A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Exame Físico do Aparelho Locomotor

Pré-visualização | Página 1 de 1

Exame Físico do Aparelho Locomotor
Queixa: dor articular →
1) Dores muito intensas indicam casos agudos.
2) Dores agudas geralmente são infecciosas, enquanto dores prolongadas, reumáticas.
3) Número de articulações afetadas: monoarticular (1), oligoarticular (2-4) ou poliarticular (> 4).
INSPEÇÃO + MOBILIZAÇÃO (ativa e passiva) + PALPAÇÃO
MÃOS:
1) Inspeção:
· Nódulos de Heberden e/ou Bouchard: artrose.
· Desvio ulnar, dedo de botoeira e/ou dedo em pescoço de cisne: artrite reumatoide.
· Dedo em gatinho: DM.
· Em pessoas com esclerodermia é comum que as mãos apresentem-se lisas, sem nenhuma linha.
· Em paciente com artrite, os sulcos interdigitais desaparecem.
2) Mobilização:
3) Palpação: utiliza uma técnica bidigital.
· Squeeze test: pressiona-se a região da base dos dedos e, caso o paciente relate dor indica artrite.
PUNHOS:
1) Inspeção: presença de cisto sinovial.
2) Mobilização:
3) Palpação: verificar temperatura da região e comparar com homólogo e regiões adjacentes. 
→ Síndrome do túnel do carpo: ocorre compressão do nervo mediano, gerando dor e parestesia da região correspondente de sua inervação (polegar, indicador, dedo médio e região palmar), principalmente à noite; testado pelas manobras de Phalen e Tinnel.
→ Tenossinovite: tendinite do abdutor longo e extensor curto do polegar, testado pela manobra de Finkelstein.
COTOVELOS:
1) Inspeção.
→ Tofos gotosos: podem aparecer em vários locais, onde há tecido mole.
2) Mobilização:
3) Palpação: verificar temperatura da região e comparar com homólogo e regiões adjacentes.
→ Epicondilite lateral: cotovelo de tenista, realiza-se teste de Cozen (extensão do punho contra a resistência).
→ Epicondilite medial: cotovelo de golfista, realiza-se teste de Mill (flexão forçada do punho).
OMBROS:
1) Inspeção: verificar homologia entre alturas dos ombros.
2) Mobilização: verificar integridade do manguito rotador.
3) Palpação: verificar temperatura da região e comparar com homólogo e regiões adjacentes.
→ Teste de Jobe: verifica-se tendinite do supra-espinhoso; o membro superior é colocado em extensão e rotação interna e o paciente deve elevar os membros superiores contra certa resistência oferecida pelo examinador.
QUADRIL:
1) Inspeção. 
2) Mobilização:
3) Palpação.
→ Teste de Fabere: pode gerar dor inguinal (artrite, artrose), lateral (bursite) ou lombar, quando se diz que Fabere é positivo, indicando sacroileíte (por exemplo, espondilite anquilosante).
JOELHOS:
1) Inspeção:
· Geno valgo e geno varo: artrose.
2) Mobilização:
3) Palpação: verificar temperatura da região e comparar com homólogo e regiões adjacentes, sendo que um joelho saudável é gelado como o nariz de um cachorro e está sempre mais gelado que a perna e a coxa (quando está mais quente é indicativo de artrite).
→ Manobra do rechaço: com uma mão imobiliza-se a patela e com a outra ela deve ser pressionada, verificando presença ou ausência do sinal de tecla (a patela afunda); se afundar, o teste é positivo e indica derrame articular.
→ Podagra: edema em articulações do pé ou dedo dos pés que é sinal inicial de gota.
→ Hálux valgo: popular “joanete”.
COLUNA CERVICAL:
1) Inspeção.
2) Mobilização:
3) Palpação.
→ Manobra de Spurling: realizada quando o paciente apresenta queixas de cervicobraquialgia; o profissional posiciona-se atrás do paciente e inclina a cabeça dele para um dos lados, posteriormente pressionando a cabeça por aproximadamente 15 segundos, verificando se há dor no membro superior para o lado da cabeça; após, realiza-se igualmente para o outro lado.
COLUNA TORÁCICA E LOMBAR:
1) Inspeção:
→ Escoliose: coluna com deformidade evidente, cabeça não centralizada com o resto do corpo, um ombro e uma escápula mais altos e salientes, um quadril mais elevado, trígonos de Taller (espaço entre braço e tronco) com tamanhos diferentes.
2) Mobilização:
3) Palpação.
→ Teste de Schober: o paciente em pé, faz-se uma marca na região lombar entre as cristas ilíacas, mede-se 10 cm acima e faz-se uma nova marca; pede-se pro paciente fletir o tronco ao máximo com os joelhos estendidos e mede-se a nova distância entre essas marcas, sendo necessário que essa nova medida seja maios de 15 cm.
→ Teste de Lasegue: positivo quando há dor na elevação do membro inferior estendido em angulação entre 30º e 60º, indicativo de lombociatalgia.