A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
AVALIAÇÃO FAM - SEGURANÇA E CONFLITOS INTERNACIONAIS -06-2021

Pré-visualização | Página 1 de 3

AVALIAÇÃO : SEGURANÇA E CONFLITOS INTERNACIONAIS - FAM - 06/2021
A opção nuclear não era uma escolha viável de confronto bélico porque superava qualquer lógica de guerra - o desarme e a vitória sobre o adversário. Em uma guerra nuclear dificilmente existiria um vitorioso.
I. Com isso, estavam dadas as condições para a emergência de outro conceito fundamental popularizado pelos estudos estratégicos: détente ou distensão.
PORQUE
II. Era necessária uma política de distensão das tensões derivadas da questão nuclear, dando, então, lugar a uma política de maior cooperação e também construção de alguns acordos nucleares entre as superpotências - Estados Unidos da América (EUA) e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta:
Correto!
 As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II é uma justificativa da I. 
As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II é uma justificativa da I. A questão II explica a necessidade da política de distensão, dando continuidade à linha de raciocínio da alternativa I.
 A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposição falsa. 
 As asserções I e II são proposições falsas. 
 A asserção I é uma proposição falsa e a II é uma proposição verdadeira. 
 As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa da I. 
 
Pergunta 2
0,6 / 0,6 pts
O governo do presidente Richard Nixon (1969-1979) estava determinado a apaziguar o ânimo dos soviéticos (Kissinger, 1996, p. 707), a fim de obter a cooperação soviética para:
Suprimir a ameaça de Berlim.
Resolver as tensões no Oriente Médio.
E, antes de mais nada, pôr fim à Guerra de Cenepa.
Sobre as questões apresentadas, é possível afirmar que:
 Apenas a II e a III estão corretas. 
 Apenas a III está correta 
Correto!
 Apenas a I e a II estão corretas. 
Apenas as alternativas I e II estão corretas. O governo do presidente Richard Nixon queria, antes de mais nada, pôr fim à Guerra do Vietnã.
 I, II e III estão corretas. 
 Apenas a I está correta. 
 
Pergunta 3
0,6 / 0,6 pts
O que se propunham explicar os estudos estratégicos? Desde a produção da arma atômica pelos Estados Unidos, na primeira metade da década de 1940, do século passado, até os ataques nucleares em Hiroshima e Nagasaki , em 1945, as discussões sobre armas estratégicas foram baseadas em grupos políticos e acadêmicos, considerando as preocupações sobre as armas atômicas. As armas atômicas definiram o objeto dos estudos estratégicos, tendo por contexto histórico a Guerra Fria entre os Estados Unidos e a União Soviética. E, dessa forma, dois conceitos se distinguiram e se popularizaram: deterrence (ou dissuasão) e détente (ou distensão).
I. A dissuasão se baseava em fazer crível a ameaça do uso da arma nuclear contra o adversário, caso esse cogitasse, em algum cenário possível, usar a arma atômica como instrumento de guerra.
PORQUE
II. Qualquer ataque nuclear de um dos grandes superpoderes ao outro poderia ter represálias maciças e danos imprevisíveis. Essa ideia era embasada nos números de armas atômicas que cada lado possuía.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta:
 As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa da I. 
Correto!
 As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II é uma justificativa da I. 
As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II é uma justificativa da I. A questão II complementa a explicação sobre dissuasão.
A dissuasão se baseava em fazer crível a ameaça do uso da arma nuclear contra o adversário, caso esse cogitasse, em algum cenário possível, usar a arma atômica como instrumento de guerra. Qualquer ataque nuclear de um dos grandes superpoderes ao outro poderia ter represálias maciças e danos imprevisíveis. Essa ideia era embasada nos números de armas atômicas que cada lado possuía.
 As asserções I e II são proposições falsas. 
 A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposição falsa. 
 A asserção I é uma proposição falsa e a II é uma proposição verdadeira. 
 
