), moderada 
intensidade (55-60% FC máx ou 40-59% FC res) e alta intensidade (70-
89% FC máx ou 60-84% FC res). 
3- Escalas subjetivas do esforço (Escala de BORG – fácil compreensão e 
aplicação).