Pergunta 4
0,6 / 0,6 pts
Conforme Matoso, 2014, a Teoria da paz democrática postula que as democracias evitam se envolver em conflitos armados com outras democracias. Ele explica que se trata de uma 'teoria da paz', que descreve os motivos que dissuadem a violência patrocinada pelos Estados". Sabe-se que há uma série de razões que explicariam as causas das democracias não fazerem guerra entre si, como as que seguem:
Há mecanismos de pesos e contrapesos entre as instituições (Legislativo e Executivo, acima de tudo, que tornam vagaroso o processo decisório de ir à guerra; as democracias tendem a possuir mais bens públicos que outros estados e, portanto, evitam a guerra para preservar sua própria infraestrutura e seus recursos.
A opinião pública democrática é vigilante de seus governantes; a guerra tem custos humanos (e vidas perdidas), econômicos e financeiros (Doyle, 1983).
A construção de normas democráticas que viabilizam compromissos e resoluções pacíficas de conflitos sem a ameaça de violência - ou seja, aplicam-se os mesmos princípios das fronteiras nacionais ao mundo internacional.
A respeito das questões apresentadas, é possível afirmar que:
 Apenas a II e a III estão corretas. 
 Apenas a I e a II estão corretas 
 Apenas a I está correta. 
 Apenas a III está correta. 
Correto!
 I, II e III estão corretas. 
As questões I, II e III estão corretas.
Há uma série de razões que explicariam as causas das democracias não fazerem guerra entre si: 1) há mecanismos de pesos e contrapesos entre as instituições (Legislativo e Executivo, acima de tudo) que tornam vagaroso o processo decisório de ir à guerra; 2) as democracias tendem a possuir mais bens públicos que outros estados e, portanto, evitam a guerra para preservar sua própria infraestrutura e seus recursos; 3) a opinião pública democrática é vigilante de seus governantes; 4) a guerra tem custos humanos (e vidas perdidas), econômicos e financeiros (Doyle, 1983); 5) a construção de normas democráticas que viabilizam compromissos e resoluções pacíficas de conflitos sem a ameaça de violência - ou seja, aplicam-se os mesmos princípios das fronteiras nacionais ao mundo internacional.
 
Pergunta 5
0,6 / 0,6 pts
Por que algumas pesquisas sobre o Cone Sul afirmam que, nessa sub-região, o sistema de balança de poder, fundado em 1860, terminou nos anos 1990, sendo substituído por uma comunidade pluralista de segurança? Sabe-se que três fatos explicam essa questão:
O primeiro deles foi a assinatura do Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP).
O segundo se refere ao estabelecimento e regularização da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC).
O terceiro diz respeito à aderência ao Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis (MTCR) e ao Tratado de Tlatelolco -, assim como a intensa cooperação que Argentina e Brasil estabeleceram em matéria militar, desde a primeira década do século XXI.
 Sobre as questões apresentadas, é possível afirmar que:
 Apenas a III está correta. 
 I, II e III estão corretas. 
 Apenas a I está correta. 
 Apenas a II e a III estão corretas. 
Apenas a I e a II estão corretas. A resposta certa para a alternativa III seria: E o terceiro diz respeito à aderêcia ao Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis (MTCR) e ao Tratado de Tlatelolco -, assim como a intensa cooperação que Argentina e Chile estabeleceram em matéria militar, desde a primeira década do século XXI. Não foi entre o Brasil e a Argentina a intensa cooperação. 
Resposta correta
 Apenas a I e a II estão corretas. 
 
Pergunta 6
0,6 / 0,6 pts
Segundo o pensamento tradicional em segurança, há três possibilidades de mitigar o conflito ou atingir certo grau satisfatório de segurança:
Pela teoria reducionista de Hans Morgenthau (1993)
Pela autoajuda.
Pela hegemonia.
Sobre as questões apresentadas, é possível afirmar que:
 Apenas a III está correta 
Resposta correta
 Apenas a II e a III estão corretas.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.